O bairro do Recife e a Economia Criativa: do Carnaval Multicultural ao Paço do Frevo

Carla Pereira Lyra

Resumo


Este artigo tem como tema as transformações culturais e urbanas do Bairro do Recife ocasionadas pelo desenvolvimento de um polo tecnológico, obras na área portuária para o desenvolvimento do turismo e a construção de museus. Algumas questões foram levantadas: qual a importância da memória e do patrimônio no processo de regeneração e renovação do bairro do Recife? Como as políticas se articulam para a construção da paisagem urbana recifense? Qual o papel da cultura nesta transformação urbana? Neste contexto, o carnaval, a patrimonialização do frevo e a construção do Paço do Frevo e sua relação com o bairro de São José serão analisados a partir da Teoria Ator-Rede de Latour.


Texto completo:

PDF

Referências


APPADURAI, Arjun. Dimensões culturais da globalização. Tradução de Telma Costa. Lisboa: Teorema, 2004.

ARANTES, Antonio. (Org). O espaço da diferença. Campinas: Papirus, 2000.

ARAÚJO, Rita de Cássia Barbosa de. Festas: máscaras do tempo: entrudo, mascarada e frevo no carnaval do Recife. Recife: Fundação de Cultura Cidade do Recife, 1996.

Bairro do Recife se torna laboratório urbanístico. Diário de Pernambuco, Recife, 20 abr. 2014. Caderno Vida Urbana.

BRASIL. MINISTÉRIO DA CULTURA. As metas do Plano Nacional de Cultura. São Paulo: Instituto Via Pública; Brasília: Ministério da Cultura, 2012. il. Color.

______. Plano da Secretaria da Economia Criativa: políticas, diretrizes e ações, 2011-2014. Brasília: Ministério da Cultura, 2011.

CANCLINI, Néstor García. Consumidores e cidadãos – conflitos multiculturais da globalização. Tradução de Maurício Dias. Rio de Janeiro: UFRJ, 1999.

CARVALHO, Rosane M. R. Plano Museológico do Paço do Frevo. Paço do Frevo, 2013.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. (A Era da informação: Economia, Sociedade e cultura, v.1). Tradução Roneide Venancio Majer. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

DEL RIO, Vicente. Voltando às origens – revitalização de áreas portuárias nos centros urbanos. São Paulo: Arquitextos; Vitruvius, 2001. Disponível em: . Acesso em: 25 set. 2015.

DELGADO, Manuel. La ciudad mentirosa – fraude y miseria del modelo Barcelona. Madrid: Los libros de la Catarata, 2007, 242 p.

DIEDRICH, Lisa. Entre a tabula rasa e a museificação. In: CARDOSO, Isabel Lopes. (Org.). Paisagem patrimônio. Porto: Chaia e Dafne, 2013.

DONADIEU, Pierre. A construção de paisagens urbanas poderá criar bens comuns? In: CARDOSO, Isabel Lopes (Org.). Paisagem patrimônio. Porto: Chaia e Dafne, 2013.

GIRAO, C. S. Porto digital do bairro do Recife: uma ilha de riqueza em um mar de pobreza. 2005. 356 f. Dissertação (Mestrado em Geografia)–Universidade Estadual do Rio de Janeiro, 2005. Disponível em: . Acesso em: 27 jan. 2015.

GOVERNO DO ESTADO DE PERNAMBUCO. Plano Estratégico da Economia Criativa 2012 – 2015. Recife: Prima Consultoria. Secretaria de Desnvolvimento Econômico, 2012.

FUNDAÇÃO GILBERTO FREYRE/SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO DO ESTADO DE PERNAMBUCO. Cluster Metropolitano de Negócios Criativos. Planejamento Estratégico. Pernambuco, 2013. Disponível em: http://pt.slideshare.net/redacaojornaldocommercio/cluster-metropolitano-de-economia-criativa>.

HARVEY, David. A produção capitalista do espaço. São Paulo:Annablume, 2005. 252p.

HUYSSEN, Andreas. Seduzidos pela memória: arquitetura, monumentos e mídia. Tradução de Sérgio Alcides. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2000.

INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO E GESTÃO. Plano de trabalho – Paço do Frevo. Instituto de Desenvolvimento e Gestão – IDG. Recife, 15 de outubro de 2013.

LATOUR, Bruno. Reagregando o social: uma introdução à teoria ator-rede. Tradução de Gilson César Cardoso de Souza. Salvador: EdUFBA; São Paulo: EdUSC, 2012.

