O RETRATO DA VIOLÊNCIA NO ROMANCE PIEDRAS ENCANTADAS (2001), DE RODRIGO REY ROSA: UMA CONSTRUÇÃO ESTÉTICA

Autores

  • Rodrigo de Freitas Faqueri Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo - IFSP

DOI:

https://doi.org/10.22409/pragmatizes.v10i18.38871

Palavras-chave:

Violência, Espaço, Rey Rosa, Guatemala

Resumo

Este artigo traz à tona um olhar sobre a literatura centro-americana a partir de um estudo realizado sobre o romance, Piedras encantadas (2001), do escritor guatemalteco contemporâneo Rodrigo Rey Rosa. Neste romance, percebe-se a construção do espaço a partir da violência, seja representativa, seja textual, seja pelos personagens que se fazem presentes nas descrições realizadas, seja pela escolha do léxico ou pela carga histórica ali inserida, retratando uma Guatemala construída e alicerçada em vários âmbitos da violência. A escrita de Rey Rosa se diferencia pela abordagem particular quanto à utilização da violência com a perspectiva de que, em seus textos, a violência não é só um elemento de discussão que faz o leitor refletir sobre ela, mas que viabiliza a construção da narrativa a partir de seus traços peculiares acrescidos de outros aspectos presentes na obra. Como referencial teórico, este artigo se debruça nos estudos realizados pelo chileno Ariel Dorfman (1972) sobre algumas dimensões da violência na literatura e as explanações de Schøllhammer (2013) sobre esse assunto.

Biografia do Autor

Rodrigo de Freitas Faqueri, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo - IFSP

Doutor em Letras (2018) com ênfase em literatura guatemalteca pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, tendo como tema central a estética da violência na obra de Rodrigo Rey Rosa. Participou do PDSE ofertado pela CAPES na Universidad Nacional de Costa Rica. Mestre em Letras também pela Universidade Presbiteriana Mackenzie com ênfase nas literaturas brasileira e argentina, tendo como temas principais os estudos em Mito, Reatualização Mítica, Dialogismo e Hipertextualidade (2013). Graduado em Licenciatura em Letras Habilitação Português/Espanhol pela mesma instituição em 2008. Atualmente é professor EBTT do IFSP - Campus Itaquaquecetuba. Participou da elaboração do Dicionário Digital do Insólito Ficcional (e-DDIF), coordenado pelo prof. Dr. Flavio García, financiado pela UERJ. Participa, desde 2014, do projeto de pesquisa “Encontros Interculturais na EaD: Narrativas de Vidas dos Diferentes Brasis”, coordenado pela Profª. Drª. Cielo Griselda Festino e financiado pela CAPES. Possui experiência em estudos da área de Letras, com ênfase em literaturas brasileira e hispano-americana assim como em Estudos Culturais.

Referências

CORTEZ, Beatriz. Estética del cinismo: Pasión y desencanto en la literatura centroamericana de posguerra. Guatemala: FyG editores, 2010.

CUEVAS MOLINA, Rafael. De Banana Republics a repúblicas maquileras. San José: EUNED, 2012.

DORFMAN, Ariel. Imaginación y violencia en América Latina. Barcelona: Anagrama, 1972.

ESCAMILLA, José Luis. El protagonista en la novela de posguerra centroamericana: desterritorializado, híbrido y fragmentado. El Salvador: Ed. Universidad Don Bosco, 2011.

MACKENBACH, Werner; ORTIZ WALLNER, Alexandra. De (formaciones): violencia y narrativa en Centroamérica. Revista Iberoamericana, 32, p. 81-97, 2008.

ORTIZ WALLNER, Alexandra. El arte de ficcionar: la novela contemporánea en Centroamérica. Madrid: Iberoamericana Editorial Vervuert, 2012.

ORTIZ WALLNER, Alexandra. Poéticas de la violencia en Centroamérica: literatura y nuevas sensibilidades. In: MACKENBACH, Werner; MAIHOLD, Günther (orgs.). La transformación de la violencia en América Latina. Guatemala: F&G Editores, 2015.

ORTIZ WALLNER, Alexandra. Trazar un Itinerario de Lectura: (Des) Figuraciones de la Violencia en una Novela Guatemalteca”. Revista Inter Sedes, 6, p. 135-145, 2003.

REY ROSA, Rodrigo. Imitación de Guatemala: cuatro novelas breves. Ciudad de México: Alfaguara, 2014.

SCHØLLHAMMER, Karl Erik. Cena do crime: violência e realismo no Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: José Olympio, 2013.

Downloads

Publicado

2020-03-01

Edição

Seção

Dossiê 18: Representações da Violência na Literatura