Controle social e gestão dos recursos públicos da assistência social durante a pandemia

A experiência nos conselhos de Campos dos Goytacazes e de Macaé

Autores

Palavras-chave:

Pandemia, Descentralização, Controle social

Resumo

Este texto se constitui numa discussão sobre o controle social dos recursos destinados à Assistência Social, durante o período da pandemia, tendo, como ponto de partida, as experiências vividas nos Conselhos de Assistência Social dos municípios de Campos dos Goytacazes e de Macaé (nos anos 2020-2021), partindo dos recursos federais recebidos para o atendimento das demandas advindas com a pandemia. Busca-se discutir a “autonomia” dos municípios e os desafios da assistência social na proteção social dos segmentos mais pobres, duramente atingidos pela grave crise sanitária vivida em todo o mundo. Ao longo deste artigo, serão repassados valores do financiamento federal para enfrentamento da pobreza, nos municípios em questão, que, em tese, deveriam estar voltados para a proteção social dos usuários e trabalhadores do   SUAS, mas que, na prática, revelaram-se como um “socorro” aos cofres públicos municipais. Ainda   serão tecidas reflexões acerca da inércia do atual governo Bolsonaro no enfrentamento da pandemia, que através de discursos negacionistas, proclama a economia em detrimento à vida.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ketnen Rose Medeiros Barreto, Universidade Federal Fluminense

Professora Associada do Departamento de Serviço Social/Universidade Federal Fluminense, Brasil. Doutora em Serviço Social, Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Brasil

Eliana Monteiro Feres, Prefeitura Municipal de Macaé e Prefeitura de Campos dos Goytacazes

Assistente Social, Prefeitura Municipal de Macaé e Prefeitura de Campos dos Goytacazes. Especialista em Serviço Social Contemporâneo: Assistência e Trabalho Social, Universidade Federal Fluminense, Brasil

Referências

ABRUCIO, F. L. Para além da descentralização: os desafios da coordenação federativa no Brasil. In: FLEURY, S. (org.). Democracia, descentralização e desenvolvimento: Brasil e Espanha. Rio de Janeiro: FGV, 2006, p. 77-125.

ABRUCIO, F. L. et al. Combate à COVID-19 sob o federalismo bolsonarista: um caso de descoordenação intergovernamental. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 54, n. 4, p. 663-677, jul./ago, 2020. Disponível em: https://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/81879. Acesso em 21 abril 2021.

ABRUCIO, F. L.; SANO, H. A experiência de cooperação interestadual no Brasil: formas de atuação e seus desafios. Cadernos Adenauer XII, São Paulo, v. 4, p. 91-110, dez, 2011.

ALMEIDA, C.; TATAGIBA, L. Os conselhos gestores sob o crivo da política: balanços e perspectivas. Serv. Soc. Soc., São Paulo, n. 109, p. 68-92. jan./mar. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-66282012000100005. Acesso em: 30 jan. 2021.

ARRETCHE, M. Estado federativo e políticas sociais: determinantes da descentralização. Rio de Janeiro: Revan; São Paulo: FAPESP, 2000.

ARRETCHE, M. Quem taxa e quem gasta: a barganha federativa na federação brasileira. Revista de Social e Política, Curitiba, n. 24, jun. 2005.

ARRETCHE, M. Federalismo e igualdade territorial: uma contradição em termos? DADOS, Rio de Janeiro, v. 53, n. 3, p. 587-620, 2010.

ARRETCHE, M. Federalismo e políticas sociais no Brasil problemas de coordenação e autonomia. São Paulo em Perspectiva, v. 18, n. 2, p.17-26, jun. 2004. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/spp/v18n2/a03v18n2.pdf. Acesso em: 23 de abril de 2021.

ARRETCHE, M. Políticas sociais no Brasil: descentralização em um estado federativo. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 4, n 40, p. 111 – 141, jun.1999. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v14n40/1712. Acesso em: 20 de abril de 2021.

BOSCHETTI, I. As políticas brasileiras de seguridade social: assistência social. In: CFESS/ CEAD. Capacitação em Serviço Social e política social. Módulo 3: Política Social. Brasília: UnB, 2000, p. 1-19.

BOSCHETTI, I. BEHRING, E. Assistência Social na pandemia da covid-19: proteção para quem? Serviço Social e Sociedade, São Paulo, v.1, n. 140, p. 66-140. jan. /abr. 2021.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Secretaria Nacional de Assistência Social. Norma Operacional Básica do SUAS – 01/2005: construindo as bases para implantação do Sistema Único de Assistência Social. Brasília: MDS/SNAS, [2005]. Disponível em: http://www.mds.gov.br/NOB_3.pdf. Acesso em: 28 fev. 2014.

BRASIL. Decreto Nº 9.759, de 11 de abril de 2019. Extingue e estabelece diretrizes, regras e limitações para colegiados da administração pública federal. Brasília: Presidência da República, [2019]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2019-2022/2019/decreto/D9759.htm. Acesso em: 18 abril 2020.

