Política e violência nas margens da cidade: um experimento político numa favela de São Paulo

Gabriel Feltran

Resumo


O artigo descreve e analisa a ação política de uma entidade social das periferias de São Paulo, e em especial a experiência nas “audiências públicas na favela”, empreendidas entre 2005 e 2007 pelo Centro de Defesa de Direitos de Sapopemba, organização sediada na zona leste da cidade. Os eventos consistiram numa série de debates sobre a violência policial em favelas do distrito, para os quais eram convidados tanto familiares de vítimas quanto autoridades públicas (comandantes de polícia, operadores da justiça, gestores municipais, vereadores e deputados etc.). Analisando a espiral de desdobramentos públicos gerados pelas audiências, e a onda de ameaças e atentados que se seguiu a elas, o artigo reflete sobre as relações entre política, violência e democracia no Brasil contemporâneo. A argumentação está amparada em pesquisa etnográfica realizada entre 2005 e 2010.

Palavras-chave


Violência policial, democracia, periferia, Centro de Defesa de Direitos de Sapopemba

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, Hannah. Reflexões sobre Little Rock. In: ARENDT, Hannah. Responsabilidade e Julgamento. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

AVRITZER, Leonardo; NAVARRO, Zander. (org.) A Inovação Democrática no Brasil.

São Paulo: Cortez Editora, 2003.

BAIERLE, Sérgio Gregório. Um novo princípio ético político: prática social e sujeito nos movimentos populares urbanos em Porto Alegre nos anos 80. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1992.

BIONDI, Karina. “Junto e Misturado”: uma etnografia do PCC. São Paulo: Terceiro Nome/Fapesp, 2010.

BOURDIEU, Pierre. Efeitos de Lugar. In: Bourdieu, P. (org.) A miséria do mundo. Petrópolis: Vozes, 5.ed. 2003.

CALDEIRA, Teresa Pires do Rio. A Política dos Outros: o cotidiano dos moradores da periferia e o que pensam do poder e dos poderosos. São Paulo: Brasiliense, 1984.

CARVALHO, José Murilo de. Os bestializados: o Rio de Janeiro e a República que não foi. São Paulo, Companhia das Letras, 3.ed., 2002.

CEFAÏ, Daniel. Pourquoi se mobilise-t-on? Les théories de l’action collective. Paris :La Découverte, 2007.

_______. Le quartier comme contexte, ressource, enjeu et produit de l’action collective. Les ancrages de proximité d’une arène publique. Belleville, Paris Xxème. In : VITALE, T. (ed.), Partecipazione e rappresentanza nelle mobilitazioni locali. Milan : Mondadori, 2006.

_______. La construction des problèmes publics. Définitions de situations dans des arènes publiques. Reseaux, n.75, 1996.

CEFAÏ, Daniel ; PASQUIER, Dominique (dir.). Les Sens du public : Publics politiques, publics médiatiques. Paris : Presses Universitaires de France, 2003.

CHALHOUB, Sidney. Cidade febril: cortiços e epidemias na Corte Imperial. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

CHAUÍ, Marilena. Brasil: mito fundador e sociedade autoritária. São Paulo:Fundação Perseu Abramo, 2000.

COSTA, Sérgio. Contextos de construção do espaço público no Brasil. Novos Estudos Cebrap, n. 47. São Paulo, 1997.

DAGNINO, Evelina. Sociedade Civil, Espaços Públicos e a Construção Democrática no Brasil: Limites e Possibilidades In: DAGNINO, Evelina. (org.) Sociedade Civil e Espaços Públicos no Brasil. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

DAGNINO, Evelina; OLVERA, Alberto; PANFICHI, Aldo (orgs.). A disputa pela construção democrática na América Latina. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

DAGNINO, Evelina; TATAGIBA, Luciana. Democracia, sociedade civil e participação. Chapecó: Argos, 2007.

DOIMO, Ana Maria. A Vez e a Voz do Popular: movimentos sociais e participação política no Brasil pós-70. Rio de Janeiro: Relume Dumará/ANPOCS, 1995.

DURHAM, Eunice Ribeiro. A dinâmica da cultura. São Paulo: Cosac Naify, 2005.

_______. A caminho da cidade. São Paulo: Perspectiva, 1973.

FELTRAN, Gabriel de Santis. Transformações sociais e políticas nas periferias de São Paulo. In: Kowarick, L.; Marques, E. (orgs.) São Paulo, (no prelo). 2010a.

_______. Crime e castigo na cidade: os repertórios da justiça e a questão do homicídio nas periferias de São Paulo. Cadernos CRH. v.23, n.58, jan/abr. 2010b.

_______. The management of violence on the periphery of São Paulo: a normative apparatus repertoire in the “PCC era”. Vibrant Virtual Brazilian Anthropology. v.7, n.2, 2010c.

_______. Fronteiras de tensão: um estudo sobre política e violência nas periferias de São Paulo. Tese de Doutorado, IFCH/Unicamp, 2008.

_______. Vinte anos depois: a construção democrática brasileira, vista da periferia de São Paulo. Lua Nova Revista de Cultura e Política. São Paulo, 2007.

_______. Deslocamentos: trajetórias individuais entre sociedade civil e Estado no Brasil. In: DAGNINO, Evelina; OLVERA, Alberto; PANFICHI, Aldo (orgs.). A disputa pela construção democrática na América Latina. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

_______. Desvelar a política na periferia: histórias de movimentos sociais em São Paulo. São Paulo: Associação Editorial Humanitas/FAPESP, 2005.

FONSECA, Cláudia Lee Williams. Família, fofoca e honra: etnografia de violência e relações de gênero em grupos populares. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2000.

FRASER, Nancy. Rethinking Public Sphere: a contribution to the critique of actually existing democracy. In: ROBBINS, Bruce (ed.). The Phantom Public Sphere. Minnesota: University of Minesota Press, 1995.

GUIMARÃES, Nadya Araújo. Desemprego, uma construção social. São Paulo, Paris, Tóquio. Belo Horizonte: Editora Argvmentvn, 2009.

_______. Caminhos cruzados: estratégias de empresas e trajetórias de trabalhadores. São Paulo: Editora 34, 2004.

HABERMAS Jürgen. L'espace public, 30 ans après. Quaderni, n. 18, automne 1992.

MACHADO DA SILVA, Luiz Antonio. “Sociabilidade violenta: por uma interpretação da criminalidade contemporânea no Brasil urbano”. Sociedade e Estado, Brasília, vol. 19, nº 1, 2004.

_______. Violência Urbana : representação de uma ordem social. in : NASCIMENTO, E. P. ; BARREIRA, Irlys. (orgs.) Brasil Urbano : cenários da ordem e da desordem. Rio de Janeiro : Notrya, 1993.

MARQUES, Adalton José. 2010. Liderança , proceder e igualdade : uma etnografia das relações políticas no Primeiro Comando da Capital. Etnográfica (Lisboa), v. 14, p. 311-335.

MARQUES, Eduardo, TORRES, Haroldo. (orgs.). São Paulo: segregação, pobreza e desigualdades sociais. São Paulo: Editora SENAC, 2005.

MISSE, Michel. “Crime, Sujeito e Sujeição Criminal: aspectos de uma contribuição analítica sobre a categoria ‘bandido’”. Lua Nova Revista de Cultura e Política, 79, 2010.

_______. Crime e Violência no Brasil Contemporâneo: estudos de sociologia do crime e da violência urbana. Rio de Janeiro: Lumen Juris Editora, 2006.

_______. Mercados ilegais, redes de proteção e organização do crime no Rio de Janeiro. Estudos Avançados, Dossiê Crime Organizado, São Paulo, n. 61, 2007.

NUNES DIAS, Camila. Por dentro (e de dentro) do Comando: o PCC segundo o “nativo” (Resenha de Biondi, K. Junto e Misturado: uma etnografia do PCC). Dilemas, Revista de Estudos de Conflito e Controle Social, v.3, n.8, 2010.

OLIVEIRA, Francisco de; PAOLI, Maria Célia (org.) Os Sentidos da Democracia: políticas do dissenso e hegemonia global. Petrópolis: Vozes, 2000.

OLIVEIRA, Francisco de; RIZEK, Cibele Saliba (orgs.). A era da indeterminação. São Paulo: Boitempo, 2007.

PAOLI, Maria Célia. Movimentos sociais no Brasil: em busca de um estatuto político. In: HELLMANN, Michaella (org.) Movimentos sociais e democracia no Brasil. São Paulo: Marco Zero/Ildesfes, 1995.

RANCIÈRE, Jacques. La mésentente. Éditions Galilée, Paris, 1995.

_______. O dissenso. In: NOVAES, Adauto (org). A crise da razão. São Paulo: Companhia das Letras, 1996b.

RIBEIRO, Ana Clara Torres ; GRAZIA, Grazia de. Experiências de Orçamento Participativo no Brasil. São Paulo: Vozes, 2003.

SADER, Eder. Quando novos personagens entraram em cena: Experiências, Falas e Lutas dos Trabalhadores da Grande São Paulo, 1970-80. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

VIDAL, Dominique. A linguagem do respeito: a experiência brasileira e o sentido da cidadania nas democracias modernas. Dados Revista de Ciências Sociais. v.46, n.2, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Estudos Políticos

 

 

 INDEXADORES E BASES:

  

   

 

       

AGÊNCIAS DE FOMENTO: