Efeitos do saber-fazer de psicólogos na Saúde Mental do Piauí

João Paulo Macedo, Magda Dimenstein

Resumo


Pretende-se analisar os saberes e práticas de psicólogos que atuam na rede de Saúde Mental, bem como seus efeitos na produção do cuidado e modos de implicação destes profissionais com o processo de Reforma Psiquiátrica em curso no país. Trata-se de um estudo qualitativo, com uso de entrevista semiestruturada (n = 29) e observação dos processos de trabalho e organização dos serviços localizados em Teresina-PI: CAPS, Unidades Básicas de Saúde, serviços ambulatoriais, hospitais psiquiátricos e gerência de Saúde Mental. Os resultados indicam que a formação graduada e pós-graduada aporta poucos conhecimentos teóricos e práticos para os psicólogos atuarem na Saúde Mental. Os norteadores teórico-técnicos e prático-profissionais escolhidos pelos entrevistados indicam um compromisso com o saber-fazer clássico do psicólogo, pouco consoante com a perspectiva da Atenção Psicossocial, e consequentemente, com a sustentação política do processo de Reforma Psiquiátrica e Luta Antimanicomial.

Palavras-chave


formação do psicólogo; reforma psiquiátrica; abordagem psicossocial.

Texto completo:

PDF

Referências


AMARANTE, P. O homem e a serpente: outras histórias para a loucura e a psiquiatria. Rio de Janeiro: Fiocruz, 1996.

BASTOS, A. V. B.; ACHCAR, R. Dinâmica profissional e formação do psicólogo: uma perspectiva de integração. In: CFP. Psicólogo brasileiro: práticas emergentes e desafios para a formação. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1994. p. 245-272.

BASTOS, A. V. B.; GONDIM, S. M. G.; RODRIGUES, A. C. A. Uma categoria profissional em expansão: quantos somos e onde estamos? In: BASTOS, A. V. B.; GONDIM, S. M. G. (Org.). O trabalho do psicólogo no Brasil. Porto Alegre: Artmed, 2010. p. 32-44.

BOARINI, M. L.; BORGES, R. F. O psicólogo na atenção básica à saúde. Psicologia Ciência e Profissão, Brasília, v. 29, n. 3, p. 602-613, set. 2009.

BRASIL. Ministério da Saúde. Saúde mental em dados 8. Informativo eletrônico de dados sobre a Política Nacional de Saúde Mental, Brasília, ano 6, n. 8, jan. 2011. Disponível em: Acesso em: 20 maio 2011.

CAMPOS, F. C. B.; GUARIDO, E. L. O psicólogo no SUS: suas práticas e as necessidades de quem o procura. In: SPINK, M. J. P. (Org.). A psicologia em diálogo com o SUS: prática profissional e produção acadêmica. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007. p. 81-104.

CAMPOS, G. W. S. Saúde paidéia. São Paulo: Hucitec, 2003.

DIMENSTEIN, M. O psicólogo nas unidades básicas de saúde: desafios para a formação e atuação profissionais. Estudos de Psicologia, Natal, v. 3, n. 1, p. 53-81, jan./jul. 1998.

DIMENSTEIN, M. A cultura profissional do psicólogo e o ideário individualista: implicações para a prática no campo da assistência pública à saúde. Estudos de Psicologia, Natal, v. 5, n. 1, p. 95-122, jan. 2000.

DIMENSTEIN, M. O psicólogo e o compromisso social no contexto da saúde coletiva. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 6, n. 2, p. 57-63, jul. 2001. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2011.

DIMENSTEIN, M. (Org.). Produção do conhecimento, agenciamentos e implicação no fazer pesquisa em Psicologia. Natal: EDUFRN, 2009.

FERREIRA NETO, J. L. Intervenção psicossocial em saúde e formação do psicólogo. Psicologia e Sociedade, Porto Alegre, v. 20, n. 1, p. 62-69, jan./abr. 2008. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2011.

FERREIRA NETO, J. L. A atuação do psicólogo no SUS: análise de alguns impasses. Psicologia Ciência e Profissão, Brasília, v. 30, n. 2, p. 390-403, jun. 2010.

FIGUEIRA, S. Psicologismo, psicanalismo e ciências sociais na “cultura psicanalística”. In: FIGUEIRA, S. A. Cultura da psicanálise. São Paulo: Brasiliense, 1985. p. 169-177.

GONDIM, S. M. G.; MAGALHÃES, M. O.; BASTOS, A. V. B. Escolha da profissão: as explicações construídas pelos psicólogos brasileiros. In: BASTOS, A. V. B.; GONDIM, S. M. G. (Org.). O trabalho do psicólogo no Brasil. Porto Alegre: Artmed, 2010. p. 66-84.

GUARESCHI, N. M. F.; REIS, C. Encontros e desencontros entre psicologia e política: formando, deformando, transformando profissionais de saúde. Psicologia Ciência e Profissão, Brasília, v. 30, n. 4, p. 854-867, out./dez. 2010. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2011.

MACEDO, J. P.; DIMENSTEIN, M. Formação profissional no campo da saúde mental: a psicologia piauiense em análise. Interface - Comunicação, Saúde e Educação, Botucatu, v. 15, n. 39, p. 1145-1158, ago. 2011. Disponível em: . Acesso em: 22 jan. 2012.

MACÊDO, K. B.; HELOANI, R.; CASSIOLATO, R. O psicólogo como trabalhador assalariado: setores de inserção, locais, atividades e condições de trabalho. In: BASTOS, A. V. B.; GONDIM, S. M. G. (Org.). O trabalho do psicólogo no Brasil. Porto Alegre: Artmed, 2010. p. 131-150.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 7. ed. São Paulo: Hucitec. 2000.

OLIVEIRA, W. F. Algumas reflexões sobre as bases conceituais da saúde mental e sobre a formação do profissional de saúde mental no contexto da promoção da saúde. Saúde em Debate, Rio de Janeiro, v. 32, n. 78/79/80, p. 38-48, jan./dez. 2008.

PASSOS, E.; BARROS, R. B. A construção do plano da clínica e o conceito de transdisciplinaridade. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 16, n. 1, p. 71-79, jan./abr. 2000. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2011.

RIBEIRO, S. L.; LUZIO, C. A. As diretrizes curriculares e a formação do psicólogo para a saúde mental. Psicologia em Revista, Belo Horizonte, v. 14, n. 2, p. 203-220, dez. 2008. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2011.

ROSA, L. C. S. O nordeste na reforma psiquiátrica. Teresina: EDUFPI, 2006.

SALES, A. L.; DIMENSTEIN, M. Psicologia e modos de trabalho no contexto da Reforma Psiquiátrica. Psicologia Ciência e Profissão, Brasília, v. 29, n. 4, p. 812-827, out./dez. 2009a. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2011.

SALES, A. L.; DIMENSTEIN, M. Psicólogos no processo de reforma psiquiátrica: práticas em desconstrução? Psicologia em Estudo, Maringá, v. 14, n. 2, p. 277-285, abr./jul. 2009b. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2011.

SPINK, M. J. et al. A inserção de psicólogos em serviços de saúde vinculados ao SUS: subsídios para entender os dilemas da prática e os desafios da formação profissional. In: SPINK, M. J. P. (Org.). A psicologia em diálogo com o SUS: prática profissional e produção acadêmica. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007. p. 53-79.

VASCONCELOS, E. M. (Org.). Desafios políticos no campo da saúde mental na atual conjuntura: uma contribuição ao debate da IV Conferência Nacional. In: _________. Desafios políticos da reforma psiquiátrica brasileira. São Paulo: Hucitec, 2010. p. 17-74.

YAMAMOTO, O. H., OLIVEIRA, I. F. Política social e psicologia: uma trajetória de 25 anos. Psicologia: Teoria e Pesquisa, Brasília, v. 26, n. 26, p. 9-24, no. spe. 2010. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2011.

YASUI, S.; COSTA-ROSA, A. A estratégia atenção psicossocial: desafio na prática dos novos dispositivos de saúde mental. Saúde em Debate, Rio de Janeiro, v. 32, n. 78/79/80, p. 27-37, jan./dez. 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: