Inteligência artificial, gestão empresarial e o futuro do trabalho no Brasil

Autores

Palavras-chave:

Inteligência Artificial, Quarta Revolução Industrial, Renda Básica Universal,

Resumo

A Inteligência Artificial avança no mundo inteiro e incorre em diversas mudanças na relação entre pessoas, serviços, máquinas e indústrias. Fenômeno que é abordado na literatura como Quarta Revolução Industrial ou Industria 4.0. O Brasil vive um momento de transição quando comparado a países mais desenvolvidos, possibilitando estudá-los antes de ocorrerem ou enquanto ocorrem. Assim, se faz necessária uma reflexão sobre os avanços da inteligência artificial no mercado de trabalho brasileiro, quais são seus impactos nas empresas e profissões no país, bem como entender a Inteligência Artificial e suas tecnologias. Importante também contextualizá-la no cenário do mercado de trabalho nacional, analisar como são aplicadas e as mudanças que ocorrem nas corporações. Além disso, é significativa uma análise da maneira como gestores de organizações lida com o tema além da busca de entender como políticas públicas se relacionam com a questão. Para tanto, utilizou-se como metodologia a pesquisa bibliográfica, analisando diferentes materiais disponíveis na literatura além de dados fornecidos pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (FIRJAN).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel Melo, Universidade Federal Fluminense

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ, Brasil. 

Referências

ALBANO, C.S. Problemas e ações inerentes à adoção da tecnologia de informação: um estudo em cooperativas agropecuárias. 125 p. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre/RS, 2001.

AROURI, M. et al. Emerging markets and the global economy: a handbook. San Diego: El Sevier Inc, 2014.

BELLMAN, R. An introduction to artificial intelligence: can computers think? San Francisco: Boyd & Fraser Pub. Co, 1978.

BODEN, M.A. The creative mind: myths and mechanisms. Routledge, 2003.

BRAGA, R. A política do precariado: do populismo à hegemonia lulista. São Paulo: Boitempo Editorial, 2012.

BRAGA, R. Por uma geringonça brasileira. Revista Cidadanista, Ano 1, Nº 3, p.60, 2017. Disponível em: https://issuu.com/cidadanista/docs/cidadanista_3/60. Acesso em: 3 set. 2020.

BREGMAN, R. Utopia para realistas: como construir um mundo melhor. São Paulo: Editora Sextante, 2016.

BRYNJOLFSSON, E.; MCAFEE, A. The second machine age: work, progress, and prosperity in a time of brilliant technologies. New York: W W Norton & Company, 2014.

BRYNJOLFSSON, E.; MCAFEE, A. Machine, platform, crowd: harnessing our digital future. New York: W W Norton & Company, 2017.

CHARNIAK, E.; MCDERMOTT, D. V. Introduction to artificial intelligence. Reading, Mass: Addison-Wesley, 1985.

CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA (CNI). Final Report Building The Future Of Brazilian Industry Brasília: IEL - Euvaldo Lodi Institute, 2018. Disponível em: https://bucket-gw-cni-static-cms-si.s3.amazonaws.com/media/filer_public/8f/26/8f267223-f41b-4b8a-8247-939df15b8de5/sintese_miolo_ing.pdf . Acessado em: 3 set. 2020.

DELOITTE TOUCHE TOHMATSU. Success personified in the Fourth Industrial Revolution - four leadership personas for an era of change and uncertainty. Deloitte Development LLC, 2018. Disponível em: https://www2.deloitte.com/content/dam/Deloitte/global/Documents/gx-davos-DI_Success-personified-fourth-industrial-revolution.pdf. Acesso em: 3 set. 2020.

FACELI, K.; LORENA, A.C.; GAMA, João; CARVALHO, André Carlos Ponce De Leon Ferreira De. Inteligência artificial: uma abordagem de aprendizado de máquina. Rio de Janeiro: LTC, 2011.

FOUNTAINE, T.; MCCARTHY, B.; SALEH, T. Building the AI-Powered organization. Harvard Business Review, v. July–August 2019, p. 62–73, 2019. Disponível em: https://hbr.org/2019/07/building-the-ai-powered-organization. Acesso em: 3 set. 2020.

FREY, C.B.; OSBORNE, M.A. the future of employment: how susceptible are jobs to computerisation? Oxford Martin, 2013. Disponível em: https://www.oxfordmartin.ox.ac.uk/downloads/academic/The_Future_of_Employment.pdf. Acesso em: 3 set. 2020.

FRIEDMAN, T. L. O mundo é plano uma breve história do século XXI. Rio de Janeiro: Objetiva, 2007.

HARARI, Y. N.. Homo Deus: uma breve história do amanhã. São Paulo: Editora Companhia das Letras, 2015.

HAUGELAND, J.. Artificial intelligence: the very idea. Massachusetts: The MIT

Press, 1985.

HEBB, D.. The Organization of Behavior. New York: Wiley, 1949

HOLST, A. WIKIBON E SILICONANGLE. Big data market size revenue forecast worldwide from 2011 to 2027. Statista, 2018. Disponível em: https://www.statista.com/statistics/254266/global-big-data-market-forecast/. Acessado em: 26 ago. 2020.

