Quilombo do Sopapo: aproximação etnográfica de um núcleo de “Cultura Viva”

João Pedro Cé, Yasmine Jalmusny, Cristiano Hamann, Adolfo Pizzinato

Resumo


Este artigo apresenta elementos de uma pesquisa etnográfica realizada em um Ponto de Cultura na cidade de Porto Alegre/RS. Além de uma discussão sobre o termo “cultura” e suas implicações na análise do campo das Políticas Públicas, articulações com teorias advindas da Psicologia e de outras ciências humanas são elencadas para elaborar uma aproximação implicada. Apresenta-se uma experiência de campo e relatos de interlocutores(as), ilustrando processos vivenciados na etnografia. Destaca-se no estudo a análise conjuntural do Ponto de Cultura, seus aspectos institucionais e, especialmente, os atravessamentos destes no trabalho materializado na organização. A presente incursão etnográfica aponta para a existência de uma série de concepções de cultura popular e desenvolvimentos de trabalho em Políticas Públicas de Cultura. Além disto, observa-se, como fatores subjetivantes neste entremeio, a fruição cultural e o papel do ativismo como elemento identitário – matriz possibilitada pela política do “Cultura Viva”.


Palavras-chave


psicologia cultural; políticas públicas; cultura

Texto completo:

PDF

Referências


BEAUD, Stéphane.; WEBER, Florence. Guia para a pesquisa de campo: produzir e analisar dados etnográficos. Rio de Janeiro: Vozes, 2007.

BOURDIEU, Pierre; DARBEL, Alain. O amor pela arte: os museus de arte na Europa e seu público. São Paulo: EDUSP, 2007.

BRANT, Leonardo. O poder da cultura. São Paulo: Peirópolis, 2009.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 7.505, de 2 de julho de 1986. Dispõe sobre benefícios fiscais na área do imposto de renda concedidos a operações de caráter cultural ou artístico. 1986. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCivil_03/Leis/L7505.htm. Acesso em: 12 fev. 2016.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 8.313, de 23 de dezembro de 1991. Restabelece princípios da Lei n° 7.505, de 2 de julho de 1986, institui o Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac) e dá outras providências. 1991. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8313cons.htm. Acesso em: 12 fev. 2016.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. Regulamenta o art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, institui normas para licitações e contratos da Administração Pública e dá outras providências. 1993. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8666compilado.htm. Acesso em: 25 fev. 2016.

CATENACCI, Vivian. Cultura popular: entre a tradição e a transformação. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 15, n. 2, p. 28-35, abr. 2001. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-88392001000200005

CRENSHAW, Kimberlé. Documento para o encontro de especialistas em aspectos da discriminação racial relativos ao gênero. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 10, n. 1, p. 171-188, 2002. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-026X2002000100011

GIL, Gilberto. Discurso na solenidade de transmissão do Cargo. Brasília: Ministério da Cultura, 2003. Disponível em: http://gilbertogil.com.br/sec_texto.php?id=3&page=2. Acesso em: 12 nov. 2014.

LACERDA, Alice Pires de.; GOMES, Eduardo José dos Santos de Ferreira. Sentidos da democracia e dos direitos culturais no campo das políticas públicas. Políticas Culturais em Revista, v. 1, n. 6, p. 38-53, 2013. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/pculturais/article/view/8258. Acesso em: 14 dez. 2017.

LIMA, Luciana Piazzon Barbosa; ORTELLADO, Pablo; SOUZA, Valmir de. O que são as políticas culturais? Uma revisão crítica das modalidades de atuação do estado no campo da cultura. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE POLÍTICAS CULTURAIS, 4, 2013, Rio de Janeiro. Disponível em: http://culturadigital.br/politicaculturalcasaderuibarbosa/files/2013/11/Luciana-Piazzon-Barbosa-Lima-et-alii.pdf. Acesso em: 12 abr. 2016.

MATELART, Armand. Diversidad Cultural y Mundialización. Barcelona: Paidós, 2006.

MEDEIROS, Anny Karine de. Políticas públicas e organizações culturais: o caso do Programa Cultura Viva. Dissertação (Mestrado em Administração Pública e Governo) – Escola de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2013.

ORTIZ, Renato. Imagens do Brasil. Sociedade e Estado, v. 28, n. 3, p. 609-633, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/se/v28n3/a08v28n3.pdf. Acesso em: 12 jan. 2016.

RANCIÈRE, Jacques. O Dissenso. In: NOVAES Adauto (Org.). A crise da razão. São Paulo: Cia. das Letras, 1996. p. 367-382.

RANCIÈRE, Jacques. El espectador Emancipado. Buenos Aires: Manantial, 2010.

RUBIM, Antonio Albino Canelas; BARBALHO, Alexabdre (Org.). Políticas Culturais no Brasil. Salvador: Edufba, 2007. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ufba/138/4/Politicas%20culturais%20no%20Brasil.pdf. Acesso em: 24 nov. 2017.

SEIDL, Eduardo (Org). Imagens Faladas: uma reportagem sobre a memória do Bairro Cristal. [S.l.]: Ed. do autor: 2010.

VALSINER, Jaan. Fundamentos da psicologia cultural: mundos da mente, mundos da vida. Porto Alegre: Artmed, 2012.

VILUTIS, Luana. Ação agente cultura viva: contribuições para uma política cultural de juventude. In: BARBOSA, Frederico; CALABRE, Lia (Org.). Pontos de cultura: olhares sobre o Programa Cultura Viva. Brasília: Ipea, 2011. p. 111-138.




DOI: https://doi.org/10.22409/1984-0292/v31i2/5621

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: