Gestão Social, Territórios Pacificados e os Desafios da Articulação Institucional

Daniel Ganem Misse

Resumo


Os programas de gestão social em territórios pacificados surgem com a proposta de articular ofertas de serviços públicos a demandas comunitárias por esses serviços em localidades com Unidades de Polícia Pacificadora (UPP). Após grande expansão nos anos de 2011 e 2012, a partir de 2013 a estratégia desses programas passa a ser reduzida em número de gestores e territórios cobertos pela política, até ser descontinuada em 2014. A partir da teoria do triângulo de governo de Carlos Matus e de problematizações acerca da conjugação entre políticas sociais e de segurança pública nas favelas pacificadas, em um sistema político multipartidário de ampla coalizão, procura-se explicar as dificuldades e os desafios da articulação institucional de políticas sociais nesses territórios. Avalia-se o possível legado em termos de tecnologia social produzido pelos programas de gestão social e os desafios na articulação de projetos sociais como forma de se observar os processos e resultados desses programas.


Palavras-chave


Gestão Social; Unidade de Polícia Pacificadora - UPP; Participação Social; Articulação Institucional; Direcionamento.

Texto completo:

PDF EPUB

Referências


ABRANCHES, Sérgio. Presidencialismo de Coalizão, O dilema Institucional Brasileiro. Dados. Col.31, n.1, 1998.

AGUILLAR, Fernando Herren. Controle social de serviços públicos, SP: Limonad, 1999.

ARRETCHE, Marta. Tendências no estudo sobre avaliação. In: RICO, Elizabeth Melo (Org.). Avaliação de políticas sociais: uma questão em debate. São Paulo: Cortez, 1998. p. 29-39.

____. Políticas Sociais No Brasil: descentralização em um Estado federativo. RBCS Vol. 14 no 40 junho, 1999.

____. Federalismo E Políticas Sociais No Brasil: problemas de coordenação e autonomia. SÃO PAULO EM PERSPECTIVA, 18(2): 17-26, 2004.

AVRITZER, L. 2002. O orçamento participativo: as experiências de Porto Alegre e Belo Horizonte. In: DAGNINO, E. (org.). Sociedade civil e espaços públicos no Brasil. São Paulo: Paz e Terra.

_____. 2007. Sociedade civil, instituições partici- pativas e representação: da autorização à legitimidade da ação. Dados, Rio de Janeiro, v. 50, n. 3, p. 443-464. Disponível em: http:// www.scielo.br/pdf/dados/v50n3/01.pdf. Acesso em: 12.nov.2016.

BRESSER PEREIRA, Luiz Carlos. Do Estado patrimonial ao gerencial. In SACHS, Ignacy. WILHEIM, Jorge e PINHEIRO, Paulo Sérgio (orgs.). Brasil um século de transformações. SP: Cia das Letras, 2001, p.222-259.

CANÇADO. A. C.; TENÓRIO. F.G.; PEREIRA. J.R. Gestão Social: reflexões teóricas e conceituais. In: Cadernos EBAPE. BR, v.9, no3, p.681-703, Rio de Janeiro, Set. 2011.

EASTONE, D. A Framework for Political Analysis. Englewood Cliffs: Prentice Hall. 1965.

FERNANDES, R.; PAZELLO, Elaine Toldo. Avaliação de Políticas Sociais: Incentivos Adversos, Focalização e Impacto. In: Lisboa, M. B; Menezes- Filho. (Org.). Microeconomia e Sociedade no Brasil. Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria, 2001.

FISCHER, Tânia M. D.; MELO, Vanessa P. Programa de Desenvolvimento e Gestão Social: uma construção coletiva. In: FISCHER, T.; ROESCH, S.; MELO, V. P. Gestão do desenvolvimento territorial e residência social: casos para ensino. Salvador: EDUFBA; Ciags/UFBA, p. 13-41, 2006.

FISCHER. (org). Gestão do desenvolvimento e poderes locais: marcos teóricos e avaliação. Salvador: Casa da Qualidade, 2002.

FRANÇA FILHO, G. C.. Definindo Gestão Social. In: SILVA JR, J.T; MÂISH, R. T; CANÇADO, A. C. Gestão Social: Práticas em debate, teorias em construção. Fortaleza: Imprensa Universitária, 2008.

GENRO, T. Co-gestão: reforma democrática do Estado. In: FISCHER, N. B.; MOLL, J. (Orgs.). Por uma nova esfera pública: a experiência do orçamento participativo. Petrópolis: Editora Vozes, 2000.

GOHN, M. G. História dos movimentos e lutas sociais: a construção da cidadania pelos brasileiros. São Paulo: Loyola, 1995.

GONDIM, S. M. G.; FISCHER, T. M. D.; MELO, V. P. Formação em Gestão Social: um olhar crítico sobre uma experiência de pós-graduação. ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO (ENANPAD), 30, 2006, Salvador. Salvador: ANPAD , 2006.