HUMBY, C.. ANA Senior marketer’s summit. Evanston: Kellogg School, 2006.

IBGE − INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Características adicionais do mercado de trabalho 2012-2017. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua. Brasília: IBGE, 2018.

IEA, IRENA, UNSD, WB, WHO, Tracking SDG 7 The energy progress report 2019. Washington DC, 2019.

OIT – ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO. Trabalho decente nas Américas: uma agenda hemisférica, 2006-2015. Brasília: OIT, 2006.

OIT – ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO. Uma década de promoção do trabalho decente no Brasil: uma estratégia de ação baseada no diálogo social. Genebra, 2015.

KARABULUT, Y. Can Facebook Predict Stock Market Activity? San Diego Meetings Paper, 2013. Disponível em: https://ssrn.com/abstract=2017099 ou http://dx.doi.org/10.2139/ssrn.2017099. Acesso em: 3 Sept. 2020.

KITCHIN, R. Making sense of smart cities: addressing present shortcomings. Cambridge Journal of Regions, Economy and Society, v. 8, n. 1, p. 131–136, mar. 2015.

KURZWEIL, R. The age of intelligent machines. Cambridge, Mass: MIT Press, 1990.

MAYER-SCHÖNBERGER, V.; CUKIER, K. Big Data: a revolution that will transform how we live, work, and think. Boston, MA: Houghton Mifflin Harcourt, 2014.

MCCULLOCH, W.; PITTS, W. A logical calculus of the ideas immanent in nervous activity. Bulletin of Mathematical Biophysics, v. 5, n.1/2, p.115–137, 1943.

MITCHELL, T. M. Machine Learning. New York: McGraw-Hill, 1997.

NILSSON, N. J. Artificial intelligence: a new synthesis. 5th print ed. San Francisco, Calif: Kaufmann, 2003.

PETERS, B. G. American public policy. Chatham, N.J.: Chatham House, 1986.

POOLE, D.; MACKWORTH, A. K.; GOEBEL, R. Computational intelligence: a logical approach. Oxford: Oxford University, 1998.

RICH, E.; KNIGHT, K. Artificial intelligence. 2nd ed ed. New York: McGraw-Hill, 1991.

RUSSELL, S.J.; NORVIG, P. Inteligência artificial. Rio de Janeiro: Elsevier, 2013.

RUSSOM, P.. Big Data Analytics, TDWI best practices report. The Data Warehousing Institute (TDWI) Research, 2011.

SCHWAB, K.. A quarta revolução industrial. Tradução Daniel Moreira Miranda, São Paulo: Edipro, 2016.

SOUZA, C.E. Linkedin e Wgsn revelam qual será o futuro do trabalho. Habitus Brasil, 2018. Disponível em: https://habitusbrasil.com/futuro-do-trabalho-estudo-wgsn-linkedin/. Acesso em: 4 set. 2020.

STANDING, G. O precariado - a nova classe perigosa. 2 ed. Belo Horizonte: Autêntica Editora. 2013.

SUPLICY, E. M. Renda de cidadania: a saída é pela porta. 7 ed. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo e Cortez Editora, 2002.

SUPLICY, E. M. Renda básica: a resposta está sendo soprada pelo vento. Revista de Economia Política, v. 23, n 2, p.90, 2003.

TAURION, C. Você realmente sabe o que é o big data? Blog da IBM, 2012. Disponível em:https://www.ibm.com/developerworks/mydeveloperworks/blogs/ctaurion/entry/voce_realmente_sabe_o_que_e_big_data?lang=em. Acesso em: 4 set. 2020.

TURING, A. Computing machinery and intelligence. Mind, v. 59, p. 433–460, 1950.

VILLATE, R. IDC Future scape: Latin America it industry 2019 predictions. GVP Latin America, 2018. Disponível em:http://www.idclatin.com/microsites/FutureScape2019/email_blast/LA_FutureScape_2019_Predictions.pdf. Acesso em: 4 set. 2020.

WINSTON, P. H. Artificial intelligence. 3rd ed ed. Reading, Mass: Addison-Wesley Pub. Co, 1992.

WORLD ECONOMIC FORUM. Top ten urban innovations. Global Agenda Council on the Future of Cities. Geneva, 2015. Disponível em: http://www3.weforum.org/docs/Top_10_Emerging_Urban_Innovations_report_2010_20.10.pdf. Acesso em: 4 set. 2020.

WORLD ECONOMIC FORUM. The future of jobs report. Centre for the New Economy and Society. Geneva, 2018. Disponível em: http://www3.weforum.org/docs/WEF_Future_of_Jobs_2018.pdf. Acesso em: 4 set. 2020.

ZIKOPOULOS, P.; EATON, C. Understanding big data: analytics for enterprise class Hadoop and streaming data. New York: McGraw-Hill Osborne Media, 2011.

Downloads

Publicado

2020-12-19

Como Citar

Melo, G. (2020). Inteligência artificial, gestão empresarial e o futuro do trabalho no Brasil. Mundo Livre: Revista Multidisciplinar, 6(2), 160-183. Recuperado de https://periodicos.uff.br/mundolivre/article/view/42340

Edição

Seção

Artigos