O SILÊNCIO DA FAMÍLIA E DA ESCOLA FRENTE AO DESAFIO DA SEXUALIDADE NA ADOLESCÊNCIA

Luciana Uchôa Barbosa, Cátia Silene Carrazoni Lopes Lopes, Bernardina Santos Araújo de Sousa, Vanderlei Folmer

Resumo


Este trabalho objetivou pesquisar a concepção de educandos dos anos finais do ensino Fundamental, sobre sexualidade, a abordagem de pais ou responsáveis e a escola sobre essa questão, buscando identificar a principal fonte de informação sobre essas discussões. Assim como, identificar o desenvolvimento da educação sexual na escola. A pesquisa caracteriza-se por ser qualitativa, como instrumento de coleta de dados utilizou-se questionários com questões fechadas e abertas e a análise dos dados foi utilizada a Análise de Conteúdo de Bardin. Os resultados indicaram que a maioria das concepções sobre o que é sexualidade não condiz com o conceito científico do termo, relacionando – o ao ato sexual, doenças sexualmente transmissíveis e afetividade. Apontaram também que pais e responsáveis abordam essa questão de maneira tímida e com tabus e que as informações atuais que possuem sobre essa questão advêm de diversas fontes. Conclui-se assim, que o tema sexualidade, apesar ser amplamente discutido na academia, no espaço nas discussões familiares, na educação básica e na sociedade como um todo são incipientes e distorcidas. Desta forma, pode-se perceber uma abordagem fragilizada referente a sexualidade, direcionadas para os aspectos preventivos e biologizadas, perpetuando o silêncio das discussões acerca da sexualidade na adolescência. Sendo necessário ampliar as discussões sobre o conceito de sexualidade, na promoção da saúde e prevenção dos riscos e vulnerabilidades inerentes à adolescência.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/resa2019.v12i2.a21625

Apontamentos

  • Não há apontamentos.