PROCESSOS FORMATIVOS DO MST: DESAFIOS E LIMITES HISTÓRICOS

Autores

  • Ademar Bogo
  • Maria Nalva Rodrigues de Araújo Bogo

DOI:

https://doi.org/10.22409/tn.17i33.p29368

Palavras-chave:

MST, luta social, trabalho, Educação, Agroecologia

Resumo

Este artigo tem como objetivo avaliar os elementos constitutivos do MST como movimento social no bojo das contradições capitalistas, focando especialmente as estratégias de luta pela terra e, consequentemente, a luta pela educação e sua relação com as alternativas de organização do trabalho, experimentadas pelo Movimento. Focaliza os desafios frente a proposição do Movimento quando este assume em sua plataforma a agroecologia como modelo produtivo alternativo em contraposição à agricultura capitalista/agronegócio. Questiona em que medida este modelo contribui para construção do projeto histórico socialista. Ao final, apresenta alguns desafios ao Movimento para o avanço de um projeto histórico emancipador.

Referências

BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. 7 ed. Brasília/DF: Ed. Brasiliense, 1987. Obras escolhidas, vol I.

BOFF, Leonardo, Beto, Frei. Mística e Espiritualidade. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.

CALDART, Roseli. O MST e a formação dos sem terra: o movimento social como princípio educativo. Estudos Avançados, vol.15, nº 43. São Paulo: 2001.

CONAB, Companhia Nacional de Abastecimento. Acompanhamento de safra brasileira: grãos, quarto levantamento, janeiro 2013/Companhia Nacional de Abastecimento – Brasília: Conab, 2013.

ITERRA, Método Pedagógico. Redação Paulo R. Cerioli. Caderno n. 9,

Veranópolis, 2004.

LENIN, V. Que fazer? São Paulo: Hucitec, 1986.

LUXEMBURGO, Rosa. A acumulação do capital: estudo sobre a interpretação econômica do imperialismo. Biblioteca de Ciências Sociais. Trd. Muniz Bandeira. Rio de Janeiro: Zahar, 1970.

MARX, Karl; ENGELS, Friedrich. A ideologia Alemã. São Paulo: Boitempo, 2009.

_________. Processo de Trabalho e processo de valorização. In: ANTUNES, Ricardo, (org.) A dialética do Trabalho. São Paulo: Expressão Popular, 2004.

_________Para a crítica da economia política; salário preço e lucro; o rendimento e suas fontes a economia vulgar. São Paulo: Abril Cultural, 1982.

MÉSZÁROS, István. A Educação para Além do Capital. São Paulo: Boitempo, 2005.

MST. Documento básico do MST. São Paulo: MST,1991. MST. Dossiê MST Escola. ITERRA, 2005.

MST – Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. Como fazer a Escola que queremos? Caderno de Educação nº 1. São Paulo: MST, 1992.

________.Princípios Filosóficos e Pedagógicos. Caderno de Educação n. 8.

________. Escola trabalho e Cooperação, Caderno de educação n. 04, 2004.

________. Boletim da Educação. N. 1, 1992.

Boletim da Educação. N. 2, 1993.

________. A reforma agrária necessária: por um projeto popular para a

agricultura brasileira. São Paulo: MST 2006.

________. Caminhos da Educação Básica de Nível Médio para a juventude das áreas de Reforma Agrária. Documento final do 1º Seminário Nacional sobre Educação Básica de Nível Médio na sáreas de Reforma Agrária. Luziânia, GO, 18 a 22 de setembro 2006.

________. Construindo o caminho. São Paulo: Secretaria Nacional; 1986b

________. Programa Agrário. Texto em construção para o VI Congresso Nacional. 3ª ed., setembro 2013.

PISTRAK. Fundamentos da Escola do Trabalho. 4. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2005.

SAVIANI, Demerval. Trabalho e Educação: fundamentos ontológicos e

históricos. Revista Brasileira de Educação, v. 12, n. 34, jan./abr. 2007.

STEDILE, João Pedro. Introdução. In STEDILE, João Pedro (Org.). A questão agrária no Brasil. Vol 01. Expressão Popular: 2011.

TONET, Ivo. A Educação numa Encruzilhada. Disponível em:

http://www.ivotonet.xpg.com.br. Acesso em 20/11/2010.

VENDRAMINI, Célia. A educação, o trabalho e a emancipação humana: uma análise das pesquisas sobre o MST. 32ª Reunião anual da ANPed, 2009, Caxambu, MG.

VIA CAMPESINA. ¿Quién somos?: La voz de las campesinas y de los

campesinos del mundo. 9 fev. 2011. p.1-4. Disponível em: https://viacampesina.org Acesso em: 10 mai. 2011.

Downloads

Publicado

2019-07-04

Como Citar

Bogo, A., & Bogo, M. N. R. de A. (2019). PROCESSOS FORMATIVOS DO MST: DESAFIOS E LIMITES HISTÓRICOS. Revista Trabalho Necessário, 17(33), 85-110. https://doi.org/10.22409/tn.17i33.p29368

Edição

Seção

Artigos do Número Temático