O suicídio de idosos em Teresina: fragmentos de autópsias psicossociais

Selena Mesquita de Oliveira Teixeira, José Clerton de Oliveira Martins

Resumo


Este estudo tem como objetivo discutir acerca das principais circunstâncias que envolveram suicídios de idosos ocorridos na cidade de Teresina, PI. Trata-se de um estudo de natureza qualitativa, descritiva, exploratória, viabilizado por meio da utilização de autópsias psicossociais de cinco casos de suicídio de idosos. Para isso, investigou-se retrospectivamente a vida desses sujeitos, a partir de entrevistas aplicadas com familiares que conviviam próximos às vítimas. O método utilizado agrupou três tipos de instrumentos: ficha de identificação pessoal e social do idoso, genograma e entrevista semiestruturada. As histórias reconstituídas foram analisadas qualitativamente, tomando-se como guia os princípios da hermenêutico-dialética. Observou-se a presença marcante de algumas circunstâncias de risco associadas aos suicídios investigados, entre as quais se apontam condições de vida e fatores de risco, a saber, relações afetivas fragilizadas, vida desprovida de sentido, depressão, uso abusivo do álcool, traços de personalidade impulsivo-agressiva e ocorrência de tentativas de suicídio anteriores.


Palavras-chave


velhice; suicídio; fatores psicossociais

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, S.; MOREIRA, C. F.; NOGUEIRA, S. Relações sociais, estereótipos e envelhecimento. Revista de Gerontologia, v. 1, n. 1, p. 1-11, 2013. Disponível em: http://actasdegerontologia.pt/index.php/Gerontologia/article/view/42/31. Acesso em: 22 ago. 2015.

AMERICAN ASSOCIATION OF SUICIDOLOGY. Elderly suicide fact sheet. 2014. Disponível em: http://www.suicidology.org/Portals/14/docs/Resources/FactSheets/Elderly2012.pdf. Acesso em: 10 nov. 2017.

ANDRADE, M. A. R. Estigma e velhice: ensaios sobre a manipulação da idade deteriorada. Revista Kairós Gerontologia, São Paulo, v. 14, n. 1, p. 79-97, 2011. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/kairos/article/view/6928/5020. Acesso em: 20 ago. 2015.

AQUINO, C. A. B.; MARTINS, J. C. O. Ócio, lazer e tempo livre na sociedade do consumo e do trabalho. Revista Mal-estar e Subjetividade, v. 7, n. 2, p. 479-500, 2007. Disponível em: http://periodicos.unifor.br/rmes/article/view/1595/3577. Acesso em: 23 ago. 2015.

BEAUTRAIS, A. L. Suicides and serious suicide attempts: two populations or one? Psychological Medicine, v. 31, n. 5, p. 837-845, 2001. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11459381. Acesso em: 30 set. 2015.

BERTOLOTE, J. M. O suicídio e sua prevenção. São Paulo: Unesp, 2012.

BOTEGA, N. J. A Magnitude do fenômeno suicídio. In: ______. Crise suicida: avaliação e manejo. Porto Alegre: Artmed, 2015. p. 38-61.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Área Técnica de Saúde Mental. Prevenção de suicídio: manual dirigido a profissionais das equipes de saúde mental. Campinas, SP: Universidade Estadual de Campinas, 2006. Disponível em: http://pesquisa.bvsalud.org/bvsms/resource/pt/mis-9849. Acesso em: 15 jul. 2016.

CAVALCANTE, A. C. S. et al. A clínica do idoso em situação de vulnerabilidade e risco de suicídio. Trivum [online], v. 7, n. 1, p. 74-87, 2015. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/trivium/v7n1/v7n1a08.pdf. Acesso em: 24 nov. 2017.

CAVALCANTE, F. G.; MINAYO, M. C. S. Organizadores psíquicos e suicídio: retratos de uma autópsia psicossocial. In: ALMEIDA, P. (Org.). O mosaico da violência. São Paulo: Vetor, 2004. p. 371-431.

CAVALCANTE, F. G.; MINAYO, M. C. S. Autópsias psicológicas e psicossociais de idosos que morreram por suicídio no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 17, n. 8, p. 1943-1954, 2012. doi: 10.1590/S1413-81232012000800002

CAVALCANTE, F. G.; MINAYO, M. C. S.; MANGAS, R. M. do N. Diferentes faces da depressão no suicídio em idosos. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 10, p. 2985-2994, 2013. doi: 10.1590/S1413-81232013001000023

COELHO, E. R. et al. Suicídio de internos em um hospital de custódia e tratamento. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, Rio de Janeiro, v. 58, n. 2, p. 92-96, 2009. doi: 10.1590/S0047-20852009000200004

CONWELL, Y.; DUBERSTEIN, P. R.; CAINE, E. D. Risk factors for suicide in later life. Biological Psychiatry, v. 52, n. 3, p. 193-204, 2002. doi: 10.1016/S0006-3223(02)01347-1

CONWELL, Y.; THOMPSON, C. Suicidal Behavior in Elders. Psychiatr Clin North Am, v. 31, n. 2, p. 333-356, 2008. Disponível em: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0193953X08000178. Acesso em: 14 dez. 2014.

CÔRTE, B.; KHOURY, H. T. T.; MUSSI, L. H. Suicídio de idosos e mídia: o que dizem as notícias? Psicologia USP [online], v. 25, n. 3, p. 253-261, 2014. doi: 10.1590/0103-6564D20140003

DUTRA, E. Compreensão de tentativas de suicídio de jovens sob o enfoque da abordagem centrada na pessoa. 2000. Tese (Doutorado em Psicologia). Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil, 2000.

FALLER, J. W.; TESTON, E. F.; MARCON, S. S. A velhice na percepção de idosos de diferentes nacionalidades. Texto & Contexto Enfermagem, v. 24, n. 1, p. 128-137, 2015. doi: 10.1590/0104-07072015002170013

FUKUMITSU, K. O.; CAVACINI, K. Suicídio e manejo psicoterapêutico em situações de crise: uma abordagem gestáltica. Rev. abordagem gestalt [online]. v. 19, n. 2, p. 198-204, 2013. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-68672013000200007. Acesso em: 15 jul. 2016

FUKUMITSU, K. O. O psicoterapeuta diante do comportamento suicida. Psicologia USP, São Paulo, v. 25, n. 3, p. 270-275, dec. 2014. doi: 10.1590/0103-6564D20140001

GOLDFARB, D. C. et al. Depressão e envelhecimento na contemporaneidade. Kairos, v. 12, 2009. Disponível em: http://revistas.pucsp.br/index.php/kairos/article/view/2689. Acesso em: 3 ago. 2013.

GOTTER, M. E. M. A manifestação de episódios depressivos na velhice: o corpo, as ideias hipocondríacas e o desamparo. Revista Tiempo, n. 25, 2009. Disponível em: . Acesso em: 11 nov. 2013.

GVION Y. et al. A proposed model of the development of suicidal ideations. Comprehensive Psychiatry, v. 56, p. 93-102, jan. 2015. doi: 10.1016/j.comppsych.2014.09.019

KALINA, E.; KOVADLOFF, S. As cerimônias da destruição. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1983.

LA TAILLE, Y. Formação ética: do tédio ao respeito de si. Porto Alegre: Artmed, 2009.

MATOS, O. Educação para o ócio: da acídia à “preguiça heróica”. In: NOVAES, A. (Org.). Mutações: elogio à preguiça. São Paulo: SESC, 2012. p. 385-404.

MELEIRO A. M. A. S. Avaliação médico-psiquiátrica do risco de suicídio. Debates: Psiquiatria hoje, v. 2, n. 5, p. 10-15, 2010. Disponível em: http://www.abp.org.br/download/Debates_SetOut2010.pdf. Acesso em: 16 jul. 2016.

MINAYO, M. C. S.; CAVALCANTE, F. G. Suicide in elderly people: a literature review. Revista de Saúde Pública, v. 44, n. 4, p. 750-757, 2010. doi: 10.1590/S0034-89102010000400020

MINAYO, M. C. S. et al. É possível prevenir a antecipação do fim? Suicídio de idosos no Brasil e possibilidades de atuação do setor saúde [projeto de pesquisa]. Rio de Janeiro: Claves, Fiocruz, 2011.

MINAYO, M. C. S.; TEIXEIRA, S. M. O.; MARTINS, J. C. O. Tédio enquanto circunstância potencializadora de tentativas de suicídio na velhice. Estudos de psicologia, Natal, v. 21, n. 1, p. 36-45, mar. 2016. doi: 10.5935/1678-4669.20160005

MITTY, E.; FLORES, S. Suicide in late life. Geriatric nursing, New York, v. 29, n. 3, p. 160-165, 2008. doi: 10.1016/j.gerinurse.2008.02.009

MOREIRA, J. O. Mudanças na percepção sobre o processo de envelhecimento: reflexões preliminares. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 28, n. 4, p. 451-456, 2012. doi: 10.1590/S0102-37722012000400003

OLIVEIRA, A. A. A.; JUSTO, J. S. Expressões do tédio na contemporaneidade: uma análise do romance “Encontro Marcado”, de Fernando Sabino. Revista de Psicologia da UNESP, São Paulo, v. 9, n. 1, p. 45-57, 2010. Disponível em: http://seer.assis.unesp.br/index.php/psicologia/article/view/426/404. Acesso em: 30 set. 2015.

PARENTE, A. C. M. et al. Caracterização dos casos de suicídio em uma capital do nordeste brasileiro. Revista Brasileira de Enfermagem [online], v. 60, n. 4, p. 377-381, 2007. doi: 10.1590/S0034-71672007000400003

PESCE, R. P. et al. Risco e proteção: em busca de um equilíbrio promotor de resiliência. Psicologia: Teoria e pesquisa [online], v. 20, n. 2, p. 135-143, 2004. doi: 10.1590/S0102-37722004000200006

SCHLOSSER, A.; ROSA, G. F. C.; MORE, C. L. O. O. Revisão: comportamento suicida ao longo do ciclo vital. Temas em Psicologia [online], v. 22, n. 1, p. 133-145, 2014. doi: 10.9788/TP2014.1-11

SÉRVIO, S. M. T.; CAVALCANTE, A. S. Retratos de autópsias psicossociais sobre suicídio de idosos em Teresina. Psicologia: Ciência e Profissão, Brasília, v. 33, n. especial, p. 170-181, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932013000500016&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 19 mar. 2017.

SHNEIDMAN, E. S. Autopsy of a suicidal mind. New York, NY: Oxford University Press, 2004.

SHNEIDMAN, E. S.; FARBEROW, L.; LITMAN, R. E. El Centro de Prevencion del Suicidio. In: FARBEROW, N. L.; SHNEIDMAN, E. S. (Ed.). Necesito ayuda! Un studio sobre el suicidio y su prevencion. Mexico: La Prensa Medica Mexicana, 1969. p. 6-19.

SVENDSEN, L. Filosofia do tédio. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2006.

WERLANG, B. G.; BOTEGA, N. J. A semi-structured interview for psychological autopsy in suicide cases. Revista Brasileira de Psiquiatria, São Paulo, v. 25, n. 4, 2004. doi: 10.1590/S1516-44462003000400006

YUNES, M. A. M.; SZYMANSKI, H. Resiliência: noção, conceitos afins e considerações críticas. In: TAVARES, J. (Org.). Resiliência e educação. São Paulo: Cortez, 2001. p. 13-42.




DOI: https://doi.org/10.22409/1984-0292/v30i2/5538

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: