O Serviço social ante o controle do HIV/Aids

Uma análise com ênfase nos condicionantes do processo saúde-doença

Autores

Palavras-chave:

Serviço social, HIV, Aids, Determinantes sociais da saúde

Resumo

Este artigo analisa o trabalho do Serviço Social diante da prevenção e do tratamento da infecção pelo vírus HIV/Aids, associando-o aos condicionantes sociais e econômicos desse processo saúde-doença. Foi elaborado a partir de levantamento bibliográfico relacionado aos seus principais conceitos e de mediações com as ações de um Programa Municipal DST/Aids e hepatites virais, por ocasião do estágio em Serviço Social. A análise afirma a importância do trabalho do Serviço Social diante dos condicionantes socioeconômicos que dificultam o controle da enfermidade, sendo eles muito presentes na vida dos usuários do referido programa de saúde. Sobre o trabalho do Serviço Social, destaca sua dimensão educativa e de promoção do acesso às políticas públicas, com vistas à garantia de direitos sociais; no entanto, registra a presença de desafios inerentes ao trabalho profissional, em especial mediante a implementação da contrarreforma neoliberal e dos limites na gestão pública do sistema de saúde

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Daniele Pinto da Silva Faria, Universidade Federal Fluminense

Bacharel em Serviço Social pelo Departamento de Serviço Social de Campos, da Universidade Federal Fluminense (UFF), Brasil

Viviane Aparecida Siqueira Lopes, Universidade Federal Fluminense

Professora do Departamento de Serviço Social de Campos, da Universidade Federal Fluminense, Brasil. Doutora e Mestre em Saúde Pública pela Escola Nacional de Saúde Pública/ Fundação Oswaldo Cruz (ENSP/FIOCRUZ). Especialista em Serviço Social Contemporâneo e Bacharel em Serviço Social, pela Universidade Federal Fluminense (UFF)

Referências

AZEVEDO, V. A prática profissional do serviço social no tratamento para HIV/Aids no Brasil. Intervenção Social, Lisboa, n. 46, p. 41-56, jul./dez. 2015.

BASTOS, F. I.; SZWARCWALD, C. L. Aids e pauperização: principais conceitos e evidências empíricas. Caderno de Saúde Pública. Rio de Janeiro, v. 16, p. S65-S76, 2000. Suplemento 1

BEHRING, E.R. A condição da seguridade social pública no Brasil. In: BEHRING, E. R. Brasil em contrarreforma: desestruturação do Estado e perda de direitos. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2018. p. 213-280.

BOSCHETTI, I. Agudização da barbárie e desafios ao Serviço Social. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, n. 128, p. 54-71, jan./abr. 2017.

BRASIL. [Constituição (1988)] Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988. Disponível em:

https://www.senado.leg.br/atividade/const/con1988/CON1988_05.10.1988/CON1988.pdf Acesso em: 12 out. 2020.

BRASIL. Presidência da República. Lei nº 8080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, [1990]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8080.htm. Acesso em: 12 out. 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Avaliação e monitoramento da qualidade e recomendações de boas práticas da assistência ambulatorial em Aids no SUS. Brasília, DF: QualiAids, 2008. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/caderno_qualiAids.pdf. Acesso em: 10 jul. 2020.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. DEPARTAMENTO DE DOENÇAS DE CONDIÇÕES CRÔNICAS E INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS. Departamento passa a utilizar nomenclatura "IST" no lugar de "DST". 17 nov. 2016. Disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/noticias/departamento-passa-utilizar-nomenclatura-ist-no-lugar-de-dst. Acesso em: 20 out. 2020.

BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE. DEPARTAMENTO DE DOENÇAS DE CONDIÇÕES CRÔNICAS E INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS. Autoteste de HIV. 2019. Disponível em: http://www.Aids.gov.br/pt-br/autoteste/o-que-e-um-autoteste. Acesso em: 28 jul. 2020.

