Os limites da noção de competência sob a perspectiva da formação humana

Marise Ramos

Resumo


O artigo demonstra os limites da noção de competência na perspectiva da formação humana, confrontando-a com o conceito de qualificação como relação social em três de suas dimensões: experimental, conceitual e social. Afirma que a relevância adquirida pela noção de competência na relação trabalho-educação processa-se como deslocamento conceitual. Demonstra, ainda, que os significados dessa noção fundamentam-se em uma concepção natural-funcionalista de homem e subjetivo-relativista de conhecimento, reforçando o irracionalismo. Finalmente, indica a necessidade de ressignificar a noção de competência coerentemente com uma concepção de mundo comprometida com a realidade da classe trabalhadora, subordinando-a ao conceito de qualificação como relação social. No plano das relações educativas, resgata o princípio da formação omnilateral.

Palavras-chave: competência; qualificação.


Texto completo:

Sem título


DOI: https://doi.org/10.22409/mov.v0i04.87

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 Fontes de indexação:

                                                                              

 

 

Apoio:

 

                                                                  

   

 

                              

 

 

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

click counter
click counter
click counter