TEICOPOLÍTICAS NA FRONTEIRA BRASIL-PARAGUAI: A ROTA BIOCEÂNICA E O SISTEMA INTEGRADO DE MONITORAMENTO DE FRONTEIRAS - SISFRON

Autores

  • Bruno Henrique Caetano dos Santos Universidade Federal da Grande Dourados

DOI:

https://doi.org/10.22409/conflu.v22i1.40629

Palavras-chave:

Teicopolítica. Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON). Rota Bioceânica.

Resumo

No século XXI, a emergência da temática das fronteiras nacionais está essencialmente ligada à Teicopolítica, isto é, à lógica de controle de fluxos e mobilidades. Em meio a esse cenário, a fronteira do Brasil com o Paraguai vem recebendo a atenção governamental em função de iniciativas nas áreas de segurança e defesa e de desenvolvimento de infraestruturas de transporte, com a Rota Bioceânica e com o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON). Dessa forma, o presente trabalho tem como objetivo analisar a confluência das políticas públicas do SISFRON e da Rota Bioceânica na zona de fronteira Brasil-Paraguai, que apresentam lógicas distintas, mas complementares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bruno Henrique Caetano dos Santos, Universidade Federal da Grande Dourados

Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito e Relações Internacionais (FADIR) da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Mestrando em Fronteiras e Direitos Humanos na UFGD.

Referências

ANDRADE, Israel de Oliveira et al. O programa de desenvolvimento de submarinos como programa de Estado. Diretoria de Estudos e Políticas Setoriais de Inovação e Infraestrutura. Brasília: Rio de Janeiro: Ipea, 2019.

ASATO, Thiago Andrade; GONÇALVES, Débora Fittipaldi; WILKE, Erick Pusck. Perspectivas do Corredor Bioceânico para o Desenvolvimento Local no estado de MS: o caso de Porto Murtinho. Interações (Campo Grande), Campo Grande , v. 20, n. spe, p. 141-157, 2019a.

ASATO, Thiago Andrade et al. Rota de Integração Latino-Americana (RILA) para o desenvolvimento turístico. Interações (Campo Grande), Campo Grande , v. 20, n. spe, p. 45-56, 2019b.

BRASIL. Corredor bioceânico. Avaliação dos corredores bioceânicos. BNDES: Brasília, 2010. Disponível em: <https://www.bndes.gov.br/arquivos/Corredor-bioceanico/Corredor-bioceanico-produto-2.pdf> Acesso em: nov. 2019.

CARVALHO, Raimundo Sérgio; MATOS, Patrícia de Oliveira. Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC): possibilidades de transferência de tecnologias (TT) para a indústria espacial brasileira. Revista Brasileira de Estudos Estratégicos, v. 10, n. 20, jul-dez. 2018.

CASTRO, João Carlos Parkinson. Análise SWOT do corredor rodoviário bioceânico. In: Revista UNIRILA–Rede Universitária da Rota de Integração Latino-Americana. Universidade do Estado de Mato Grosso do Sul: Campo Grande, 2019.

CONSTANTINO, Michel et al. Caracterização econômica dos municípios sul-mato-grossenses do Corredor Bioceânico. Interações (Campo Grande), Campo Grande , v. 20, n. spe, p. 179-192, 2019a.

CONSTANTINO, Michel et al. Fluxos turísticos entre os países do Corrredor [sic] Bioceânico. Interações (Campo Grande), Campo Grande, v. 20, n. spe, p. 57-67, 2019b.

DEMENICIS, Luciene da Silva. O satélite geoestacionário de defesa e comunicações estratégicas (SGDC): uma análise das contribuições para a defesa nacional. (Especialização em Ciências Militares) Escola de Comando e Estado-Maior do Exército, Rio de Janeiro, 2018.

FILHO, Camilo Pereira Carneiro; CAMARA, Lisa Belmiro. Políticas públicas na faixa de fronteira do Brasil: PDFF, CDIF e as políticas de segurança e defesa. Confins (Paris), v. p. 41, 2019.

HONÓRIO, Karen dos Santos. O significado da iniciativa para a integração da infraestrutura regional Sul-Americana (IIRSA) no regionalismo Sul-Americano (2000-2012): um estudo sobre a iniciativa e a participação do Brasil. 133 f. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013.

KLEINSCHMITT, Sandra Cristiana. O que as políticas de controle para as fronteiras brasileiras e o projeto maquila do Paraguai tem em comum?. Século XXI: Revista de Relações Internacionais - ESPM/Sul, [S.l.], v. 7, n. 2, p. 112-131, ago. 2017. ISSN 2236-871X. Disponível em: <http://seculoxxi.espm.br/index.php/xxi/article/view/151>. Acesso em: 26 nov. 2019.

MACHADO, Lia Osório. Limites, fronteiras, redes. In: Fronteiras e Espaço Global. T. M. Strohaecker, A. Damiani, N. O. Schaffer, N. Bauth, V. S. Dutra (Org.). Porto Alegre: AGB-Porto Alegre, 1998. p. 41-49.

MACIEL, Ruberval Franco et al. Internacionalización Sur-Sur: desafios y potencialidades de la Red Universitaria de la Carretera Bioceánica. Interações (Campo Grande), [S.l.], p. 297-306, jul. 2019. ISSN 1984-042X. Disponível em: <http://www.interacoes.ucdb.br/article/view/2639>. Acesso em: 03 dez. 2019. doi:http://dx.doi.org/10.20435/inter.v20iespecial.2639.

MENDES, Paulo Ubirajara. Operações Ágata. Revista Brasileira de Inteligência. Brasília: Abin, n. 11, dezembro 2016.

MEIRA MATTOS, Carlos de. Geopolítica e teorias de fronteiras: fronteiras do Brasil. Biblioteca do Exército Editora: Rio de Janeiro, 1990.

OLIVEIRA, Marco Aurélio M.; SANTOS, Manix G. dos. Mato Grosso do Sul e os desafios de segurança pública em suas fronteiras: distancias entre as alta e baixa políticas. Século XXI: Revista de Relações Internacionais - ESPM/Sul, [S.l.], v. 7, n. 2, p. 96-111, ago. 2017. ISSN 2236-871X. Disponível em: http://seculoxxi.espm.br/index.php/xxi/article/view/150>. Acesso em: 26 nov. 2019.

PESSANHA, Emanuel Alexandre Moreira. O SISFRON e a base industrial de defesa. Doutrina Militar Terrestre em Revista, [S.l.], v. 1, n. 4, p. 74-79, out. 2013. Disponível em: <http://ebrevistas.eb.mil.br/index.php/DMT/article/view/671>. Acesso em: 08 nov. 2019.

RAMOS, Henrique Felipe. Aeronaves remotamente pilotadas como efeito multiplicador de forças na manutenção da soberania nacional: popularização da ferramenta enquanto agente transformador do cenário geopolítico. Anais do I Congresso Brasileiro de Geografia Política, Geopolítica e Gestão do Território, 2014. Rio de Janeiro. Porto Alegre: Editora Letra1; Rio de Janeiro: REBRAGEO, 2014, p. 1221-1231.

ROSIÈRE, Stephane. Mundialização e teicopolíticas: análise do fechamento contemporâneo das fronteiras internacionais. Boletim Gaúcho de Geografia, v. 42, n .2, 369-388, maio, 2015.

SANG, Beibei. Geoestratégia da China e a nova rota da seda: uma análise a partir dos documentos oficiais chineses e seus desdobramentos para o Brasil. Dissertação (Mestrado em Relações Internacionais) -UNESP/UNICAMP/PUC-SP, Programa de Pós-graduação em Relações Internacionais San Tiago Dantas: São Paulo, 2019.

SILVA, Eristelma Teixeira de Jesus Barbosa. Veículos aéreos não tripulados: panorama atual e perspectivas para o monitoramento de atividades ilícitas na Amazônia. In: Anais XVI Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto - SBSR, Foz do Iguaçu, PR, Brasil, 13 a 18 de abril de 2013, INPE.

Downloads

Publicado

2020-04-06

Edição

Seção

Artigos