A Cartografia como estratégia metodológica à produção de dispositivos de intervenção na Psicologia Social

Murilo Cavagnoli, Katia Maheirie

Resumo


O artigo propõe desdobrar questões acerca da pesquisa-intervenção cartográfica visando contribuir para a construção de dispositivos de intervenção no trabalho da psicologia social. Considerando os desafios contemporâneos à psicologia, apresenta a cartografia como metodologia que engendra processos dialógicos, envolvendo pesquisadores e pesquisados na negociação de sentidos e ações que apreendam a complexidade do cotidiano. Desenvolve a possibilidade de que a cartografia contribua para a criação de dispositivos de intervenção singulares, potencializando uma ética dos encontros. Deste modo, afirmamos que os dispositivos cartográficos oferecem vias consistentes à elaboração de experiências relacionais que sustentam, caso a caso, um plano compartilhado de afecções, com o objetivo de dar vazão a movimentos de subjetivação criadores, problematizadores e transformadores da realidade, ao investir na potência do coletivo. As sínteses aqui produzidas reafirmam a indelével relação entre pesquisar e intervir, explorando conexões entre o método cartográfico, seus dispositivos e o compromisso social da psicologia, em uma perspectiva crítica.


Palavras-chave


cartografia; dispositivos de intervenção; psicologia social

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Problemas da poética de Dostoiévski. Trad. Paulo Bezerra. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2001.

BARROS, Laura Pozzana de; KASTRUP, Virgínia. Cartografar é acompanhar processos. In: PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia;

ESCOSSIA, Liliana. Pistas do método da Cartografia. Porto Alegre: Sulina, 2009. p. 52-75

BENEVIDES, Regina. A Psicologia e o Sistema Único de Saúde: quais interfaces? Psicologia & Sociedade, Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 21-25, 2005. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-71822005000200004

BERNARDES, Jefferson de Souza. História. In: STREY, Marlene Neves et al. (Org.). Psicologia social contemporânea: livro texto. 12 ed. Petrópolis: Vozes, 2009. v. 1, p. 10-30.

BOCK, Ana Mercês Bahia. A psicologia e o caminho do novo século: identidade profissional e compromisso social. Estudos em Psicologia, Natal, v. 4, n. 2, p. 315-329, 1999. https://doi.org/10.1590/S1413-294X1999000200008

BOCK, Ana Mercês Bahia. Psicologia Social e as Políticas Públicas. In: TATSCH, Dirce T.; GUARESCHI, Neuza M. F.;

BAUMKARTEN, Silvana T. (Org.). Tecendo Relações e Intervenções em Psicologia Social. Porto Alegre: ABRAPSO SUL, 2009. v. 1, p. 174-182.

BOCK, Ana Mercês Bahia; GONÇALVEZ, Maria da Graça Marchina. FURTADO, Odair. Psicologia sócio-histórica: uma perspectiva crítica em psicologia. 5 ed. São Paulo: Cortez, 2001.

CAMPOS, Regina Helena de Freitas. Psicologia social comunitária: da solidariedade à autonomia. Petrópolis: Vozes, 1985.

CAVAGNOLI, Murilo; MAHEIRIE, Katia. Heterogênese e regime estético da arte: a composição do sensível e a política da estética na criação musical. In: VOJNIAK, F. (Org.). História e linguagens: historiografia, memórias e política. São Paulo: Paco Editorial, 2015. p. 205-228.

DELEUZE, Gilles. Lógica do sentido. Trad. Luiz Roberto Salinas Fortes. São Paulo: Perspectiva, 1974.

DELEUZE, Gilles. ¿Que és un dispositivo? In: Michel Foucault, filósofo. Barcelona: Gedisa, 1990. p. 155-161.

DELEUZE, Gilles. Desejo e prazer. In: PELBART, P; ROLNIK, S. (Org.). Cadernos de Subjetividade, PUC/São Paulo, v. 1, n. 1, p. 13-25, 1993.

DELEUZE, Gilles. Diferença e repetição. São Paulo: Graal, 2009.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: Editora 34, 2007a. v. 1.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é a Filosofia? Rio de Janeiro: Editora 34, 2007b.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O anti-édipo: capitalismo e esquizofrenia. São Paulo: Editora 34, 2011.

ESPINOSA, Baruch. Ética. Lisboa: Relógio d’agua, 1992.

