Se a aula é de poesia, que tal uma experiência literária com o poetry slam?

Autores

  • Kátia Rodrigues Mello Miranda Universidade Estadual Paulista - UNESP
  • João Ricardo Vieira Santos Ribeiro Universidade Estadual Paulista - UNESP

DOI:

https://doi.org/10.22409/cadletrasuff.v31i61.44159

Palavras-chave:

literatura, linguagem, estudos de literatura

Resumo

A importância da poesia para o desenvolvimento do ser e da sociedade é consenso no meio educacional, entretanto, pesquisas (PINHEIRO, 2007; GEBARA, 2002, dentre tantas outras) certificam a pouca expressividade do seu ensino para a formação literária dos alunos. Em face dessa constatação, e sem a intenção de negar o valor do cânone ou reverberar uma discussão já recorrente a seu respeito, nosso objetivo é, de maneira geral, refletir sobre o corpus de produções líricas selecionado pela escola, o qual concordamos que precisa ser ampliado. Para isso, como alternativa para um trabalho significativo com a poesia em sala de aula, apresentamos o Poetry Slam, que nos últimos anos vem ganhando espaço na esfera de manifestações literárias orais, por meio das suas chamadas ‘batalhas” de poesias faladas, nas quais os autores declamam de maneira performática seus textos, no tempo de três minutos, sem o uso de recursos cênicos. Considerando a viabilidade do ensino do slam, sob a ótica do letramento literário propomos uma sequência básica, elaborada a partir dos pressupostos de Cosson (2014) e passível de aplicação no Ensino Médio, que, dentre outras possibilidades, resulte no combate ao racismo e empoderamento individual dos alunos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Kátia Rodrigues Mello Miranda, Universidade Estadual Paulista - UNESP

Doutora em letras pela UNESP. Docente do Departamento de Letras Modernas - Área de Espanhol da Faculdade de Ciências e Letras de Assis UNESP.

João Ricardo Vieira Santos Ribeiro, Universidade Estadual Paulista - UNESP

Graduado em Letras-Português/Espanhol pela Universidade Estadual Paulista. Aluno Especial do Programa de Pós-Graduação "Literaura e Vida Social", da Faculdade de Ciências e Letras de Assis-UNESP.

Referências

BUSE, Bianca. A disciplina de Literatura no Ensino Médio e a (de)formação do leitor. In: Anais do VI Colóquio ‘Ensino Médio, História e Cidadania”, v. 1, n. 1, 2011, Florianópolis. Anais […]. Florianópolis: UDESC/FAED/Grupo de Pesquisa Sociedade, Memória e Educação, 2011, p. 1-13.
CANDIDO, Antonio. O direito à literatura. In: ______. Vários escritos. 6. ed. Rio de Janeiro: Outro sobre azul, 2017. p. 171-193.
COSSON, Rildo. Letramento Literário: teoria e prática. São Paulo: Contexto, 2014.
D’ALVA, Roberta Estrela. Um microfone na mão e uma ideia na cabeça – o poetry slam entra em cena. Synergies Brésil. n. 9, p. 119-126, 2011.
DANTAS, Lucimar Américo. Poetry Slam: uma experiência com a linguagem poética e seus vínculos com a cultura e a vida. 2019. 265f. Dissertação (Mestrado Profissional) - Universidade Federal de Uberlândia, Programa de Pós-graduação em Letras (PROFLETRAS), Uberlândia, 2019.
ELIOT, Thomas Stearns. A função social da poesia. In:______. A essência da poesia: estudos & ensaios. Trad. Maria Luiza Nogueira. Rio de Janeiro: Artenova, 1972. p. 28-43.
FAILLA, Zoara (org.). Retratos da leitura no Brasil 4. Rio de Janeiro: Sextante, 2016.
GEBARA, Ana Elvira Luciano. O poema, um texto marginalizado. In: BRANDÃO, Helena. et al. Aprender e ensinar com textos didáticos e paradidáticos. 4. ed. v. 2. São Paulo: Cortez, 2002. p. 143-166.
GRASSI, Marilu. Uma sequência didática do gênero poema: desafios e possibilidades para o letramento literário. 2015. 110 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Letras, Cascavel, 2015.
MARTHA, Alice Áurea Penteado. Literatura infantil: a poesia. In: FERREIRA, E. A. G. R. et. al. (org.). Formação de mediadores de leitura: módulos 1 e 2. Assis: ANEP, 2015. p. 115-130.
MIRANDA, Claudia de Azevedo. Aubervilliers e cooperativa: o olhar pós-urbano da periferia sobre a cidade. 2015. 122 f. Dissertação (Mestrado) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2015.
MOISÉS, Carlos Felipe. Poesia não é difícil: introdução à análise do texto poético. Porto Alegre: Artes e Ofícios, 1996.
NEVES, Cynthia Agra de Brito. Slams: letramentos literários de reexistência ao/no mundo contemporâneo. Linha D’Água, São Paulo, v. 30, n. 2, p. 92-112, out. 2017.
OLIVEIRA, Rejane Pivetta de. Literatura marginal: questionamentos à teoria literária. Ipotesi, Juiz de Fora, v. 15, n. 2 – Especial, p. 31-39, jul/dez/ 2011.
PAIXÃO, Fernando. O que é poesia. 3. ed. São Paulo: Brasiliense, 1984.
PINHEIRO, Hélder. Poesia na sala de aula. Campina Grande: Bagagem, 2007.
SÃO PAULO (Estado). Proposta Curricular do Estado de São Paulo: linguagens, códigos e suas tecnologias; Coord. geral: Maria Inês Fini; Coord. de área: Alice Vieira. 2. ed. São Paulo: Secretaria da Educação, 2011.
SANTOS, Sandro Prado. Diálogos contra o racismo: o valor da diferença. Portal do Professor, 10 dez. 2009. Disponível em: <http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=15375>. Acesso em: 12 maio 2020.
SOUZA, Renata Junqueira de; COSSON, Rildo. Letramento literário: uma proposta para a sala de aula. São Paulo: UNESP/UNIVESP, 2013, p. 101-107. Disponível em: http://www.acervodigital. unesp.br/bitstream/123456789/40143/1/01d16t08.pdf. Acesso em: 28 maio 2020.
STELLA, Marcello Giovanni Pocai. A batalha da poesia: o slam da Guilhermina e os campeo¬natos de poesia falada em São Paulo, Ponto Urbe – Revista do núcleo de antropologia urbana da USP, São Paulo, n. 17, p. 1-18, dez 2015.
VIANA, Lidiane. Poetry slam na escola: embate de vozes entre tradição e resistência. 2018. 165 f. Dissertação (Mestrado em Letras) - Universidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências e Letras, Assis, 2018.
WALTY, Ivete. Reflexões sobre a poesia. In: PAULINO, G.; WALTY, I. (org.). Teoria da Literatura na Escola. Belo Horizonte: Editora Lê, 1994. p. 85-93.

Downloads

Publicado

2020-12-15

Edição

Seção

Dossiê