Espelhamentos, recordações e percalços sobre a feitura de espelhos - uma teatralização dos contos "O espelho", de Machado de Assis e Guimarães Rosa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22409/cadletrasuff.2020n60a742

Palavras-chave:

literatura, teatro, atuação.

Resumo

Este artigo narra a trajetória da confecção do projeto lítero-teatral Espelhos, realizado sobre os contos ‘O espelho”, de Machado de Assis, e ‘O espelho”, de Guimarães Rosa. Trata-se de um resgate elaborado a partir das anotações feitas durante as fases que se constituíram em um percurso - condutor do processo gerador de uma encenação leal às fontes literárias. Pessoal e objetivo, sentimental e reflexivo, Espelhamentos é a memória de um ator que foi modificado pelos materiais que escolheu.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ney Luiz Piacentini, Universidade de São Paulo

Professor doutor (temporário) do Departamento de Artes Cênicas da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo

 

Ney Piacentini: ator, professor, pesquisador e autor de livros sobre atuação.

 

Tem 40 anos de teatro e atuou em mais de 50 espetáculos, 30 longas e curtas-metragens, além de programas para a televisão. Integra a Companhia do Latão desde a sua fundação em 1997 e tem mestrado e doutorado em pedagogia teatral pela USP. Escreveu  O ator dialético: 20 anos de aprendizado na Companhia do Latão (Indicado ao Prêmio Aplauso Brasil 2018 – Categoria Destaque), Eugênio Kusnet: do ator ao professor e publicou Stanislavski revivido  (org. c/ Paulo Fávari). É professor de Poéticas da Atuação II na Universidade de São Paulo, Orientador da Pós-Graduação em Direção e Atuação do Centro Célia Helena Centro de Artes e Educação; e fez parte do corpo docente da Universidade Estadual Paulista (UNESP) e da Pós-Graduação da Faculdade Paulista de Artes (FPA). Por seu solo Espelhos foi indicado ao Prêmio de Melhor Ator de 2016 pela APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) e integrou o conjunto que ganhou o Prêmio Questão de Crítica/RJ-2103 de Melhor Elenco por O patrão cordial (Companhia do Latão). Recebeu também o Prêmio Cooperativa Paulista de Teatro 2013 pela sua contribuição ao teatro paulista. Foi apresentador do programa Revistinha da TV Cultura de São Paulo – Prêmio APCA de Melhor Programa Infanto-Juvenil de 1988 e 1989.

 

 

Referências

ALENCASTRO, Luiz Felipe de (org). História da vida privada no Brasil, v. 2. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

ASSIS, Machado de. Memórias Póstumas de Brás Cubas. Rio de Janeiro: Tipografia Nacional, 1882.
______________. Papéis Avulsos. Rio de Janeiro: Lombaerts & C., 1882.

CAMUS, Albert. O mito de Sísifo. Rio de Janeiro: Record, 2004.

HOLANDA, Sérgio Buarque. História Geral da Civilização Brasileira. Tomo II O Brasil Monárquico. Volume 7 Do Império a República. Rio de Janeiro: Editora Bertrand Brasil, 2005.

PESSOA, Patrick. Machado de Assis e Guimarães Rosa como dramaturgos. O Globo, Segundo Caderno. Crítica. Rio de Janeiro, 12 jan. 2019, p. 7.

ROSA, João Guimarães. Corpo de baile. São Paulo: José Olympio, 1956.

________________. Primeiras Estórias. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 2001.


WISNIK, José Miguel. Psiquê e psichê: no encontro dos espelhos de Machado e Rosa. https://joaocamillopenna.files.wordpress.com/2014/02/wisnik-josc3a9-miguel-psiquc3aa-e-psichc3aa-no-encontro-de-machado-e-rosa.pdf, 26/03/2019.

Downloads

Publicado

2020-07-16