PAISAGEM, REPRESENTAÇÃO E CORPOREIDADE NA CICERÓPOLIS

Glauco Vieira Fernandes

Resumo


Nosso tema é a cidade de Juazeiro do Norte enquanto espaço da produção simbólica e material no período atual da modernidade. Espaço-temporalidade de fixos e fluxos que imprime representações e experiências, identidades e diferenças, visibilidades e invisibilidades, ou seja, experiência e concretude da realização de um modelo de sociedade urbana codificada e materializada em sua paisagem e corporeidade. A paisagem enquanto dimensão particular do espaço geográfico é um caminho possível de leitura e de interpretação da experiência material e sígnica da sociedade urbana em tela. Tratando especificamente da paisagem de Juazeiro do Norte – essa Cicerópolis no sertão -, conduzimos ao diálogo com a arte cinematográfica, em especial ao gênero documentário. Para tanto, o curso desta pesquisa propõe uma análise dos filmes representativos de cada período de documentação dessa cidade ao mesmo tempo em que se faz a leitura da cidade vivida ou experimentada. Tratar do diálogo entre a cidade representada, suas imagens e a cidade corpórea, sua experiência, é o caminho de reflexão crítica adotado, tendo na relação paisagem-imagem seu fundamento principal de investigação.


Palavras-chave


paisagem; corporeidade; documentário; cidade

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Ensaios de Geografia