Discursos sobre o outro: Caliban e o mito do homem selvagem

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22409/cadletrasuff.2020n60a766

Palavras-chave:

Mito do homem selvagem. Memória. Alteridade.

Resumo

O presente artigo propõe uma leitura sobre o mito do homem selvagem (Roger Bartra), a partir da personagem Caliban, de A tempestade, de Shakespeare. Com essa análise, busca-se discutir o mito como significativo para as memórias perpetradas a respeito do ‘outro”, ou do não-civilizado no contexto ocidental. Assim, interessa para essas reflexões a hermenêutica da condição histórica e do sujeito, com base na memória coletiva fixada por determinado imaginário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BARTRA, Roger. El mito del salvaje. Fondo de cultura económica. México, 2011.
BARTRA, Roger. El salvaje artificial. Universidad Nacional Autónoma de México, Ediciones Era: México, 1997.
BARTRA, Roger. El salvaje en el espejo. Destino: Barcelona, 1992.
BARTRA, Roger. Entrevista con Roger Bartra. Letras Libres, 2004.
BERNHEIMER, Richard. Wild men in the Middle Ages. Cambridge: Harvard University Press, 1952; Nova Iorque: Octagon books, 1979.
BLOOM, Harold. Shakespeare: a invenção do humano. Tradução de José Roberto O´Shea. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.
CHESTERTON, Gilberth Keith. Shakespeare, o católico, e Milton, o protestante. Traduzido por Márcia Xavier de Brito. London News, 1907 [2013].
ELIADE, Mircea. Mito e realidade. Sao Paulo: Perspectiva, 1972.
LE GOFF, Jacques. História e memória. 3. ed Campinas: Ed. da UNICAMP, 1994.
RICOUER, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Tradução: Alain François. Campinas: Editora da Unicamp, 2007.
SAHLINS, Marshall. Metáforas históricas e realidades míticas: Estrutura nos primórdios da história do reino das ilhas Sandwich. Editora Zahar: Rio de Janeiro, 2008.
SHAKESPEARE, William. A tempestade. Tradução interlinear, introdução e notas, Elvio Funck. Porto Alegre: Movimento: EDUNISC, 2018.
VALBUENA-BRIONES, Ángel. Perspectiva crítica de los dramas de Calderón. Madrid: Rialp, 1965.

Downloads

Publicado

2020-07-16