Limites da Política e Esvaziamento dos Conflitos: o Jornalismo como Gestor de Consensos

Flávia Biroli

Resumo


O artigo discute a atuação política do jornalismo, em uma análise que parte da crítica aos efeitos da distinção entre jornalismo partidário e jornalismo profissional. A atuação do jornalismo expressa ativamente — e não apenas em posições conjunturais ou disputas eleitorais — uma posição política situada. É a expressão de uma parte nas disputas mesmo quando não existe alinhamento político-partidário estável. O recurso à transcendência ou à imparcialidade é complementar, e não alternativo, a essa atuação partidária. Ela corresponde à expressão naturalizada de compreensões da política que definem os limites das controvérsias, a agenda e os atores que serão vistos como politicamente legítimos. Ao reproduzir no noticiário as fronteiras da política democrática tal como é atualmente configurada, o jornalismo promove o esvaziamento de conflitos fundamentais para uma maior pluralização da política. Ao mesmo tempo, coloca-se na posição de “gestor de consensos”.

Palavras-chave


Jornalismo, pluralidade, partidarismo, democracia, conflitos, consensos

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Estudos Políticos

 

 

 INDEXADORES E BASES:

  

   

 

       

AGÊNCIAS DE FOMENTO: