A CONCEPÇÃO PEDAGÓGICA E O PROJETO EDUCACIONAL CONSERVADOR E REACIONÁRIO DO MOVIMENTO ESCOLA SEM PARTIDO: UMA CRÍTICA A PARTIR DA FUNÇÃO DE SUBJETIVAÇÃO DO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZADO

Autores

  • Diogo Salles

DOI:

https://doi.org/10.22409/revistaleph.v28i28.39186

Palavras-chave:

Conservadorismo, reacionarismo, subjetivação, educação democrática,

Resumo

Nesse artigo trato dos perigos representados pelas propostas e formas de atuação do Movimento Escola Sem Partido quanto à educação brasileira. Primeiramente, faço uma análise das bases teóricas conservadora e reacionária que sustentam o movimento. Em seguida, proponho desenvolver alternativas de resistência à essas perspectivas com base em Gert Biesta e sua discussão a respeito dos critérios que constituem uma boa educação e, mais especificamente, como a função da subjetivação do processo de ensino-aprendizado pode servir em favor da constituição de um projeto de educação democrática.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-08-17

Como Citar

Salles, D. (2017). A CONCEPÇÃO PEDAGÓGICA E O PROJETO EDUCACIONAL CONSERVADOR E REACIONÁRIO DO MOVIMENTO ESCOLA SEM PARTIDO: UMA CRÍTICA A PARTIR DA FUNÇÃO DE SUBJETIVAÇÃO DO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZADO. RevistAleph Ou Revista Aleph UFF, 28(28). https://doi.org/10.22409/revistaleph.v28i28.39186