A arte de fazer artes: História e histórias

Rosa Maria Cuba Riche

Resumo


Quando Glória Pondé publicou A arte   de  fazer artes  (Nórdica: 1985),  o  campo  de investigação  da  literatura infantil e  juvenil já se  mostrava amplo e fértil ao  pesquisador e permanece a cada dia mais instigante. Desde o espaço de intersecção que caracteriza os territórios do infantil e do juvenil, que faz desaparecer as fronteiras de uma obra e acaba por situá-la na categoria infantojuvenil, os conceitos de infantil, juvenil e criança, que precisam ser pensados como constructos históricos, até a própria configuração estética do gênero; além do modo como as relações de produção e recepção inseridos em um contexto histórico, social, econômico e cultural, nada tem escapado aos olhos dos pesquisadores da área.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.