BRAVO, M. I. S. A Privatização da Saúde nos Governos do Partido dos Trabalhadores (PT). In: ENCONTRO NACIONAL SERVIÇO SOCIAL E SEGURIDADE SOCIAL, 5., 2015, Belo Horizonte, MG. Anais [...]. Brasília: Conselho Federal de Serviço Social (CFESS), 2018. Disponível em: http://www.cfess.org.br/arquivos/2018CFESS-5EncontroSeguridade.pdf. Acesso em: 12 out. 2020.

BRAVO, M. I. S.; MATOS. M. C. Reforma sanitária e projeto ético-político do Serviço Social: elementos para o debate. In: BRAVO. M. I. S. et al. (orgs.). Saúde e Serviço Social, 2. ed., São Paulo: Cortez, 2004. p. 25 - 47.

CAMPOS, A. C. M. et al. Desigualdade de acesso entre diferentes etnias de pacientes com HIV/Aids tratados no HC Unicamp. Serviço Social & Saúde, Campinas, v. 10, n. 11, p. 91 – 111, jul. 2011.

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL (CFESS). Parâmetros para atuação de assistentes sociais na Política de Saúde. Brasília: CFESS, 2010. p. 31-65. Disponível em: http://www.cfess.org.br/arquivos/Parametros_para_a_Atuacao_de_Assistentes_Sociais_na_Saude.pdf. Acesso em: 10 jul. 2020.

CLEMENTINO, M. O. O HIV/Aids como expressão da “questão social”: demandas de intervenção para os/as assistentes sociais. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE, 2., 2017, Campina Grande, PB. Anais [...]. Campina Grande, PB: Cemep, 2017. Disponível em: http://www.conbracis.com.br/. Acesso em: 10 jul. 2020.

ESTAVELA, A. J.; SEIDL, E. M. F. Vulnerabilidades de gênero, práticas culturais e infecção pelo HIV em Maputo. Psicologia & Sociedade, Recife, PE, v. 27, n. 3, p. 569-578, set./dez. 2015.

FONSECA, M. G. P. et al. Análise sócio demográfica da epidemia de Aids no Brasil: 1989-1997. Revista de Saúde Pública, v. 36, n. 6, p. 678-685, 2002.

IAMAMOTO, M. V. Serviço Social em tempo de capital fetiche: capital financeiro, trabalho e questão social. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2015.

IAMAMOTO, M. V. As dimensões ético-políticas e teórico-metodológicas no Serviço Social contemporâneo. In: MOTA, A. E. et al. (orgs.). Serviço Social e Saúde: formação e trabalho profissional. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2007. p.161 – 196.

IRFFI, G.; SOARES, R. B.; SOUZA, S. A. Fatores socioeconômicos, demográficos, regionais e comportamentais que influenciam no conhecimento sobre HIV/Aids. Economia, Brasília, DF, v. 11, n. 2, p. 333-356, maio/ago. 2010.

LUSTOSA, I. A. As expressões da questão social que repercutem sobre a adesão ao tratamento de pessoas vivendo com HIV/Aids atendidas na Rede de Solidariedade Positiva – RSP. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Serviço Social) - Centro de Ensino Superior do Ceará, Faculdades Cearenses, Fortaleza, 2014. Disponível em: http://www.faculdadescearenses.edu.br/. Acesso em: 05 jun. 2020.

MOURA, J. P.; FARIA, M. R. Caracterização e perfil epidemiológico das pessoas que vivem com HIV/Aids. Revista de Enfermagem UFPF, Recife, v. 11, supl. 12, p. 5214-5220, dez. 2017.

NOGUEIRA, D. O.; SARRETA, F. O. A Inserção do Assistente Social na Saúde: desafios atuais. In: SIMPÓSIO MINEIRO DE ASSISTENTES SOCIAIS, 4., 2016, Belo Horizonte, MG. Anais [...]. Belo Horizonte, MG: Cress, 2016. Disponível em: http://cress-mg.org.br/hotsites/Upload/Pics/13/130a0812-1065-4c0b-9ab2-41a70858af1d.pdf. Acesso em: 12 jul. 2020.

NOGUEIRA, V. M. R.; MIOTO, R. C. T. Desafios atuais do Sistema Único de Saúde (SUS) e as exigências para os Assistentes Sociais. In: MOTA, A. E. et al. (orgs.). Serviço Social e saúde: formação e trabalho profissional. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2007. p. 218-241.

ONU (ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS-BRASIL). Mais de 850 mil mulheres se infectam com HIV, todos os anos, no mundo, diz Unaids. 2017. Disponível em: https://nacoesunidas.org/mais-de-850-mil-mulheres-se-infectam-com-hiv-todos-os-anos-no-mundo-diz-unAids/. Acesso em: 20 jul. 2020.

PARKER, R.; CAMARGO JR., K. R. Pobreza e HIV/Aids: aspectos antropológicos e sociológicos. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 16, supl. 1, p. 89-102, 2000. Disponível em: http://www.scielo.br. Acesso em: 20 abr. 2020.

PEREIRA, B. S. et al. Fatores associados à infecção pelo HIV/Aids entre adolescentes e adultos jovens matriculados em Centro de Testagem e Aconselhamento no estado da Bahia, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 19, n. 3, p. 747 – 758, mar. 2014.

PEREIRA, L. A. Uma análise sobre as desigualdades do HIV/Aids em municípios brasileiros, nos anos 1991, 2000 e 2010. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Saúde Coletiva) - Faculdade de Ceilândia Curso de Saúde Coletiva, Universidade de Brasília, Brasília, 2015. Disponível em: http://bdm.unb.br/. Acesso em: 16 maio 2020.

PIANA. M. C. O Serviço Social na contemporaneidade: demandas e respostas. In: UNESP (org.). A construção do perfil do assistente social no cenário educacional. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009. p. 85 – 117. Disponível em: http://books.scielo.org. Acesso em: 5 set 2020.

RAMOS, C. P.; CÂNDIDO, R. Aids - aspectos sócio-políticos: convite para o pensar. In: SIMPÓSIO MINEIRO DE ASSISTENTES SOCIAIS, 4., 2016, Belo Horizonte, MG. Anais [...]. Belo Horizonte, MG: CRESS, 2016. Disponível em: https://cress-mg.org.br/. Acesso em: 22 maio 2020.

SILVA, T. M.; ROCHA, M. S. Desigualdade, pobreza e feminização da Aids no Brasil e na África do Sul. Núcleo de Estudos e Pesquisas em Políticas e Direitos Sociais, Departamento de Serviço Social, Centro de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2010. Disponível em: http://www.cchla.ufrn.br/cnpp/pgs/anais/Arquivos%20GTS%20-%20recebidos%20em%20PDF/DESIGUALDADE,%20POBREZA%20E%20FEMINIZA%C3%87%C3%83O%20DA%20Aids%20NO%20BRASIL%20E%20NA%20%C3%81FRICA%20DO%20SUL.%20.pdf . Acesso em: 12 out. 2020.

SOARES, J. P. et al. Prevalência e fatores de risco para o HIV/Aids em populações vulneráveis: uma revisão integrativa de literatura. Arquivos Catarinenses de Medicina, v. 46, n. 4, p. 182-194, dez. 2017.

SOUSA. J. C. et al. A Efetivação do Projeto Ético Político Profissional no Âmbito da Assistência Social. In: CONGRESSO CATARINENSE DE ASSISTENTES SOCIAIS, 1, 2013, Florianópolis, SC. Anais [...]. Florianópolis: CRESS, 2013. Disponível em: http://cress-sc.org.br/. Acesso em: 20 jul. 2020.

UNAids. UNAids Brasil, 2017. Disponível em: http://www.unAids.org.br. Acesso em: 20 jul. 2020.

VIEIRA, A. C. S. et al. A epidemia de HIV/Aids e a ação do Estado: diferenças entre Brasil, África do Sul e Moçambique. Katálysis, Florianópolis, v. 17, n. 2, jul./dez. 2014.

Downloads

Publicado

2020-12-19

Como Citar

Faria, D. P. da S., & Lopes, V. A. S. (2020). O Serviço social ante o controle do HIV/Aids: Uma análise com ênfase nos condicionantes do processo saúde-doença. Mundo Livre: Revista Multidisciplinar, 6(2), 383-399. Recuperado de https://periodicos.uff.br/mundolivre/article/view/47720

Edição

Seção

Sessão temática

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)