Representações da violência institucional em Infância dos Mortos, de José Louzeiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22409/pragmatizes.v10i18.40416

Palavras-chave:

Violência institucional, Infância dos Mortos, José Louzeiro

Resumo

O presente artigo aborda algumas representações da violência, especialmente em seu caráter institucional, contra crianças e jovens, no romance-reportagem de José Louzeiro: Infância dos Mortos (1977), estabelecendo diálogos com a História e com outras áreas do conhecimento que estudam o tema, como o Direito. Entre os trabalhos cotejados neste artigo estão os de André Gustavo de Paula Eduardo (2013), Elio Gaspari (2002), Marcos Napolitano (2011), Maria Cecília Minayo (2009), Márcio Rogério de Oliveira (2008), Vanessa Chiari Gonçalves (2013) e Michel Foucault (1984, 1987). Assumindo que a literatura está intrinsecamente ligada a fenômenos sociais, pretende-se apurar de que maneira a violência institucional é representada no romance-reportagem, qual é o seu delineamento conceitual, bem como seus desdobramentos e efeitos nos mecanismos de controle social na obra de Louzeiro.

Biografia do Autor

Eloísa Porto C. Allevato Braem, UERJ

PROFESSORA ADJUNTA 40H UERJ FFP

DEPARTAMENTO DE LETRAS

LITERATURA PORTUGUESA

Saron do Amaral Gomes, Graduado em Letras/Literaturas pela Faculdade de Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ-FFP).

Graduado em Letras/Literaturas pela Faculdade de Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ-FFP).

Referências

CANDIDO, Antonio. Textos de intervenção. São Paulo: Ed. Duas Cidades, 2002.

CHAUÍ, M. Uma Ideologia Perversa. Folha de São Paulo, São Paulo, Caderno Mais!,

p. 3,1999, 14 de março.

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS. Assembleia Geral das

Nações Unidas em Paris. 10 dez. 1948. Disponível em https://nacoesunidas.org/wp-

content/uploads/2018/10/DUDH.pdf. Consulta 10/12/2019 às 23h.

DUBET, François. "Sobre a violência e os jovens." Cadernos de Ciências Humanas – Especiaria. v.9, n.15. Santa Catarina: UESC, 2006, p.11-31. Disponível em:

http://www.uesc.br/revistas/especiarias/ed15/15_1_sobre_a_violencia_e_os_jovens

pdf. Consulta em 30/01/2019 às 11h30.

EDUARDO, André Gustavo de Paula. José Louzeiro, do romance-reportagem ao

cinema: estudo da adaptação literária para o audiovisual a partir de Lúcio Flávio e

Infância dos Mortos. Dissertação de Mestrado. Bauru, UNESP, 2013.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: o nascimento da prisão. [Tradução de Raquel

Ramalhete]. Petrópolis: Vozes, 1987.

_____. Microfísica do poder. [Org. e Trad. de Roberto Machado]. 4a ed. Rio de

Janeiro:Graal, 1984.

GASPARI, Elio. A Ditadura Envergonhada. As Ilusões Armadas. São Paulo: Cia da

Letras, 2002a.

_____. A Ditadura Escancarada. As Ilusões Armadas. São Paulo: Cia da Letras,

b.

_____. A Ditadura Derrotada. O Sacerdote e o Feiticeiro. São Paulo: Cia da Letras,

_____. A Ditadura Encurralada. O Sacerdote e o Feiticeiro. São Paulo: Cia da

Letras, 2004.

GONÇALVES, Vanessa Chiari. Rediscutindo a definição do delito de tortura e sua

relação com o crime de maus-tratos. In SANTIAGO, N. E. A. et al. Direito penal e

criminologia. Florianópolis: FUNJAB, 2013.

LOUZEIRO, José. Infância dos mortos. São Paulo: Círculo do Livro, 1977.

_____. Biografia entrevista – José Louzeiro. Entrevista a Estranho Encontro.

Disponível em: http://estranhoencontro.blogspot.com/2006/05/biografia-entrevista

jos-louzeiro.html. Consulta em 30/01/2019 às 10h30.

_____. Literatura comentada / entrevista biográfica por Antônio Roberto Espinosa. São Paulo: Abril Cultural, 1982.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. “Conceitos, teorias e tipologias de violências”. In:

NJAINE, K.; ASSIS, S. G. & CONSTANTINO, P. (Org.). Impactos da Violência sobre

a Saúde. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2009.

_____. “Violência contra crianças e adolescentes: questão social, questão de

saúde”. In: Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil. Vol. 1. Nº 2. Recife: Instituto

de Medicina Integral Professor Fernando Figueira, 2001, p. 91-102.

NAPOLITANO, Marcos. O golpe de 1964 e o regime militar brasileiro: apontamentos

para uma revisão histórica. In: Revista Contemporânea. Historia y problemas Del

siglo XX. ISSN: 1688-7638. Vol. 2. Ano 2. Uruguai, 2011, p. 209-217.

OLIVEIRA, Márcio Rogério de. Violência Institucional no Sistema Socioeducativo:

Quem se Importa? Fórum Permanente do Sistema de Atendimento Socioeducativo

de Belo Horizonte (Org.). Desafios da socioeducação: responsabilização e

integração social de adolescentes autores de atos infracionais. Belo Horizonte:

CEAF, 2008.

SCHØLLHAMMER, Karl Erik. A cena do crime: violência e realismo no Brasil contemporâneo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013.

Downloads

Publicado

2020-03-01

Edição

Seção

Dossiê 18: Representações da Violência na Literatura