A república contestável – notas sobre o papel da religião no republicanismo de Joaquim Nabuco

Luiz Carlos Ramiro Junior

Resumo


O regime republicano instaurado no Brasil em 1889 gerou o distanciamento de Nabuco da política, pelo menos até 1900 - quando aceita o posto de enviado extraordinário e ministro plenipotenciário em missão especial brasileira a Londres, a pedido de Campos Salles (1841- 1913). O refúgio no partido monarquista e na redescoberta da fé católica incrementam pressupostos acerca da teoria do republicanismo nabucoano, cuja intenção era manter-se fiel às ideias da liberdade, harmonizando-as com o valor moral e estético legado pelo vínculo religioso.Os propósitos deste trabalho são: (i) avaliar a relação entre o retorno de Joaquim Nabuco (1849-1910) ao catolicismo e sua recusa ao liberalismo científico, autoritário e materialista da década de 1890; e (ii) identificar os pontos de contato entre o catolicismo do autor e a reafirmação do liberalismo social, com remissões aos clássicos como Benjamin Constant e Alexis de Tocqueville.

Palavras-chave


Joaquim Nabuco; Liberalismo; Republicanismo; Pensamento Político; História do Brasil

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Estudos Políticos

 

 

 INDEXADORES E BASES:

  

   

 

       

AGÊNCIAS DE FOMENTO: