Sistema Estadual de Cultura do RJ: desafios da institucionalização de políticas públicas participativas no campo cultural fluminense (2009-2019)

Simone Rodrigues Amorim, Juliano Borges

Resumo


O trabalho analisa o processo de criação do Sistema Estadual de Cultura do Rio de Janeiro (2009-2015), destacando as contradições na implantação de políticas públicas participativas, diante dos limites de compromisso entre o poder público e a sociedade civil. Com o intuito de entender e dimensionar as dificuldades e os avanços obtidos, o artigo propõe uma análise empírica do caso fluminense fundamentado sobre o aporte teórico neoinstitucionalista. O artigo pretende contribuir para que administradores públicos possam observar erros e acertos dessa experiência em processos de gestão que envolvam a participação social eapresenta uma atualização do quadro geral das políticas de cultura no Rio de Janeiro, profundamente deterioradas pela crise institucional que afeta o estado desde 2016.


Palavras-chave


Política cultural; Instituições públicas; Rio de Janeiro; Plano Estadual de Cultura

Texto completo:

PDF

Referências


AVRITZER, Leonardo. Instituições participativas e desenho institucional: algumas considerações sobre a variação da participação no Brasil democrático. Revista Opinião Pública. Campinas, v. 14, n. 1, Junho, 2008, p.43-64.

AVRITZER, Leonardo. Sociedade civil e Estado no Brasil: da autonomia à interdependência política. Revista Opinião Pública. Campinas, v. 18, n. 2, novembro, 2012, p. 383-398.

BARBALHO, Alexandre. Políticas culturais no Brasil: identidade e diversidade sem diferença. In: RUBIM, A.A.C., BARBALHO, A. (Orgs.) Políticas Culturais no Brasil. Coleção Cult, v. 2. Salvador: EDUFBA, 2007.

BOTELHO, Isaura. Romance de Formação: Funarte e política cultural – 1976 – 1990. Rio de Janeiro: Edições Casa de Rui Barbosa, 2000.

BARBER, Benjamin R. Strong Democracy: Participatory Politics for a New Age.University of California Press: Berkeley, 1984.

BENHABIB, Seyla. Sobre um modelo deliberativo de legitimidade democrática. In: WERLE, Denílson Luiz e MELO, Rúrion Soares (Orgs.) .Democracia Deliberativa. São Paulo: Editora Singular, Esfera Pública, 2007, p.47-79.

BOTELHO, Isaura. Dimensões da cultura e políticas públicas. In: São Paulo em Perspectiva. SP, 15 (2), abril/junho de 2001, p. 73-83.

CALABRE, Lia. Políticas culturais no Brasil: dos anos 1930 ao século XXI. RJ: FGV, 2009.

CALABRE, Lia. Política Cultural em tempos de democracia: a Era Lula. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, São Paulo, n. 58, Junho 2014, p. 137-156.

CARVALHO, Cristina Amélia. O Estado e a participação conquistada no campo das políticas públicas para a cultura no Brasil. In: Políticas Culturais: reflexões e ações, Observatório Itaú Cultural/Edições Casa de Rui Barbosa, São Paulo, 2009, p. 19-33.

CARVALHO, Maria Alice Rezende de. Cidade Escassa e Violência Urbana. In: Série Estudos. IUPERJ: Rio de Janeiro, n. 91, Agosto, 1995.

COHEN, Jean L. e ARATO, Andrew. Civil Society and Political Theory. Cambridge: MIT Press, 1992.

CONSELHO ESTADUAL DE POLÍTICA CULTURAL. Relatório de Formação do Conselho Estadual de Política Cultural: biênio 2016-2018. Disponível em: http://www.cultura.rj.gov.br/leiestadual/upload/Anexo5.pdf. Acesso em: 18 maio 2019.

DORIA, Carlos Alberto. Os Federais da Cultura. São Paulo: Biruta, 2003.

GOULD, Carol C. Rethinking Democracy. Freedom and social cooperation in politics, economy and society. Cambridge University Press: Nova Iorque, 1988.

GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Lei 7.035/2015 - Sistema Estadual de Cultura do Rio de Janeiro. Disponível em: http://www.cultura.rj.gov.br/editais/doceditais/lei_sistema_estadual_de_cultura_do_rj.pdf Acesso em: 15/01/2016.

KRASNER, Stephen D. Approaches to the State: Alternative Conceptions and Historical Dynamics. Comparative Politics, v. 16, n. 2, p. 226-246, Jan 1984.

MAGALHÃES, Aloísio. E Triunfo? A questão dos bens culturais no Brasil. Rio de Janeiro: Fundação Roberto Marinho, Nova Fronteira; Brasília: FNPM, 1985.

RUBIM, Antônio Albino Canelas. Políticas culturais no Brasil: tristes tradições, enormes desafios. In: RUBIM, A.A.C., BARBALHO, A. (Orgs.) Políticas Culturais no Brasil. Coleção Cult, v. 2. Salvador: EDUFBA, 2007.

RUBIM, Antonio Albino Canelas. Políticas Culturais do Governo Lula/Gil: Desafios e Enfrentamentos. INTERCOM – Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, SP, v. 31, n.1, jan./jun. 2008 p. 183-203.

STEINMO, Sven; THELEN, Kathleen. & LONGSTRETH, Frank (Eds.). Structuring Politics: Historical Institutionalism in Comparative Analysis. Cambridge: Cambridge University Press, 1992.




DOI: https://doi.org/10.22409/pragmatizes2019.17.a38138

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/
Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

https://labacuff.wordpress.com/

https://www.ppcultuff.com/

http://iacs.sites.uff.br/

http://uff.br/

https://www.abecbrasil.org.br/novo/

http://iacs.sites.uff.br/graduacao_producao-cultural/

https://www.facebook.com/Pragmatizes-302946063167783/

https://sfdora.org/

https://www.latindex.org/latindex/ficha?folio=22753

https://www.redib.org/recursos/Search/Results?lookfor=pragmatizes

https://doaj.org/search?source=%7B%22query%22%3A%7B%22query_string%22%3A%7B%22query%22%3A%22PragMATIZES%22%2C%22default_operator%22%3A%22AND%22%7D%7D%7D