Experiências vividas pelo cônjuge cuidador da esposa em tratamento psiquiátrico

Eraldo Carlos Batista

Resumo


O objetivo deste estudo foi compreender as experiências vividas pelo homem cuidador familiar da esposa em tratamento psiquiátrico. Como método utilizou-se uma abordagem qualitativa do tipo descritivo-exploratório de orientação fenomenológica. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com seis cônjuges cuidadores do sexo masculino da região da Zona da Mata do Estado de Rondônia. Nos discursos dos participantes, puderam-se perceber as dificuldades encontradas no seu cotidiano, como: a preocupação em suprir as necessidades básicas da família; a coordenação das atividades domésticas diárias; a administração da medicação à esposa em sofrimento; o acompanhamento aos serviços de saúde; e a convivência com os comportamentos problemáticos e episódios de crise da esposa. Foi possível, ainda, observar que o papel de cuidador tem gerado sobrecarga física e emocional no cônjuge, levando-o a um estado de sentimento de culpa pelo agravamento da doença da esposa e, consequentemente, ao seu adoecimento mental.


Palavras-chave


cuidador familiar; sofrimento psíquico; saúde mental.

Texto completo:

PDF

Referências


ARRUDA, Sérgio Luiz Saboya; LIMA, Manuela Caroline Ferreira. O novo lugar do pai como cuidador da criança. Estudos Interdisciplinares em Psicologia, v. 4, n. 2, p. 201-216, 2013. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/eip/v4n2/a06.pdf. Acesso em: 19 set. 2019.

BATISTA, Cynthia Mara Felicio et al. Sobrecarga de familiares de pacientes psiquiátricos: influência do gênero do cuidador. Cadernos Saúde Coletiva, v. 21, n. 4, p. 359-369, 2013. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-462X2013000400002

BORIS, Georges Daniel Janja Bloc. Falas de homens: a construção da subjetividade masculina. 2. ed. São Paulo: Annablume, 2011.

CAMPOS, Pedro Humberto Faria; SOARES, Carlene Borges. Representação da sobrecarga familiar e adesão aos serviços alternativos em saúde mental. Psicologia em Revista, Belo Horizonte, v. 11, n. 18, p. 219-237, dez. 2005. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1677-11682005000200006&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 21 set. 2015.

CARDOSO, Lucilene; GALERA, Sueli Aparecida Frari; VIEIRA, Mariana Verderoce. O cuidador e a sobrecarga do cuidado à saúde de pacientes egressos de internação psiquiátrica. Acta Paul. Enferm., v. 25, n. 4, p. 517-523, 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ape/v25n4/en_06.pdf. Acesso em: 12 out. 2013.

CATTANI, Roceli Brum; GIRARDON-PERLINI, Nara Marilene Oliveira. Cuidar do idoso doente no domicílio na voz de cuidadores familiares. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 6, n. 2, p. 254-271, 2004. Disponível em: http://www.fen.ufg.br/revista/revista6_2/pdf/Orig11_idoso.pdf. Acesso em: 22 jan. 2016.

DIAS, Elenise Aparecida. Sobrecarga vivenciada por familiares cuidadores de pacientes esquizofrênicos e sua relação com a depressão. 2011. 168 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Mental) – Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa, Lisboa, 2011.

DOURADO, Denise Martins et al.; Ansiedade e depressão em cuidador familiar de pessoa com transtorno mental. ECOS-Estudos Contemporâneos da Subjetividade, v. 8, n. 1, p. 153-167, 2018. Disponível em: http://www.periodicoshumanas.uff.br/ecos/article/view /2377. Acesso em: 17 set. 2019.

FLICK, Uwe. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

GOMES, Maria Lovâni Pereira; SILVA, José Carlos Barboza da; BATISTA, Eraldo Carlos. Escutando quem cuida: quando o cuidado afeta a saúde do cuidador em saúde mental. Revista Psicologia e Saúde, v. 10, n. 1, p. 3-7, 2018. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rpsaude/v10n1/v10n1a01.pdf. Acesso em: 17 set. 2019.

LACCHINI, Annie Jeanninne Bisso. A família que cuida do indivíduo em sofrimento psíquico: um estudo fenomenológico. 2011. 103 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) – Universidade de Santa Maria, Santa Maria, 2011. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/handle/1/7340. Acesso em: 21 set. 2015.

LISBOA, Aline Vilhena; FÉRES-CARNEIRO Terezinha ...Até que a doença nos separe? A conjugalidade e o adoecer somático. Psico, v. 39, n. 1, p. 83-90, jan./mar. 2008. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/articulo?codigo=5161445. Acesso em: 29 abr. 2016.

MACIEL, Silvana Carneiro et al. Reforma psiquiátrica e inclusão social: um estudo com familiares de doentes mentais. Psicologia: ciência e profissão, Brasília, v. 29, n. 3, p. 436-447, 2009. http://dx.doi.org/10.1590/S1414-98932009000300002

MELMAN, Jonas. Família e doença mental: repensando a relação entre profissionais saúde e de seus familiares. São Paulo: Escrituras, 2001.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12. ed. São Paulo: Hucitec, 2010.

MOREIRA, Daniel Augusto. O Método fenomenológico na pesquisa. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2004.

NORGREN, Maria de Betânia Paes et al. Satisfação conjugal em casamentos de longa duração: uma construção possível. Estudos de Psicologia, Natal, v. 9, n. 3, p. 575-584, 2004. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-294X2004000300020

OLIVEIRA, Adriane Maria Netto de; LUNARDI, Valéria Lerch; SILVA, Mara Regina Santos da. Repensando o modo de cuidar do ser portador de doença mental e sua família a partir de Heidegger. Cogitare Enferm, v. 10, n. 1, p. 9-15, 2005. Disponível em: http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs/index.php/cogitare/article/viewFile/4661/3617. Acesso em: 27 abr. 2015.

ROSA, Lúcia Cristina dos Santos. Transtorno mental e o cuidado na família. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

SANDERS, Patricia B. Phenomenology: a new way of viewing organizational research. Academy of Management Review, v. 7, n. 3, p. 353-360, 1982. https://doi.org/10.5465/amr.1982.4285315

SANT’ANA, Marília Mazzuco et al . O significado de ser familiar cuidador do portador de transtorno mental. Texto & contexto - Enfermagem, Florianópolis, v. 20, n. 1, p. 50-58, 2011. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072011000100006

SEVERO, Ana Kalliny de Souza et al. A experiência de familiares no cuidado em saúde mental. Arquivos Brasileiros de Psicologia, v. 59, n. 2, 2007. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/arbp/v59n2/v59n2a05.pdf. Acesso em: 6 out. 2015.

SILVA, Victor Hugo Farias da; DIMENSTEIN, Magda; LEITE, Jáder Ferreira. O cuidado em saúde mental em zonas rurais. Mental, v. 10, n. 19, p. 267-285, 2013. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=42028699008. Acesso em: 21 jan. 2016.

ZANELLO, Valeska. A saúde mental sob o viés do gênero: uma releitura gendrada da epidemiologia, da semiologia e da interpretação diagnóstica. In: ZANELLO, Valeska; ANDRADE, Ana Paula Muller de (Org.). Saúde mental e gênero: diálogo, práticas e interdisciplinaridade. Curitiba: Appris, 2014. p. 41-58.




DOI: https://doi.org/10.22409/1984-0292/v32i1/5646

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: