Cultura material e o cotidiano do trabalho no Estado do Grão Pará e Maranhão no final do século XVIII e início do século XIX

Alice Maria de Jesus Teixeira

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar a cultura material dos espaços de produção rural na Amazônia do final do século XVIII a princípios do século XIX, usando como fonte os inventários e os relatos dos viajantes que percorreram a região nesse período, levando em consideração as relações entre objetos, ambiente e indivíduos, sendo assim, uma pesquisa que pretende ir além da descrição de objetos. A necessidade de se abordar os artefatos direcionados para uso na área de produção agrícola, sob a ótica da História da Cultura Material, é importante para preencher lacunas da historiografia colonial com relação ao mundo do trabalho e da agricultura.

Texto completo:

PDF

Referências


ACEVEDO MARIN, Rosa E. Camponeses, donos de engenhos e escravos na região do Acará nos séculos XVIII e XIX. Papers do NAEA, n. 153, out. 2000. p. 29. Disponível em: http://www.naea.ufpa.br/naea/novosite/index.php?action=Publicacao.arquivo&id=447. Acesso em: 23 ago. 2019.

ANGELO-MENEZES, Maria de Nazaré. Aspectos conceituais do sistema agrário do vale do Tocantins colonial. Cadernos de Ciência & Tecnologia. Brasília, v. 17, n. 1, 2000, p. 96-97. Disponível em: http://seer.sct.embrapa.br/index.php/cct/article/download/8864/4990. Acesso em: 26 ago. 2019.

ANGELO-MENEZES, Maria de Nazaré. O sistema agrário do vale do Tocantins colonial: agricultura para consumo e para a exportação. Projeto História, São Paulo, v. 18, p. 242. 1999. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/revph/article/view/10997/8117. Acesso em: 26 ago. 2019.

AUGUSTO, Isabel Teresa Creão. Entre o ter e o querer: domicílio e vida material em Santa Maria de Belém do Grão-Pará (1808-1830). Dissertação - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2007. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/278785. Acesso em 26 ago. 2019.

BEZERRA NETO, José Maia. Escravidão Negra no Grão-Pará (séculos XVII- XIX). Belém: Paka-Tatu, 2012.

COELHO, Mauro Cezar. O Diretório dos Índios e as Chefias Indígenas: uma inflexão. Campos, Curitiba, v. 7, n. 1, p. 117-134, 2006. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/campos/article/view/5444/3999. Acesso em: 26 ago. 2019.

COSTA, Diogo Menezes. Arqueologia Histórica Amazônida. Revista de Arqueologia, [S.l.], v. 30, n. 1, p. 154-174, jul. 2017. ISSN 1982-1999. Disponível em: www.revista.sabnet.com.br/revista/index.php/SAB/article/view/506. Acesso em: 09 jul. 2019.

FERREIRA, Alexandre Rodrigues. Diário da Viagem Filosófica pela Capitania de São José do Rio Negro, Revista do Instituto Histórico Geográfico Brasileiro. Rio de Janeiro, v. 70, 1888.

FRAGOSO, João Luís Ribeiro. Homens de grossa aventura: acumulação e hierarquia na praça mercantil do Rio de Janeiro (1790-1830). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1992, p. 356.

GUIMARÃES, Luiz Antônio Valente. As casas & as coisas: um estudo sobre vida material e domesticidade nas moradias de Belém – 1800-1850. Dissertação (Mestrado em História Social) - Universidade Federal do Pará, Belém, 2006. Disponível em: http://repositorio.ufpa.br/jspui/bitstream/2011/4322/1/Dissertacao_CasasCoisasEstudo.pdf. Acesso em: 26 ago. 2019.

LOPES, Siméia de Nazaré. As Rotas do Comércio Do Grão-Pará: Negociantes e Relações Mercantis (c. 1790 a c. 1830). Tese (Doutorado em História Social) - Instituto de História, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013. Disponível em:

LISBOA, Karen Macknow. Viagem pelo Brasil de Spix e Martius: Quadros da Natureza e Esboços de uma Civilização. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 15, n. 29, p.73-91, 1995. Disponível em: https://www.anpuh.org/arquivo/download?ID_ARQUIVO=3774. Acesso em:

MARTINEZ, Cláudia Eliane Parreiras Marques. Cinzas do passado: riqueza e cultura material no Vale do Paraopeba/MG: 1840 a 1914. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2006. - Tese (Doutorado em História Social), p.24-25. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8137/tde-05072007-113720/publico/TESE_CLAUDIA_ELIANE_PARREIRAS_MARQUES_MARTINEZ.pdf. Acesso em 26 ago. 2019.

MERLO, Patricia. A história em distintos modos de fazer: reinvenções de Daniel Roche. Cultura Histórica & Patrimônio, Alfenas, v.2, n.1, p. 89-99, dez. 2013. ISSN 2316-5014. Disponível em :

https://publicacoes.unifalmg.edu.br/revistas/index.php/cultura_historica_patrimonio/article/view/07_art_v2n1_merlo/109. Acesso em: 03 jul. 2019.

PESEZ, Jean-Marie. História da cultura material. In: LE GOFF, Jacques. A história nova. São Paulo: Martins Fontes, 2001, p. 210-211.

RAMINELLI, Ronald. Ciência e colonização: a viagem filosófica de Alexandre Rodrigues Ferreira, Tempo. Niterói, n. 6, p. 157-182, jun. 1997.

REDE, Marcelo. História a partir das coisas: tendências recentes nos estudos de cultura material. Anais do Museu Paulista, São Paulo, v. 4, n. 1, p. 265-282, 1996.

SAMPAIO, Patrícia Melo. Espelhos partidos: etnia, legislação e desigualdade na Colônia. Manaus: EdUA, 2011, p. 54-55.

SOUZA JUNIOR, José Alves de. Tramas do Cotidiano: religião, política, guerra e negócios no Grão-Pará do setecentos: Um estudo sobre a Companhia de Jesus e a política pombalina. Orientador: Fernando Torres Londoño. 2009. 427 f. Tese (Doutorado em História Social) – Departamento de História, Programa de Pós-Graduação em História Social, Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 2009. Disponível em: https://tede2.pucsp.br/bitstream/handle/13169/1/Jose%20Alves%20de%20Souza%20Junior.pdf.Acesso em: 23 ago. 2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.