Capacitação de Gestores em Programa de Prevenção à Violência Comunitária

Anelise Lopes Rodrigues, Jorge Castellá Sarriera

Resumo


A dificuldade em aliar teoria à prática tem sido preocupação constante entre estudantes e profissionais que atuam em políticas sociais. Nesse trabalho serão abordados aspectos teórico-metodológicos da psicologia comunitária que subsidiaram o processo de capacitação de uma equipe gestores no âmbito do Programa de Prevenção da Violência do Estado do Rio Grande do Sul (em parceria com a UNESCO), com vistas à realização de um Diagnostico Situacional numa comunidade socialmente vulnerável. Os encontros de capacitação propiciaram aos gestores um espaço de reflexão, contribuindo para a construção de um olhar mais crítico e menos estigmatizado acerca do problema da violência.


Palavras-chave


psicologia comunitária; políticas sociais; violência; políticas públicas

Texto completo:

PDF

Referências


ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO RIO GRANDE DO SUL. Plano Operativo do Programa de Prevenção da Violência. Porto Alegre, ESP/RS, 2008.

FREITAS, M. F. Q. Inserção na comunidade e análise de necessidades: reflexões sobre a prática do psicólogo. Psicologia Reflexão e Crítica, Porto Alegre, v. 11, n. 1, p. 175-189, mar./abr. 1998.

GOMES, R. et al. Êxitos e limites na prevenção da violência: estudo de caso de nove experiências brasileiras. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 11, n. 2, 2006. p. 397-408. Disponível em: . Acesso em: 7 mar. 2012

HOLLIDAY, O. J. Para sistematizar experiências. 2. ed. Brasília: MMA, 2006.

HUERTAS, F. Entrevista com Matus. São Paulo: FUNDAP, 1996.

KELLY, J. G. et al. Psicologia comunitária: el enfoque ecológico contextualista. Buenos Aires: Centro Editor de América Latina, 1992.

MATUS, C. Adeus, senhor presidente: governantes governados. São Paulo: FUNDAP, 1997.

MATUS, C. Teoria de la produción y el juego social. Isla Negra: Altadir, 1998.

MILITÃO, A.; MILITÃO, R. Jogos, dinâmicas & vivencias grupais: como desenvolver sua melhor “técnica” em atividades grupais. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2002.

MINAYO, M. C. de S.; SOUZA, E. R. Violência e saúde como um campo interdisciplinar e de ação coletiva. História, Ciências, Saúde – Manguinhos, Rio de Janeiro, v. IV, n. 3, p. 513-531, nov. 1997 - fev. 1998.

MONTERO, M. A Tensão entre o fortalecimento e as influências alienadoras no trabalho psicossocial comunitário e político. In: GUZZO, R. S. L.; LACERDA JR., F. (Org.). Psicologia e Sociedade: interfaces no debate da questão social. Campinas, SP: Alínea, 2010. p. 65-81.

NOLETO, M. J. Fortalecendo competências: formação continuada para o Programa Abrindo Espaços: educação e cultura para a paz. Brasília: UNESCO/Fundação Vale, 2008.

ORGANIZACIÓN MUNDIAL DE LA SALUD. Informe mundial sobre la violencia y la salud: resumen. Washington, DC: OMS, 2002.

RIO GRANDE DO SUL. Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul. Decreto nº 44.907, de 27 de fevereiro de 2007. Cria a Câmara Setorial de Segurança e Prevenção da Violência e dá outras providências. 2007a. Disponível em: < http://www.al.rs.gov.br/Legis/M010/M0100099.ASP?Hid_Tipo=TEXTO&Hid_TodasNormas=50460&hTexto=&Hid_IDNorma=50460>. Acesso em: 14 jul. 2011.

RIO GRANDE DO SUL. Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul. Decreto n° 44.908, de 27 de fevereiro de 2007. Institui o Comitê Estadual para a Prevenção da Violência no Estado do Rio Grande do Sul. 2007b. Disponível em: < http://www.al.rs.gov.br/legis/M010/M0100099.ASP?Hid_Tipo=TEXTO&Hid_TodasNormas=50461&hTexto=&Hid_IDNorma=50461>. Acesso em: 14 jul. 2011.

ROLIM, M. Mais educação, menos violência: caminhos inovadores do programa de abertura das escolas públicas nos fins de semana. Brasília: UNESCO/Fundação Vale, 2008.

SARRIERA, J. C. A intervenção social: suas origens, aspectos éticos, conceituais e metodológicos. In: CENCI, C. M. B.; MAURINA, L. R. C.; WAGNER, M. F. (Org.). Intervenções da psicologia: transitando em diferentes contextos. Passo Fundo: IMED, 2009. p. 13-24.

SARRIERA, J. C. Análise de necessidades de um grupo ou comunidade: avaliação como processo. In: SARRIERA, J. C.; SAFORCADA, E. T. (Org.). Introdução à Psicologia Comunitária: bases teóricas e metodológicas. Porto Alegre: Sulina, 2010. p. 141-154.

TAVARES DOS SANTOS, J. V. et al. Mapa social da violência: cartografias sociais dos crimes e das violências no Rio Grande do Sul. Rio Grande do Sul: UFRGS, 2009. Relatório de Pesquisa.

VASCONCELOS, E. O poder que brota da dor e da opressão: empowerment, sua história, teorias e estratégias. Rio de Janeiro: Paulus, 2004.

VAZQUEZ, A. S. Filosofia da práxis. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1968.

XIMENES, V. M.; PAULA, L. R. C.; BARROS, J. P. P. Psicologia Comunitária e Política de Assistência Social: diálogos sobre atuação em comunidades. Psicologia Ciência e Profissão, Brasília, v. 29, n. 4, p. 686-699, out./dez. 2009.

YAMAMOTO, O. H; OLIVEIRA, I. F. Política social e psicologia: uma trajetória de 25 anos. Psic: Teor. e Pesq., Brasília, v. 26, n. spe, p. 9-24, 2010. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: