Resistir para existir

A luta da população negra brasileira contra a COVID-19

Autores

Palavras-chave:

Pandemia, Negro, Resistência

Resumo

Este artigo propõe uma discussão sobre os processos de resistência da população negra no Brasil no contexto da pandemia da COVID-19. Entretanto, as comunidades através da organização do coletivo vêm lutando pela sobrevivência dos seus moradores e para evitar o aumento dos números de contaminação e mortes dentro das favelas. A metodologia adotada foi a qualitativa, realizada através de pesquisa bibliográfica, documental e de reportagens online. Concluindo que a população negra vem resistindo pela vida e pelo básico através da solidariedade ativa, frente a omissão e o negacionismo científico do governo federal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Cláudia de Jesus Barreto, Universidade Federal Fluminense

Professora Adjunta, Departamento de Serviço Social de Campos, Universidade Federal Fluminense, Brasil. Doutora em Serviço Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Brasil

Referências

ALMEIDA, Silvio Luiz de. Racismo estrutural. São Paulo: Pólen, 2019.

BERTH, Joice. Empoderamento. São Paulo. Sueli Carneiro; Jandaíra, 2020.

BARRETO, Ana Claudia de Jesus. O lugar dos negros pobres na cidade: estudo na área de risco no Bairro Dom Bosco. Juiz de Fora: Funalfa, 2013.

BATISTA, Rita de Cássia Souza Félix. O negro: trabalho, sobrevivências e conquistas em Juiz de Fora de 1888 a 1930. Juiz de Fora-MG: Funalfa, 2006.

BBC. Relembre frases de Bolsonaro sobre a covid-19. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-53327880. Acesso em: 27 jul. 2020.

CENTRAL ÚNICA DAS FAVELAS Fundo solidário COVID-19 para Mães das Favelas. Disponível em: https://www.maesdafavela.com.br/. Acesso em: 25 out 2020.

CHIAVENATO, Júlio José. O negro no Brasil. São Paulo: Editora Cortez, 2012.

REVISTA FÓRUM. Empregada doméstica é primeira vítima de coronavírus no Rio de Janeiro. 19 mar. 2020. Disponível em: https://revistaforum.com.br/coronavirus/empregada-domestica-e-primeira-vitima-de-coronavirus-no-rio-de-janeiro. Acesso em: 30 ago. 2020.

G1. Bairros de SP com maioria da população negra apresentam mais mortes por Covid-19, aponta pesquisa. Disponível em : https://g1.globo.com/bemestar/coronavirus/noticia/2020/06/21/maioria-dos-estados-nao-tem-informacao-sobre-raca-das-vitimas-de-covid-19-parte-nao-divulga-quantidade-de-testes-sem-resultado.ghtml. Acesso em: 20 out. 2020.

G1. Raio X do saneamento no Brasil: 16% não têm água tratada e 47% não têm acesso à rede de esgoto. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/noticia/2020/06/24/raio-x-do-saneamento-no-brasil-16percent-nao-tem-agua-tratada-e-47percent-nao-tem-acesso-a-rede-de-esgoto.ghtml. Acesso em: 17 out. 2020.

G1. Maioria dos estados não tem informação sobre raça das vítimas de Covid-19; parte não divulga quantidade de testes sem resultado. Disponível em: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2020/06/24/bairros-de-sp-com-maioria-da-populacao-negra-apresentam-mais-mortes-por-covid-19-aponta-pesquisa.ghtml. Acesso em: 25 out. 2020.

G1. Percentual de pessoas infectadas com coronavírus nos bairros pobres da cidade de SP é 2,5 vezes maior do que nos ricos, diz estudo. Disponível em: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2020/07/01/percentual-de-pessoas-expostas-ao-coronavirus-nos-bairros-mais-pobres-da-cidade-de-sp-e-25-vezes-maior-do-que-nos-mais-ricos.ghtml. Acesso em: 25 out. 2020.

IBGE. Desigualdades por cor e raça no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2019. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/index.php/biblioteca-catalogo?view=detalhes&id=2101681: Acesso em: 4 jun 2020.

IPEA. Vidas perdidas e racismo no Brasil. Notas Técnicas, Brasília, n. 10, p.1-25, nov. 2010. Disponível em: http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/5977/1/NT_n10_vidas.pdf. Acesso em: 4 jun. 2020.

KILOMBA, Grada. Memórias de plantação: episódios de racismo cotidiano. Portugal: Cobogó, 2019.

RIOS, Ana Lugão; MATTOS, Hebe; Memórias de cativeiro: família, trabalho e cidadania no pós-abolição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

MBEMBE, Achille. Crítica da razão negra. Lisboa: Antígona, 2014.

MUNANGA, Kabengele. Uma abordagem conceitual das noções de raça, racismo, identidade e etnia. In: SEMINÁRIO NACIONAL RELAÇÕES RACIAIS E EDUCAÇÃO, 3, 2003. Palestra: PENESB-RJ, 2003. Disponível em: https://www.geledes.org.br/wp-content/uploads/2014/04/Uma-abordagem-conceitual-das-nocoes-de-raca-racismo-dentidade-e-etnia.pdf . Acesso em: 17 jul. 2018.

NASCIMENTO, Beatriz. Quilombola e intelectual: possibilidades nos dias da destruição. Diáspora Africana: Editora Filhos da África. 2018.

PAIXÃO, Marcelo J.P. Desenvolvimento Humano e relações raciais. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

POLÍTICA Nacional de Saúde Integral da População Negra: uma política para o SUS / Ministério da Saúde, Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa, Departamento de Apoio à Gestão Participativa e ao Controle Social. 3. ed. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2017. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_saude_populacao_negra_3d.pdf. Acesso em: 10 out. 2020.

QUEIROZ FILHO, Alfredo Pereira de. As definições de assentamentos precários e favelas e suas implicações nos dados populacionais: abordagem da análise de conteúdo. Revista Brasileira de Gestão Urbana, São Paulo, v. 7, n.3, p. 340-353, 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S2175-33692015005001003&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 20 out. 2020.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder e classificação social. In: Santos, Boaventura de Souza; Meneses, Maria Paula (orgs.). Epistemologias do Sul. Portugal: Edições Almedina, 2009. p. 73-117. Disponível em: http://www.mel.unir.br/uploads/56565656/noticias/quijano-anibal%20colonialidade%20do%20poder%20e%20classificacao%20social.pdf. Acesso em: 16 out. 2020.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil (1870-1930). São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

WERNECK, Jurema. Racismo institucional e saúde da população negra. Revista Saúde e Sociedade. São Paulo, v. 24, n. 3, p. 535-549, 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/sausoc/v25n3/1984-0470-sausoc-25-03-00535.pdf. Acesso em: 10 out. 2020.

Downloads

Publicado

2021-08-14

Como Citar

Barreto, A. C. de J. (2021). Resistir para existir: A luta da população negra brasileira contra a COVID-19. Mundo Livre: Revista Multidisciplinar, 7(1), 209-229. Recuperado de https://periodicos.uff.br/mundolivre/article/view/47803

Edição

Seção

Sessão temática