A afirmação do personalismo jurídico na judicialização da educação em Florianópolis

Treicy Giovanella

Resumo


Este artigo tem o objeto de caracterizar a judicialização da educação em Florianópolis por meio de uma pesquisa com 43 processos envolvendo este tema na 25a Promotoria de Justiça do Ministério Público da Capital. A partir da análise dos dados contatou-se que como aspectos principais da judicialização da educação é possível destacar um movimento de privilégio da fase pré-processual (extrajudicial), uma afirmação do personalismo de atuação e um lento processo de construção de conhecimento prático e técnico acerca da realidade escolar. A denúncia de origem dos processos analisados vem principalmente do próprio Ministério Público e ressignifica a instituição como aquele que fornece resposta para agente em destaque nas relações entre a justiça e a educação. O estudo é resultado de uma dissertação de mestrado na qual foram analisados os processos desta promotoria no que tange seus argumentos de abertura e encerramento.


Palavras-chave


Judicialização da educação, 25a Promotoria, Ministério Público.

Texto completo:

PDF EPUB

Referências


ARANTES, Rogério Bastos. Ministério Público e política no Brasil. São Paulo: Sumaré, 2002. 328 p.

BARRETO, A. M. R. F. A educação infantil no contexto das políticas Públicas, Revista Brasileira De Educação, n.24, p. 53-65 Set/Out/Nov/Dez 2003.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1989.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, 05 out. 1988.

COLÉGIO DE PROCURADORES DE JUSTIÇA (Estado). Ato nº 249, de 29 de maio de 2013. Fixa As Atribuições da 25ª Promotoria de Justiça da Comarca da Capital. Florianópolis, 2013.

DAROS, Maria das Dores. A sociologia na constituição do campo Educacional Brasileiro e a pesquisa em Sociologia da Educação. In: XI ANPED SUL - REUNIÃO CIENTÍFICA REGIONAL DA ANPED, 2016, Curitiba. Anais ANPED. Curitiba: S/ed., 2016. p. 1 – 21.

FALCÃO, Joaquim; ARGUELHES, Diego Werneck. Onze Supremos: todos contra o Plenário. In: Onze Supremos: o Supremo em 2016. FALCÃO, Joaquim; ARGUELHES, Diego Werneck; RECONDO, Felipe (orgs.). Belo Horizonte: Letramento: Casa do Direito: Supra: Jota: FGV Rio, p. 20-28, 2017.

GIOVANELLA, Treicy. A educação no Ministério Público de Santa Catarina. 2017. 127 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Programa de Pós-graduação em Sociologia Política, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2017.

MPEDUC. Conheça o Ministério Público pela Educação: Apresentação. Disponível em: . Acesso em: março, 2016

OLIVEIRA, Rafaela Reis Azevedo de. Judicialização da educação: a atuação do Ministério Público como mecanismo de exigibilidade do direito à educação no município de Juiz de Fora. 2011. 194 f. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2011.

ROSA, Mariete Félix. A educação das crianças em idade pré-escolar em Campo Grande-MS (1980-1992). Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo. São Paulo, 1999.

SILVA, Cátia Aida. Justiça em Jogo: Novas facetas da atuação dos promotores de justiça. Editora da Universidade de São Paulo: São Paulo, 2001.

SILVEIRA, Adriana Aparecida Dragone. Direito à educação e o Ministério Público: uma análise da atuação de duas promotorias de justiça da infância e juventude do interior paulista. 2006. 263 f. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

TATE, Neal; VALLINDER, Torbjörn. The global expansion of judicial power. New York: New York University Press. 1995.

VALLINDER, Torbjörn. The judicialization of politics – A world wide phenomenon: Introduction. International Political Science Review. Vol. 15, n. 2, p. 91-99, 1994.

VIANNA, Luiz Werneck; BURGOS, Marcelo. Revolução processual do direito e democracia progressiva. In: VIANNA, Luiz Werneck (Org.). A democracia e os três poderes no Brasil. Belo Horizonte: UFMG, 2002. p. 337-491.

VIANNA, Luiz Werneck., CARVALHO, Maria Alice Rezende de Carvalho., MELO, Manuel Palácios Cunha., BURGOS, Marcelo Baumann. A judicialização da política e das relações sociais no Brasil. Rio de Janeiro: Revan. 2014.

VIANNA, Luiz Werneck., CARVALHO, Maria Alice Rezende de Carvalho., MELO, Manuel Palácios Cunha., BURGOS, Marcelo Baumann. Corpo e Alma da Magistratura Brasileira. Rio de Janeiro: Revan, 3 ed. 1997.




DOI: https://doi.org/10.22409/conflu18i3.p478

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 Confluências | Revista Interdisciplinar de Sociologia e Direito



/A Revista Confluências é Qualis B1.

Esta revista encontra-se indexada em:

Resultado de imagem para bielefeld base