Chamada de Artigos

EDITAL 

A partir de 2018, a Revista TrabalhoNecessário passou a editar Números Temáticos, organizados por grupos de pesquisa associados ao Núcleo de Estudos, Documentos e Dados sobre Trabalho e Educação - Neddate, considerando sua afinidade com a política editorial da revista: o materialismo histórico. Como meio de veiculação e mediação do pensamento crítico em relação ao mundo do trabalho, à formação humana e as relações históricas entre trabalho e educação, os Números Temáticos serão compostos por artigos de autores convidados e artigos enviados espontaneamente. Todos os textos deverão ser inéditos e, respeitando as normas de publicação da revista e os prazos estabelecidos por este edital, serão submetidos para avaliação duplo-cega. Além dos textos diretamente relacionados à temática e sua respectiva ementa, a TN continuará recebendo - em fluxo contínuo - resenhas, notas de pesquisa e artigos sobre outras temáticas.  Abaixo, os editais de chamada pública:

TN 40 (set-dez/2021) - Educação de Jovens e Adultos Trabalhadores: história, processos de luta e resistência.

Organização: Sonia Rummert e Jacqueline Ventura - coordenadoras do EJATRAB/ Neddate (UFF)  

O número temático objetiva divulgar estudos e pesquisas que, à luz da relação Trabalho-Educação, abordem as especificidades da Educação de Jovens e Adultos Trabalhadores no rico processo de constituição do indivíduo como ser social, considerando o caráter historicamente heterogêneo da classe trabalhadora, tanto na realidade brasileira quanto na dos demais países. A proposta convida à reflexão acerca da complexidade, dos condicionantes, dos limites e das potencialidades de concepções de educação formal e não formal que, ao longo da história marcam políticas e ações destinadas à educação dos jovens e dos adultos da classe trabalhadora, aos quais vem sendo negado, sob diferentes estratégias, o pleno direito à educação de qualidade socialmente referenciada. Também abrigará abordagens acerca de processos de luta e de resistência aos mecanismos de negação desse direito, seja no âmbito dos movimentos sociais, seja no interior dos sistemas educacionais, desvelando suas relações com a totalidade social e as tensões daí advindas. Do mesmo modo, serão acolhidos trabalhos voltados para o resgate e a sistematização de experiências de resistência e de luta por parte dos trabalhadores em prol de sua própria educação. Assim, o n. 40 abarca desde novas contribuições à história da educação da classe trabalhadora até as atuais políticas que concorrem para processos regressivos no âmbito do direito à educação em virtude dos muitos ataques dirigidos ao mundo do trabalho. Em suma, esse número pretende, a partir da cooperação dos autores que o integrarem, explicitar a riqueza do tema, sua complexidade e sua enorme relevância para os processos de luta pela emancipação da classe trabalhadora.

Prazo para submissão: 15 de julho de 2021

TN 39 - (Maio a Agosto/2021) - A Reforma do Ensino Médio na contramão da democracia

Organização: Ronaldo Marcos de Lima Araújo ( Gepte/ UFPA) e Mônica Ribeiro da Silva (Observatório do Ensino Médio /UFPR)

 EMENTA:  A Reforma do Ensino Médio, com a edição da MP n. 746/16 e a aprovação da Lei n. 13.415/17, estabeleceu as diretrizes para um processo regressivo na democratização do Ensino Médio. A Reforma normatiza as redes públicas e privadas, atingindo de forma diferenciada os alunos e alunas, dependendo das instalações e da qualidade das escolas, dos recursos didático-pedagógicos dos professores e do poder aquisitivo dos estudantes que frequentam uma rede ou outra. Análises iniciais de perspectiva crítica apontam que, tendencialmente, a Reforma reedita o passado, encaminhando os filhos das famílias trabalhadoras para o itinerário formação profissional, e as classes de maior renda ao conhecimento das ciências matemáticas, da natureza, das linguagens e das ciências humanas e sociais que balizam o acesso ao ensino superior. Agudizará, portanto, a desigualdade social e comprometerá a institucionalidade democrática. Este número da revista acatará artigos que resultem de pesquisas que, sob uma perspectiva crítica e emancipadora, tratem desse processo de implementação nos estados, seus princípios, processos de gestão da reforma, continuidades e descontinuidades nos desenhos curriculares, participação e percepção da comunidade, bem como seus possíveis impactos.

 Prazo para submissão: 16 de novembro/2020

TN 38 - (Janeiro a Abril/2021) - Trabalho, Gênero e Feminismos

 Organização: Tatiana Dahmer Pereira - Teia  (UFF) e  Maria Cristina Paulo Rodrigues - Neddate e Teia  (UFF)

 EMENTA: Historicamente, as relações de gênero, assim como as relações de classe e raça têm se constituído como fundamentos da vida social, e como tal, assumem dimensões educativas na perspectiva da conformação de um determinado tipo de ser humano, sustentado no padrão homem/branco/heterossexual. O objetivo deste número da TN é articular estudos que exponham pensamentos críticos a estas relações, com destaque para a questão do trabalho na construção social das relações de classe, sexo e raça/etnia, para os movimentos feministas,  e, por fim - mas não menos importante - contribuições e interlocuções com os estudos de gênero e diversidade. Nesse sentido, o n.38 da TN encontra-se aberto às seguintes questões: (i) estados da arte e debates sobre estudos de gênero e feminismos; (ii) relações sociais de sexo, divisão sexual do trabalho e desigualdades; (iii) diversidade e estudos de gênero; (iv) resultados de pesquisas e investigações para teses e dissertações sobre essas dimensões.

 Prazo para submissão: 01 de setembro de 2020.

PRORROGADO ATÉ 20 DE OUTUBRO DE 2020

___________________________________________________

CHAMADAS ANTERIORES  TN 29 a TN 37 

TN 29 - (Janeiro a Abril/2018) - GT 09 – Trabalho e Educação -  38° Reunião Anual da AnpEd – Democracia em risco: a pesquisa e a pós-graduação em contexto de resistência.

Organização: Dra Célia Vendramini(UFSC) e Profa. Dra. Mariléia Maria da Silva (UDESC).

EMENTA: Trabalhos encomendados, textos relativos ao mini curso e aos trabalhos apresentados no GT 09 – Trabalho e Educação, da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Educação, na ocasião da 38º Reunião Anual da AnpEd, realizada em outubro/2017 em São Luiz, Maranhão.

TN 30 - (Maio-Agosto /2018) - Políticas públicas de qualificação profissional da classe trabalhadora

Organização: Prof. Dr. Marcelo Lima - Lagebes/PPGE/UFES

EMENTA: A proposta visa dar lugar a pesquisas e reflexões sobre as políticas públicas de qualificação da força de trabalho. Muitos programas, planos e projetos relativos à educação básica e à qualificação profissional têm sido objetos dos governos no Brasil desde antes da ditadura civil-militar: PIPMOI, PIPMO, PREMEM, PROMED, PROEP, PLANFOR, PNQ, PROJOVEM, PROEJA, PROEMI e PRONATEC, dentre outros. Em geral, derivam da iniciativa da União que, atendendo a determinadas demandas da "sociedade", estabelece linhas de ação que, por meio de repasse de recursos públicos a instituições não estatais e/ou por meio de uma ação direta das redes públicas (federal, estadual e ou municipal) realizam determinado atendimento escolar. Tais políticas possuem grande impacto nas políticas públicas de educação estabelecendo um campo de disputa na luta pela hegemonia no estabelecimento das prioridades educacionais nos planos financeiro, econômico, ideológico e pedagógico.  

