Yves Bonnefoy e a poesia em presença

Autores

  • Leila de Aguiar Costa Depto. de Letras/Programa de Pós-Graduação em Letras - Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da UNIFESP

DOI:

https://doi.org/10.22409/cadletrasuff.v31i61.44136

Palavras-chave:

Yves Bonnefoy. Presença. Finitude. Haicai.

Resumo

Poeta contemporâneo francês, Yves Bonnefoy é autor de vasta obra poética e de textos críticos sobre poesia, artes e tradução. A proposta desse artigo é enunciar algumas observações sobre o leitmotiv que anima sua variada produção poético-crítica, qual seja, aquele da presença ─ e seus sinônimos bonnefidianos de finitude, de imediatez, de ser-no/com-o-mundo. Esse leitmotiv, hipótese que aqui será feita, é marca primeira, segundo Bonnefoy, do modo poético conhecido como haicai. Aqui e acolá, lateralmente, serão igualmente assinaladas, a título sugestivo, algumas relações com a poesia de Manoel de Barros e de Paulo Leminski, cujos poemas, em alguns casos, carregariam, eles também, a marca da presença. Importa observar, em termos metodológicos, que esse artigo envereda pelos caminhos de uma crítica de simpatia, modo mais afeito a respeitar a perspectiva bonnefidiana sobre a poesia (em presença/da presença).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leila de Aguiar Costa, Depto. de Letras/Programa de Pós-Graduação em Letras - Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da UNIFESP

Possui mestrado em Letras (Língua e Literatura Francesa) pela Universidade de São Paulo (1990) e doutorado em Sciences du Langage - École des Hautes Études en Sciences Sociales, Paris-França(1997). Realizou três pós-doutorados: inicialmente, pela Universidade de Lisboa (subvenção Instituto Camões); em seguida, pelo Departamento de Letras Modernas da UNESP/Araraquara (subvenção CNPq); finalmente, pelo Instituto de Estudos da Linguagem da UNICAMP (subvenção FAPESP), tendo suas pesquisas vinculadas ao Projeto Temático FAPESP Biblioteca Cicognara e a Constituição da Tradição Clássica, de iniciativa do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da UNICAMP, e coordenado seu "Núcleo Letras".  Sua atuação acadêmica se dá na área de Letras, com ênfase em Teoria Literária, Literatura Francesa e Literatura Comparada, envolvendo-se principalmente com os seguintes temas: gêneros romanesco e teatral, sistemas de representação literária e artística do Seiscentos ao Novecentos, relações entre Literatura e Outras Artes. Atualmente, é docente no Curso de Letras, na área de Estudos Literários, da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). É igualmente docente credenciada do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal de São Paulo. Desenvolve atualmente projeto de pesquisa sobre as poéticas da presença em Manoel de Barros e Yves Bonnefoy. Foi Bolsista Produtividade em Pesquisa do Fundo de Auxílio aos Docentes e Alunos (FADA) da UNIFESP. É ainda tradutora no Brasil de diversos autores franceses, com destaque para Stendhal, Balzac, Maupassant e Atiq Rahimi.

Referências

ANDRESEN, Sophia de Mello Breyner. Poemas escolhidos. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

AUREVILLY, Barbey. Les Poètes. Paris: Alphone Lemaire, 1893.

BARROS. Manoel. Poesia completa. São Paulo: Leya, 2010.

BISHOP, Michäel. Préface. In: LEUWERS, Daniel. Yves Bonnefoy. Amsterdã: Rodopi, 1988, p.5. Disponível em: https://books.google.com.br/books?id=3M47gfLkS_wC&pg=PA12&lpg=PA12&dq=Sur+le+concept+de+lierre,+Bonnefoy&source=bl&ots=D2LFfXVkbi&sig=ACfU3U1EXPPlX50g9I--PnXKGphSeRivCw&hl=pt-BR&sa=X&ved=2ahUKEwi3hIWc6eDoAhXnGLkGHbdiBuYQ6AEwA3oECAsQPw#v=onepage&q=Sur%20le%20concept%20de%20lierre%2C%20Bonnefoy&f=false Acesso em: 11/04/2020.

BONNEFOY, Yves. Entretien avec Fabio Scotto. Europe, juin-juillet 2003, pp. 49-63 [nº dedicado a Yves Bonnefoy].

________________ . Entretiens sur la poésie (1972-1990). Paris: Mercure de France, 1990.
_________________ . L’improbable et autres essais. Paris: Gallimard, 1980.

________________ . L’inachevable. Entretiens sur la poésie 1990-2010. Paris: Albin Michel, 2010.
_________________ . La longue chaîne de l’ancre. Paris: Mercure de France, 2008.

_________________ . Les planches courbes. Paris: Gallimard, 2001.

_________________ . La vérité de parole et autres essais. Paris: Gallimard, 1995.

LEMINSKI, Paulo. Poesia Toda. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

LUSSY, Florence. Essais sur la poésie et la poétique. Yves Bonnefoy. Livres et documents. Paris: Bibliothèque Nationale/Mercure de France, 1992, pp.153-176.

MARTY, Éric. Roland Barthes. O ofício de escrever. Rio de Janeiro: Difel, 2009.

MELO NETO, João Cabral. ‘Da função da poesia moderna”. Disponível em https://esmeril.milharal.org/2018/12/11/da-funcao-da-poesia-moderna/. Acesso em: 26/03/2020.

NAUGHTON, John. L’indomptable espoir. Europe, juin-juillet 2003, pp.151-155 [nº dedicado a Yves Bonnefoy].

MUNIER, Roger. L’infini de la finitude. Europe, juin-juillet 2003, pp.40-48 [nº dedicado a Yves Bonnefoy].

PESSOA, Fernando. Obra poética. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1981.

PONGE, Francis. Méthodes. Paris: Gallimard, 1961.

Downloads

Publicado

2020-12-15

Edição

Seção

Dossiê