FANLO, Luis Garcia. Que és un dispositivo? Foucalt, Deleuze y Agambem. A Parte Rei. Revista de Filosofía, Madrid, n. 74, p. 1-8, 2011. Disponível em: https://www.aacademica.org/luis.garcia.fanlo/2. Acesso em: 22 mar. 2018.

FIGUEIREDO, Luís Cláudio. Convergências e divergências: a questão das correntes de pensamento em psicologia. São Paulo: Transformações, 1992.

FOUCAULT, Michel. História da loucura na idade clássica. São Paulo: Perspectiva, 1978.

FOUCAULT, Michel. El Juego de Michel Foucault. In: ______. Saber y Verdad. Madrid: Ediciones de la Piqueta, 1984. p. 127-162.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense, 1986.

FOUCAULT, Michel. Apêndice: o sujeito e o poder. DREYFUS, Hubert; RABINOW, Paul (Org.). Uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da hermenêutica. São Paulo: Forense, 1995.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: o nascimento da prisão. Petrópolis, Vozes, 1997.

FREIRE, José Célio. As psicologias na modernidade tardia: o lugar vacante do Outro. Psicologia USP, São Paulo, v. 12, n. 2, p. 73-93, 2001. https://doi.org/10.1590/S0103-65642001000200005

GIDDENS, Anthony. As consequências da modernidade. São Paulo: Unesp, 1991.

GUATTARI, Félix. As três ecologias. São Paulo: Papirus, 2006.

HALL, Stuart. Identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: Lamparina, 2014.

HARVEY, David. Condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 2013.

HUR. Domenico Uhng. O dispositivo de grupo na esquizoanálise: tetravalência e esquizodrama. Vínculo, São Paulo, v. 9, n. 1, p. 18-16, 2012. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-24902012000100004&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 12 out. 2019.

KASTRUP, Virgínia. O funcionamento da atenção no trabalho do cartógrafo In: PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia; ESCOSSIA, Liliana. Pistas do método da Cartografia. Porto Alegre: Sulina, 2009. p. 32-51.

KASTRUP, Virgínia; PASSOS, Eduardo. Cartografar é traçar um plano comum. Fractal: Revista de Psicologia, Rio de Janeiro, v. 25, n. 2, p. 263-280, 2013. https://doi.org/10.1590/S1984-02922013000200004

LANE, Silvia Tatiana Maurer; CODO, Wanderlei. Psicologia social: o homem em movimento. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1985.

MACHADO, Roberto. Deleuze: arte e a Filosofia. Rio de Janeiro: Zahar, 2013.

PASSOS, Eduardo; BARROS, Regina Benevides. A Cartografia como método de pesquisa-intervenção. In: PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia; ESCOSSIA, Liliana. Pistas do método da Cartografia. Porto Alegre: Sulina, 2009. p. 17-31.

PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia; ESCOSSIA, Liliana. Pistas do método da Cartografia. Porto Alegre: Sulina, 2009.

PASSOS, Eduardo; KASTRUP, Virgínia; TEDESCO, Silvia. Pistas do método da Cartografia: a experiência da pesquisa e o plano comum. Porto Alegre: Sulina, 2014.

RANCIÈRE, Jacques. O desentendimento: política e filosofia. São Paulo: Editora 34, 1996.

REIS, Alice Casanova dos. ZANELLA, Andréa Vieira. Psicologia Social no campo das políticas públicas: oficinas estéticas e reinvenção de caminhos. Revista de Ciências Humanas, Florianópolis, v. 49, n. 1, p. 17-34, 2015. https://doi.org/10.5007/2178-4582.2015v49n1p17

SIMONDON, Gilbert. A gênese do indivíduo. Cadernos de subjetividade. Núcleo de Estudos e Pesquisas da Subjetividade do Programa de Pós-Graduados em Psicologia Clínica, PUC/São Paulo, v. 1, n. 1, p. 164-175, 1993.

TEDESCO, Silvia. A ética da pesquisa e a perspectiva da cartografia: algumas considerações. Revista Polis e Psique, v. 5, n. 2, p. 32-47, 2015. https://doi.org/10.22456/2238-152X.53952

ZANELLA, Andréa Vieira; LEVITAN, Déborah; ALMEIDA, Gabriel Bueno; FURTADO, Janaina Rocha. Sobre reXistências. Revista Psicologia Política, São Paulo, v. 12, n. 24. p. 247-262, 2012. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-549X2012000200005&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 17 fev. 2019.




DOI: https://doi.org/10.22409/1984-0292/v32i1/5680

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


URL da licença: https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: