O DISCURSO VERDE E A MODERNA CONSCIÊNCIA ECOLÓGICA BURQUESA

Carla Marques

Resumo


A busca por um mundo ecologicamente sustentável, uma das bandeiras dos movimentos contraculturais dos anos 60, converteu-se, em algumas décadas, em assunto público emergencial e onipresente. A preocupação geral com a sobrevivência do planeta percorre diariamente o noticiário jornalístico, a produção audiovisual, a publicidade de corporações e marcas, a comunicação estatal e a propaganda política. Especulações e alertas sobre o “colapso da natureza” ocupam significativa parcela dos debates políticos atuais no país e no mundo. Para os ideólogos do movimento verde, o tema está acima dos campos políticos e das classes sociais, pois desequilíbrios ambientais atingiriam democraticamente toda a humanidade. De acordo com manifesto do Partido Verde brasileiro (1986), “a grande diferença da proposta Verde é que não procura dividir o mundo nem explorados e exploradores, porque estamos todos no mesmo barco. Nem à direita nem à esquerda, o Partido Verde deve estar à frente de capitalistas e comunistas”. O pressuposto da neutralidade da causa ambiental permitiria sua adaptação a qualquer sistema econômico – inclusive ao capitalismo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/tn.7i8.p4664

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Fontes de Indexação:

  

     logo_livre2.png     https://periodicos.uff.br/public/site/images/zuleidesilveira/REDIB.jpg   

Apoio:

          Resultado de imagem para abec brasil logo             

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Contador de visitas
Contador de visitas

acessos a partir de 21/09/2018.