URGÊNCIAS, EMERGÊNCIAS E INSURGÊNCIAS NO CURRICULO DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

Autores

  • Vera Regina Souza dos Santos UNIRIO
  • Arnaldo de Oliveira Alves SME - Rio de Janeiro
  • Juliana de Melo Ferreira SME - Rio de Janeiro

Resumo

Objetivando problematizar as questões que emergem do cotidiano escolar e que, em um contexto de políticas neoliberais, adverso à construção de uma escola democrática, muitas vezes se revestem de um caráter insurgente, este trabalho propõe a reflexão e o debate acerca do currículo escolar e das possibilidades e desafios de se empreender uma proposta curricular a partir da realidade das/dos estudantes. Para tanto, analisa práticas didáticas que se efetivaram a partir das urgências e emergências percebidas no diálogo com estudantes de uma escola localizada na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Dá destaque especial à Educação Musical, que, integrando-se ao projeto de construção de uma escola democrática, constituiu-se em ferramenta que ajudou a codificar a realidade e o contexto vividos e a problematizá-los.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arnaldo de Oliveira Alves, SME - Rio de Janeiro

Especialista em Ensino de Arte (CESPEB/UFRJ). Professor de Educação Musical da Rede Municipal de Ensino do Rio de Janeiro.

Juliana de Melo Ferreira, SME - Rio de Janeiro

Especialista em Psicopedagogia (IMEC RJ). Professora AEE da Rede Municipal de Ensino do Rio de Janeiro.

Referências

CIAVATTA, L. O Passo: música e educação. Rio de Janeiro: Edição do autor, 2012.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais. Petrópolis: Vozes, 2006.

COCCO, C. A. São Paulo é uma escola: uma política curricular sob o olhar dos educadores. 2012. Tese (Doutorado em Educação). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, PUC-SP, São Paulo, 2012.

FELÍCIO, H. M. S. & POSSANI, L. Análise Crítica de Currículo. Currículo sem Fronteiras, v. 13, n. 1, p. 129-142, Jan./Abr. 2013.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 46ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005.

FREITAS, L. C. de. Os reformadores empresariais da educação: da desmoralização do magistério à destruição do sistema público de educação. Educação e Sociedade, Campinas, v. 33, n. 119, p. 379-404, abr. jun. 2012.

GANDIN, D. A prática do planejamento participativo. 14ª ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

MAHER, T. de J. M. Políticas indígenas e políticas de identidade: currículo e representações de professores indígenas na Amazônia ocidental brasileira. Currículo sem Fronteiras, v.10, n.1, pp.33-48, Jan/Jun 2010.

PARO, V. H. O currículo do Ensino Fundamental como tema de política pública: a cultura como conteúdo central. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 19, n. 72, p. 485-508, jul./set. 2011.

RIO DE JANEIRO. Secretaria Municipal de Educação. Núcleo Curricular Básico Multieducação. Rio de Janeiro, 1996.

Downloads

Publicado

2022-02-16

Como Citar

Souza dos Santos, V. R., de Oliveira Alves, A., & de Melo Ferreira, J. (2022). URGÊNCIAS, EMERGÊNCIAS E INSURGÊNCIAS NO CURRICULO DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL. RevistAleph, 1(38). Recuperado de https://periodicos.uff.br/revistaleph/article/view/51452