Era preciso construir um país: diplomacia cultural brasileira no século XIX

Célio Diniz Ribeiro

Resumo


Esta pesquisa procura refletir sobre as relações entre literatura e vida diplomática no Brasil do século XIX. Partindo-se do fato de que a diplomacia cultural, ou soft power, é um importante instrumento de política internacional, interessa discutir justamente como poetas diplomatas atuaram na construção da identidade nacional na complexa conjuntura de um país recém independente. Esses escritores mostravam, ademais, um caráter inquietante quanto ao papel de representar o Estado ao mesmo tempo em que tentavam manter uma relativa autonomia de pensamento. E o pano de fundo foi um contexto histórico, de embate entre modernização e manutenção das antigas estruturas sociais, políticas e econômicas, havia uma tensão expressa por um movimento intelectual trânsfugo, i.e., de afastamento e de uma remissão constante a uma identidade imaginária que esses autores configuravam.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.