Submissão de artigos: até 01 de abril de 2018

 Nº 31 - (Setembro- Dezembro/2018) - Trabalho e educação em comunidades tradicionais

Organização: Ronaldo Lima e Doriedson Rodrigues - GEPTE / UFPA

EMENTA: Destina-se à publicação de estudos voltados para à análise de processos formativos e constituição do ser social trabalhador, a partir da relação trabalho e educação, mas com foco no que homens e mulheres vêm produzindo no interior de comunidades tradicionais, como quilombolas, ribeirinhas, indígenas, pescadoras, coletoras, no contexto de uma sociedade de classes, devendo os estudos problematizarem: como homens e mulheres de comunidades tradicionais organizam suas relações de trabalho e seus processos formativos considerando as metamorfoses do mundo do trabalho e as especificidades de suas experiências de trabalho, organização, formação e construção identitária. Abarca trabalhos, portanto, que tematizem as experiências de organização política, econômica, cultural e social de comunidades tradicionais, considerados também como processos de formação humana.

Submissão de artigos: até 01 de agosto de 2018

TN 32 - (Janeiro-Abril/2019) - O IV Intercrítica e as categorias fundantes do materialismo histórico-dialético no século XXI

Organização: Dante Moura (UFRN) e Ramon de Oliveira (UFPe).

 EMENTA:  Além dos resultados de pesquisas e estudos apresentados no IV Intercrítica - Intercâmbio Nacional dos Grupos de Pesquisa em Trabalho e Educação, o número temático destina-se à publicação de trabalhos que contemplem as seguintes questões: Contribuições do materialismo histórico para análise das relações entre trabalho, educação e sociedade. A classe trabalhadora hoje: questões de gênero, raça, etnia, geração e diversidade sexual. Estado e contra reformas neoliberais. Educação e luta de classes: ofensivas do capital e formas de resistência.  Atualidade e perspectivas da pesquisa em trabalho e educação no Brasil.                               

Submissão de artigos: até 01 de novembro de 2018

 TN 33 - (Maio a Agosto / 2019) - Trabalho, movimentos sociais e educação - Volume I

 Organização: Maria Clara Bueno Fischer – Tramse (UFRGS) e Célia Regina Vendramini – TMT(UFSC)  

  EMENTA: A proposta do número temático visa dar visibilidade a práticas e estratégias político-educativas de lutas e movimentos sociais organizados na atualidade. Num contexto de profundo ataque e privatização de todos os direitos sociais, transformados em mercadoria e em que a classe trabalhadora está sendo corroída por dentro, pretendemos reunir análises teórico-metodológicas sobre diferentes movimentos, lutas sociais e formas organizativas de resistência e enfrentamento. Contempla análises de estratégias político-educativas e culturais de trabalhadores em diferentes espaços-tempo: trabalhadores rurais, urbanos, mulheres, quilombolas, índios, estudantes.

Submissão de artigos:até 01 de abril/2019

TN 34 - (Setembro a Dezembro / 2019) - Trabalho, movimentos sociais e educação - V. 2

 Organização: Maria Clara Bueno Fischer – Tramse (UFRGS) e Célia Regina Vendramini – TMT(UFSC)  

  EMENTA: A proposta do número temático visa dar visibilidade a práticas e estratégias político-educativas de lutas e movimentos sociais organizados na atualidade. Num contexto de profundo ataque e privatização de todos os direitos sociais, transformados em mercadoria e em que a classe trabalhadora está sendo corroída por dentro, pretendemos reunir análises teórico-metodológicas sobre diferentes movimentos, lutas sociais e formas organizativas de resistência e enfrentamento. Contempla análises de estratégias político-educativas e culturais de trabalhadores em diferentes espaços-tempo: trabalhadores rurais, urbanos, mulheres, quilombolas, índios, estudantes.