HENRIQUES, Ricardo e RAMOS, Sílvia. UPPs Social: ações sociais para a consolidação da pacificação. Disponível em: http://www.ie.ufrj.br/datacenterie/pdfs/seminarios/pesquisa/texto3008.pdf. Acessado em: 10/12/2016.

Iizuka, Edson Sadao; Junqueira, Luciano A. Prates. Produção acadêmica em gestão social. Anais do ENAPEGS de 2007 a 2012. Salvador, Anais do XII Colóquio de Poder Local. CIAGS. Escola de Administração – UFBA, 2012.

JACOBI, P. Políticas sociais e ampliação da cidadania. Rio de Janeiro: Editora da FGV, 2000.

LOWI, Theodor. Four Systems of Policy, Politics, and Choice. Public Administration Review, 32: 298-310. 1972.

MATUS, C. Política, planejamento e governo. Brasília: Editora IPEA, 1993.

MEDEIROS, Carlos Aguiar. Os Impactos da Crise Econômica, políticas sociais e transição democrática. In Revista de Administração Pública, 23 (3), Rio de Janeiro, Maio/Julho, 1989.

MELO, Marcus André B. C. de. Ingovernabilidade: desagregando o argumento. In VALLADARES, Licia e COELHO, Magda Prates (orgs.). Governabilidade e pobreza no Brasil. RJ: Civilização Brasileira, 1995.

____. As sete vidas da agenda pública brasileira. In: RICO, Elizabeth Melo (Org.). Avaliação de políticas sociais: uma questão em debate. São Paulo: Cortez, 1998. p. 11-28.

MISSE, Daniel. Políticas Sociais em Territórios Pacificados. Tese de Doutorado defendida junto ao PPGSD/UFF, 2013.

____. Os Programas de Gestão Social em Territórios Pacificados In: Confluências - Revista Interdisciplinar de Sociologia e Direito. Vol. 15, no 1. 2013. pp. 11-22.

____. Políticas Sociais e Segurança Pública em Territórios Pacificados - uma discussão. In: DEL RIO, Andres. Políticas Públicas e Cidadania, Rio de Janeiro: 2016.

NEVES, Jorge A.B. e HELAL, Diogo H. Como Pode Ter Dado Certo? Insulamento burocrático, inserção social e políticas públicas no Brasil: o caso do bolsa família In FAHEL, Murilo e NEVES, Jorge A.B. Gestão e Avaliação de Políticas Sociais no Brasil. PUC Minas – Belo Horizonte: 2007.

NUNES, Edson. A Gramática Política do Brasil. Clientelismo e Insulamento Burocrático. ENAP/Zahar, 1997.

OLIVEIRA, Roberto Souza Greenhalgh. Agenda social nos territórios pacificados: um estudo sobre o Programa Territórios da Paz à luz da construção teórica em gestão social. Dissertação de Mestrado - Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas, Centro de Formação Acadêmica e Pesquisa. 2014.

OLSON, Mancur. The Logic of Collective Action. Cambridge, Mass.: Harvard University Press. 1965.

PAES DE PAULA, A. P. Administração pública brasileira entre o gerencialismo e a gestão social. Revista de Administração Pública (RAP), Rio de Janeiro, 45 (1), p. 36-49, jan. 2005.

RODRIGUES, A, SIQUEIRA, R. e LISSOVSKY, M. (orgs.). Unidades de Polícia Pacificadora. Comunicações ISER, n. 62. Ano 31 – 2012.

SIMON, Herbert. Comportamento Administrativo. Rio de Janeiro: USAID. 1957.

SOUZA, Celina. “Estado do campo” da pesquisa em políticas públicas no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 18, n. 51, p. 15-20, fev. 2003.

MACHADO DA SILVA, Luis Antonio. A política na favela. Cadernos Brasileiros, v. 9, n. 3., 1967.

SOUZA SANTOS, B. A reinvenção solidária e participativa do Estado. In: BRESSER-PEREIRA, L. C.; WILHEIM, J.; SOLA, L. Sociedade e Estado em transformação. São Paulo: Unesp; Brasília: ENAP, 1999.

SPINK, P. The rights approach to local public management: experiences from Brazil. Revista de Administração de Empresas, v. 40, n. 3, p. 45-65, 2000.

SKIDMORE, David. Sociedade civil, capital social e desenvolvimento econômico. In ABREU, Alzira Alves. Transições em fragmentos: desafios da democracia no final do século XX. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2001.

TENÓRIO, Fernando G. Gestão Social: Uma perspectiva conceitual In: Revista de Administração Pública, v.32, no 5, p. 7 – 23 set/out, 1998.

____. Flexibilização organizacional, mito ou realidade? 2. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2002.

____. (Re)visitando o conceito de gestão social. Desenvolvimento em Questão, Ijuí - RS, v. 3, no5, p. 101-124, 2005.

WEBER, Max. Economia e sociedade. Vol.2. UnB ed.: São Paulo, 2004.




DOI: https://doi.org/10.22409/conflu19i1.p516

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Confluências | Revista Interdisciplinar de Sociologia e Direito



A Revista Confluências é Qualis B1.

Esta revista encontra-se indexada em:

 

Resultado de imagem para bielefeld base