ALÉM DA TEORIA MARXISTA CLÁSSICA: UMA ANÁLISE DO MARXISMO ECOLÓGICO

Cristiane Borborema Chaché

Resumo


As crises ambientais atuais remetem a crítica ao modelo capitalista da sociedade. Compreender a teoria social desenvolvida pelo filósofo alemão Karl Marx, crítico absolto do capitalismo, a partir da vertente ecológica é um mecanismo para compreensão da sociedade contemporânea. O presente trabalho foi desenvolvido com o objetivo de reunir os principais aspectos da teoria marxista em relação à natureza, desde sua correlação com os conceitos desenvolvidos por Marx, tais como metabolismo e alienação até pelas definições expressas da natureza pelo autor. A partir do desenvolvimento desses conceitos e, em especial, o conceito de natureza para Marx, buscou-se analisar as propostas atuais de marxismo ecológico, fundamentadas nas ideias marxistas clássicas. Por fim, procurou-se avaliar quais foram as efetivas contribuições marxistas na luta contra a crise ambiental.


Palavras-chave


Crise Ambiental; Ecologia; Marxismo e Marxismo Ecológico.

Texto completo:

PDF

Referências


ALTVATER, Elmar. Existe um marxismo ecológico? In: BORON, Atílio; AMADEO, Javier; GONZÁLEZ, Sabrina (orgs). A teoria marxista hoje: problemas e perspectivas. Buenos Aires: CLACSO, 2006, pp. 327-349.

CANTOR, Renan Vega. Marx, a ecologia e o discurso ecológico. In.: NÓVOA, Jorge (Org.). O Incontornável Marx. Salvador: EDUFBA; São Paulo: Editora UNESP, 2007. p. 99-116.

COUTO, Hildo Honório do. Ecolinguística: estudo das relações entre língua e meio ambiente. Brasília: Thesaurus, 2007.

DIEGUES, Antonio Carlos Santana. O mito moderno da natureza intocada. 3ª edição. São Paulo: Hucitec Núcleo de Apoio à Pesquisa sobre Populações Humanas e Áreas Úmidas Brasileiras, USP, 2000.

FOLADORI, Guillermo. O metabolismo com a natureza. Revista Critica Marxista n. 12. São Paulo: Boitempo, 2001.

FOSTER, John Bellamy. A ecologia de Marx: materialismo e natureza. Tradução Maria Teresa Machado. 4ª edição. Rio de Janeiro: Civilização Brasilei, 2014.

HERCULANO, Selene. Políticas ambientais: o ambiente é você... e você... somos nós. Niterói: Editora UFF, 2013.

LAGO, Antonio; PADUA, José Augusto. Que é ecologia? São Paulo: Brasiliense, 2001.

LATOUCHE, Serge. Pequeno tratado do decrescimento sereno. Tradução: Claudia Berliner. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2009.

LOBÃO, Ronaldo. Cosmologias Políticas do Neocoloniasmo: Como uma política pública pode se transformar em uma política do ressentimento. Niterói: EdUFF, 2010.

LOBÃO, Ronaldo; VASQUES, Henrique. Sobre as condições de factibilidade de um Termo de Acordo Socioambiental – TAS. In: CORREIRA, Arícia Fernandes (orgs). Direito da Regularização Fundiária Urbana Sustentável: pesquisa, teoria e prática sobre a Federal n. 13.465/2017. Juiz de Fora: Editar Editora Ltda, 2018.

LÖWY, Michael. O ecossocialismo. Revista Combate n. 286, p. 46-51, 2006.

MARX, Karl. Manuscritos Econômico-Filosóficos. Primeiro Manuscrito. [1844]. Primeira edição 1932. Transcrição por Alexandre Moreira Oliveira, 2007. Disponível em: .

MARX, Karl. O Capital (Das Kapital). Volume I. Tradução de: J. Teixeira Martins e Vital Moreira. Centelha - Promoção do Livro, SARL, Coimbra, 1974. Transcrição de: Alexandre Linares, 2005. Disponível em: .

MARX, Karl. Teses sobre Feuerbach. Progresso Lisboa. Moscovo, 1982. Transcrito por Fred Leite Siqueira Campos. Disponível em: .

QUINTANEIRO, Tania; BARBOSA, Maria Ligia de Oliveira; OLIVEIRA, Márcia Gardênia de. Um toque de clássicos: Durkheim, Marx e Weber. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

SCHMIDT, Alfred. El concepto de naturaleza en Marx. Madrid: Siglo Veintiuno, 1978.




DOI: https://doi.org/10.22409/conflu.v22i1.34712

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Cristiane Borborema Chaché



/A Revista Confluências é Qualis B1.

Esta revista encontra-se indexada em:

Resultado de imagem para bielefeld base