Um Reencontro com o Ocidente

Fernando Gil Portela Vieira

Resumo


Nosso sentimento de superioridade sobre um passado – que, queiramos ou não, nos pertence – de  preconceitos, exclusões e crimes, necessariamente nos torna mais livres e abertos do que nossos antepassados? É  esta a questão que o filósofo francês Alain Finkielkraut nos apresenta em A ingratidão, obra sobre a postura do homem atual frente à história. Nascido em 1949, participante das rebeliões de maio de 1968, se na juventude  Finkielkraut erguia barricadas contra o status quo, na maturidade não hesita em advogar a defesa de valores,  tradições ou instituições centrais da cultura ocidental. É o que se depreende da leitura de obras como A memória  vã e, sobretudo, A derrota do pensamento, ambas traduzidas para o português há duas décadas1.(...)


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.