Submissão de artigos:até 01 de abril/2019

TN 35 (Janeiro a Abril /2020) - História e historiografia em trabalho-educação 

Organização: Maria Ciavatta - Grupo These (UFF/UERJ/Fiocruz)

 EMENTA: Na história e na historiografia do Trabalho-Educação, tratamos de aprofundar o estudo da produção do conhecimento dentro do campo da história da educação em sua relação com o trabalho e em suas particularidades, tais como, as relações entre o capital e o trabalho, seus vínculos com a sociedade, a educação profissional, as políticas educacionais e sua expressão na cultura material em espaços formativos, o uso das imagens e de outras fontes documentais sobre a preparação para o trabalho na escola, nas empresas, nos movimentos sociais, na saúde etc. Do ponto de vista teórico-metodológico, temos a história como produção social da existência e a história como método de pesquisa. Entendemos a história como o processo real da vida dos homens em sociedade, com os acontecimentos, as estruturas e os sujeitos sociais. A história como método é sua representação ao nível do pensamento, seus relatos e narrativas. A historiografia é a análise crítica da história escrita, o amadurecimento do campo científico que pensa sobre seu próprio fazer.

Submissão de artigos: até 01 de setembro/2019

TN 36 - (Maio a Agosto /2020) - Lutas no campo e o “comum” na América Latina

Organização:  Ana Maria Motta Ribeiro - Observatório Fundiário Fluminense (UFF) e William Kennedy do Amaral Souza - TECA (IFRO)

EMENTA: Na contemporaneidade, os impactos do alto padrão de concentração fundiária e ambiental, assegurado por políticas neoliberais, têm atingido proporções de desastre, afetando sobremaneira a materialidade e a imaterialidade da reprodução da vida dos povos originários e tradicionais do continente latino-americano.  São povos historicamente expropriados que acessam a terra e garantem seus territórios por meio de lutas contra as formas de submissão que lhes querem impor as elites agrárias. Tendo em conta as contradições capital/trabalho/natureza no contexto da acumulação flexível do capital, este número da Revista pretende refletir sobre as relações entre seres humanos e natureza mediados pelo trabalho, entendidas como elementos de reprodução da vida, o que tem se revelado em condições não necessariamente capitalistas, e que emergem como alternativa crítica ao modo hegemônico de produção da vida. Numa perpectiva interdisciplinar, e a partir de pesquisas empíricas, a TN busca contribuições teórico-metodológicas de autores/as do campo Trabalho e Educação e de outros campos do conhecimento. 

Submissão de artigos: 01 de outubro/2019

 TN 37 - (Setembro a Dezembro/2020) - Trabalho, cultura e políticas educacionais na Amazônia

Organização:  Doriedson do Socorro Rodrigues (Gepte/UFPA), Odete da Cruz Mendes (GEPEAGEAT/UFPA) e  Arminda Rachel Mourão (UFAM)

EMENTA: Destina-se à publicação de estudos e pesquisas voltadas à análise de aspectos ambientais, socioculturais e educacionais, além de as formas de trabalho que se constituem na Amazônia, problematizando as desigualdades regionais existentes no Brasil, na historicidade dos processos de reprodução ampliada do capital. Busca focalizar as múltiplas dimensões das políticas públicas de educação para crianças, jovens e adultos trabalhadores/as e, em particular, para indígenas, quilombolas, ribeirinhos e extrativistas da região. Serão abordadas as riquezas culturais, as linguagens, os modos de vida e as relações seres humanos/natureza, mediadas por experiências de organização social fundadas no trabalho coletivo.  Destacamos os saberes e visões cosmológicas ímpares e plurais construídas nos diferentes espaços/tempos existenciais, os quais podem ser entendidos no âmbito das contradições capital/trabalho e das relações entre Estado, educação escola, cultura e o trabalho de produção da vida material e simbólica, ao longo da história de resistência desses povos. O trabalho e a cultura são entendidos como categorias histórico-ontológicas: homens e mulheres produzem cultura, e ao mesmo tempo, trabalham de acordo uma determinada cultura. 

Prazo para submissão: 01 de abril de 2020