"Se não cuidarmos em conservar as estâncias, donde e como teremos o necessário para sustentar a guerra?": as Propriedades Embargadas Durante a Guerra dos Farrapos (1835-1845)

Ânderson Marcelo Schmitt

Resumo


Este artigo analisa o tratamento dado às propriedades rurais durante a Guerra dos Farrapos, que ocorreu na província meridional do Rio Grande do Sul entre os anos de 1835 e 1845. Por possuírem um espaço de ação restrito, uma vez que não possuíram controle sobre as áreas comerciais, os farroupilhas se viram obrigados a sistematizar os confiscos sobre as propriedades daqueles que permaneceram fieis ao Império brasileiro. Delas, argumento, foi de onde vieram os auxílios imprescindíveis para que os rebeldes conseguissem se manter em guerra por dez anos, não havendo sucesso maior em razão das irregularidades no sistema aplicado. Parte-se das premissas da História Social e Política e são utilizados documentos contemporâneos ao conflito, tanto oficiais – escritos por autoridades farroupilhas - quanto oficiosos – quando mesmo não escritos por autoridades, elucidam o contexto político-social.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.