Autoria e esquiva: pensamento, ética e experiência subjetiva em Michel Foucault.

Eduardo Leal Cunha

Resumo


O artigo parte dos argumentos de Richard Bernstein em defesa da postura crítica de Foucault, no contexto do debate com Habermas, segundo o qual a teoria foucaultiana do poder se ressentiria da explicitação de seus fundamentos normativos. Procuramos indicar, tomando como base a conferência sobre a função autor, de 1969, o modo como tal postura se materializa precisamente na recusa em assumir uma posição de enunciação vinculada à proclamação da Verdade, tanto quanto do Bem. Tal recusa, aqui denominada esquiva, faz com que tal crítica seja permanente e se constitua como entrelaçamento entre trabalho filosófico, problematização ética e experiência subjetiva.

Palavras-chave


ética; ontologia do presente; subjetivação; Foucault.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: