Cultura e trabalho imaterial: música independente e produção cultural no novo mundo do trabalho

Autores

  • André Peralta Grillo UFJF

DOI:

https://doi.org/10.22409/pragmatizes2016.10.a10424

Resumo

Este artigo discute a relação do produtor cultural, definido como quem realiza eventos ou produz bens culturais e artísticos, com as mudanças no “mundo do trabalho” contemporâneo. Baseia-se em pesquisa sobre o tema focada no ramo da “música independente” brasileira contemporânea, a partir de estudo de caso da rede “Circuito Fora do Eixo”, fundada em 2005 por coletivos de produção cultural de diferentes partes do país. Tenho como hipótese que os agentes dessa rede levam ao limite algumas tendências contemporâneas de vinculação do trabalho produtivo a um cunho militante, a partir de um repertório de crenças e práticas forjados no âmbito dos movimentos de contestação juvenil dos anos 60, que ficaram conhecidos como “Contracultura”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ANTUNES, R. Adeus ao Trabalho?: ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade no mundo do trabalho. São Paulo: Cortez, 2011.

BARCELLOS, R. Por outro eixo, por outro organizar: a organização da resistência do Circuito Fora do Eixo no contexto cultural brasileiro. Tese. Florianópolis, 2012.

BOLTANSKI, L.; CHIAPELLO, E. O novo espírito do capitalismo. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

CAMARGO, S. Trabalho Imaterial e produção cultural: a dialética do capitalismo tardio. São Paulo: Annablume, 2011.

COCCO, G. et all (orgs.) Capitalismo cognitivo: trabalho, redes e inovação. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

CORRÊA, W. Festivais independentes e diversidade cultural: interconexões no contexto de crise/reestruturação da indústria fonográfica. VI Conferência brasileira de mídia cidadã, 2010.

DE MARCHI, L. Discutindo o papel da produção independente brasileira no mercado fonográfico em rede. In: HERSCHMANN, M. (org.) Nas Bordas e fora do mainstream musical. São Paulo: Estação das Letras, 2011.

DE MARCHI, L. Do marginal ao empreendedor: transformações no conceito de produção fonográfica no Brasil. Revista Eco-pós, vol.9 nº1. 2006.

GORZ, A. Adeus ao proletariado: para além do socialismo. Rio de Janeiro: Forense, 1987.

GORZ, A. O imaterial: conhecimento, valor e capital. São Paulo: Annablume, 2005.

GRILLO, A. Arte laborans: produção cultural no novo mundo do trabalho. Anais do XVII Congresso Brasileiro de Sociologia (SBS), 2015a.

GRILLO, A. Cultura, Arte e Trabalho Imaterial: a Produção Cultural e as mudanças no mundo do trabalho. Anais da III Jornada de Ciências Sociais da UFJF, 2014a.

GRILLO, A. Cultura e Trabalho Imaterial: notas para o debate. Anais do I CONACSO (Congresso Nacional de Ciências Sociais, UFES), 2015b.

GRILLO, A. A militância laboral e a cibercultura: produtores ativistas no ciberespaço. Anais do III Seminário Fluminense de Sociologia (UFF), 2014b.

GRILLO, A. Movimento social das culturas: uma análise a partir da rede Circuito Fora do Eixo. Anais do VI Seminário Nacional de Sociologia e Política (UFPR), 2015c.

HERSCHMANN, M. Carência de dados e desafios metodológicos para o desenvolvimento dos estudos da indústria da música. Famecos, Porto Alegre, v.20, n.1, jan./abril, 2013.

HERSCHMANN, M. Emergência de uma nova indústria da música: crescimento da importância dos concertos (e festivais), retorno do vinil, popularização dos tags e dos videogames musicais. Anais da 32ª ANPOCS, 2012.

LAZZARATO, M.; NEGRI, A. Trabalho imaterial: formas de vida e produção de subjetividade. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

SAVAZONI, R. Os novos bárbaros: a aventura política do fora do eixo. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2014.

SENNET, R. A Cultura do Novo Capitalismo. Rio de Janeiro: Record, 2008.

VAZ, G.N. História da Música Independente. Brasília: Brasiliense, 1989.

VICENTE, E. A vez dos independentes (?): um olhar sobre a produção musical independente do país. Compos, Dezembro, 2006.

Downloads

Publicado

2016-03-07

Edição

Seção

Dossiê 10: Economia Política da Comunicação e da Cultura na Íbero-América