LEITE, Rogério Proença e PEIXOTO, Paulo. Políticas urbanas de patrimonialização e contrarrevanchismo: o Recife Antigo e a zona histórica da Cidade do Porto. Cadernos Metrópole, Cidade, nº 21. p. 93-104, 2009.

LÉLIS, Carmem (org.). Frevo, patrimônio imaterial do Brasil: síntese do dossiê de candidatura. Recife: Fundação de Cultura Cidade do Recife, 2011.

LÉLIS, Carmem; Menezes, Hugo; Nascimento Leilane. B.C.M. Batutas de São José (1932-2012): Sabe lá o que é isso!. Recife: Fundação de Cultura Cidade do Recife, 2012.

LIMA Junior, Pedro Novais. Uma estratégia chamada “planejamento estratégico”: deslocamentos espaciais e atribuições de sentido na teoria do planejamento urbano. 2003. Tese (Doutorado em Planejamento Urbano e Regional)–Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2003.

MIGUEZ, P. Economia criativa: uma discussão preliminar. In: Nussbaumer, G. M. (Org.). Teorias e políticas da cultura: visões multidisciplinares. Salvador: EDUFBA, 2007. p. 96-97. (Coleção CULT).

MILES, Malcolm. Uma cidade pós-criativa? Revista Crítica de Ciências Sociais, 2012. Disponível em: . Acesso em: nov. 2014.

SILVA, Leonardo Dantas. O carnaval do Recife. Recife: Fundação de Cultura da Cidade do Recife, 2000.

PREFEITURA DO RECIFE. Catálogo do Complexo turístico cultural Recife-Olinda. Recife, 2007.

PRYSTHON, Ângela e André Teltes do Rosário. Manguetown: identidade, cultura e geografia no jornalismo cultural impresso. Comunicação e Informação, v. 8, nº 1, p. 47- 52, jan./jun., 2005.

REIS, Ana Carla Fonseca (Org.). Cidades criativas: soluções inventivas: o papel da copa, das olimpíadas e dos museus internacionais. São Paulo: Garimpo de Soluções; Recife: FUNDARPE, 2010.

______________________. Economia da cultura e desenvolvimento sustentável. São Paulo: Manole, 2007.

RUBIM, Antonio Albino Canelas. Políticas culturais e novos desafios. Matrizes, São Paulo, Ano 2, n. 2, p. 93 - 115, 2009.

SARMENTO, Luiz Eduardo Pinheiro. Patrimonialização das culturas populares: visões, interpretações e transformações no contexto do frevo pernambucano. 2010. 238 f. Dissertação (Mestrado em Antropologia) – CFCH Antropologia, Universidade Federal de Pernambuco, 2010.

SMITH, Neil. A gentrificação generalizada: de uma anomalia local à “regeneração” urbana como estratégia urbana global. In: Bidou-Zachariansen, C.; Hiernaux-Nicolas, D.; Rivière d’Arc, H. (Org.). De volta à cidade: dos processos de gentrificação às políticas de “revitalização” dos centros urbanos. São Paulo: Annablume, 2006.

TOLENTINO, Átila Bezerra. Governança em rede: o caso do sistema brasileiro de museus. Revista CPC, São Paulo, n. 16, p. 1-208, maio/out. 2013.

TORRES, Marcelo Douglas. Agências, contratos e oscips: a experiência pública brasileira. Rio de Janeiro: FGV, 2007.

VAZ, Lilian. A culturalização do planejamento e da cidade: novos modelos? Cadernos PPG-AU/FAUFBA, Salvador, 2004 (Número especial).

YÚDICE, George. A conveniência da cultura: uso da cultura na era global. Tradução de Marie Anne Kremer. Belo Horizonte: UFMG, 2006.

ZUKIN, Sharon. Paisagens urbanas pós-modernas: mapeando cultura e poder. In: ARANTES, Antonio (Org.). O espaço da diferença. Campinas: Papirus, 2000.




DOI: https://doi.org/10.22409/pragmatizes2016.11.a10436

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/
Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

https://labacuff.wordpress.com/

https://www.ppcultuff.com/

http://iacs.sites.uff.br/

http://uff.br/

https://www.abecbrasil.org.br/novo/

http://iacs.sites.uff.br/graduacao_producao-cultural/

https://www.facebook.com/Pragmatizes-302946063167783/

https://sfdora.org/

https://www.latindex.org/latindex/ficha?folio=22753

https://www.redib.org/recursos/Search/Results?lookfor=pragmatizes

https://doaj.org/search?source=%7B%22query%22%3A%7B%22query_string%22%3A%7B%22query%22%3A%22PragMATIZES%22%2C%22default_operator%22%3A%22AND%22%7D%7D%7D