BRASIL. Portaria nº. 369, de 29 de abril de 2020. Dispõe acerca do atendimento do Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal - Cadastro Único, disposto pelo Decreto nº 6.135, de 26 de junho de 2007, no Distrito Federal e nos municípios que estejam em estado de calamidade pública ou em situação de emergência reconhecidos pelos governos estadual, municipal, do Distrito Federal ou Federal, inclusive a Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional declarada pela Organização Mundial da Saúde, em 30 de janeiro de 2020, em decorrência da Infecção Humana pelo novo coronavírus (COVID-19). Brasília: Presidência da República, [2020]. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-369-de-29-de-abril-de-2020-254678622. Acesso em: 30 jan. 2020a.

BRASIL. SENADO FEDERAL. Verba para pandemia chega a R$ 500 bi, mas execução ainda está abaixo de 50%. 10 jul. 2020. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2020/07/10/verba-para-pandemia-chega-a-r-500-bi-mas-execucao-ainda-esta-abaixo-de-50 . Acesso em: 14 ago. 2020b.

BRASIL. Lei complementar nº. 173, de 27 de maio de 2020. Estabelece o Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus SARS-CoV-2 (Covid-19), altera a Lei Complementar nº. 101, de 4 de maio de 2000, e dá outras providências. Brasília: Presidência da República, [2020]. Disponível em: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/lei-complementar-n-173-de-27-de-maio-de-2020-258915168. Acesso em: 30 jan. 2021.

BRAVO, M.I. Gestão Democrática na saúde: o potencial dos conselhos. In: BRAVO, M. I.; PEREIRA, P. (orgs.). Política social e democracia. São Paulo: Cortez, 2001, p. 43-65.

BRAVO, M. I. S.; CORREA, M. V. C. Desafios do controle social na atualidade. Serviço Social e Sociedade, São Paulo, n. 109, p. 126-150, jan./mar. 2012.

CORREIA, M. V. C. Que controle social na política de Assistência Social. Serviço Social e Sociedade, São Paulo, ano 23, v. 1, n. 72, p. 119-145, nov., 2002.

COUTINHO, C.N. A democracia como valor universal. Encontros com a Civilização Brasileira, Rio de Janeiro, v. 9, mar. 1979.

COUTINHO, C.N. Notas sobre cidadania e modernidade. Praia Vermelha, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 1-25, set. 1997.

CRISTO, S. C. A. de. Controle social: uma análise de conselhos de saúde. Pará: CRV, 2013.

GOHN, M. da G. Conselhos gestores e participação sociopolítica. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2003. (Coleção questões da nossa época, n. 84).

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere. Tradução de Carlos Nelson Coutinho, Luiz Sergio Henriques e Marco Aurélio Nogueira. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

GRAMSCI, A Os intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

IBGE CIDADES. IBGE, 2020. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br. Acesso em: 30 jan. 2020.

MACIEL, Davi. Governo Bolsonaro, ameaça fascista e luta socialista. 2019. Disponível em: https://marxismo21.org/wp-content/uploads/2017/05/David-Maciel-Governo Bolsonaro-amea%C3%A7a-fascista-e-luta-socialista.pdf. . Acesso em: 18 abril 2021.

NEVES, L. M. W. (org.). A nova pedagogia da hegemonia: estratégias do capital para educar o consenso. São Paulo: Xamã, 2005.

RODRIGUES, J. N.; AZEVEDO, D. A. Pandemia do Coronavírus e (des)coordenação federativa: evidências de um conflito político-territorial. Espaço e Economia, ano 9, n. 18, p. 01-13, jul./dez. 2020.

SANTOS JUNIOR, O.; RIBEIRO, L. C. de Q.; AZEVEDO, S. de. Governança democrática e poder local: a experiência dos conselhos municipais no Brasil. Rio de Janeiro: Fase, 2004.

SOARES, L.T. O desastre Social. Rio de Janeiro: Record, 2003.

STEIN, R. H. A descentralização como instrumento de ação política e suas controvérsias (revisão teórica-conceitual). Serviço social e sociedade, São Paulo, ano 16, n. 54, p. 75 - 96, jul. 1997.

TATAGIBA, L. Os conselhos gestores e a democratização das políticas públicas no Brasil. In: DAGNINO, E. (org.). Sociedade civil e espaços públicos no Brasil. São Paulo: Paz e Terra, 2000, p. 67-80.

TEIXEIRA, E. C. Conselhos de Políticas Públicas: Efetivamente uma nova institucionalidade participativa? In: CARVALHO, M.C.A.A.; TEIXEIRA, A.C.C. (orgs.). Conselhos gestores de políticas públicas. São Paulo: Pólis, 2000, p. 99-119.

VIDIGAL, R. Petróleo barato e Covid-19 impactam a economia de Campos. [Entrevista concedida a] Ocinei Trindade. Terceira Via, Campos dos Goytacazes, 5 maio 2020. Disponível em: https://www.jornalterceiravia.com.br/2020/05/05/petroleo-barato-e-covid-19-impactam-a-economia-de-campos. Acesso em: 14 ago. 2020.

Downloads

Publicado

2021-08-14

Como Citar

Medeiros Barreto, K. R., & Monteiro Feres, E. . (2021). Controle social e gestão dos recursos públicos da assistência social durante a pandemia: A experiência nos conselhos de Campos dos Goytacazes e de Macaé. Mundo Livre: Revista Multidisciplinar, 7(1), 168-189. Recuperado de https://periodicos.uff.br/mundolivre/article/view/48562

Edição

Seção

Sessão temática