O agregado na fazenda do café: estratégias de fixação e de mobilidade de homens livres e pobres em Valença (Província do Rio de Janeiro, 1850-1888)

Felipe de Melo Alvarenga

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar os efeitos e as ambiguidades da Lei de Terras de 1850 na cidade de Valença, partindo de uma perspectiva de redução da escala de observação que focaliza as estratégias mobilizadas pelos diferentes atores sociais num contexto de normatização da propriedade da terra no Brasil do século XIX. Buscaremos compreender como indivíduos que não possuíam títulos de propriedade foram capazes de construir relações costumeiras que possibilitaram o seu acesso à terra mesmo depois da promulgação deste código legislativo que regularizou a apropriação fundiária. Cotejando registros paroquiais de terras e processos judiciais, investigaremos as diversas estratégias de fixação e de mobilidade de homens livres e pobres que estavam em busca do “projeto camponês” no Brasil imperial no final do período escravista.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Gelsom Rozentino de. “Hoje é dia de Branco”. O trabalho livre na Província Fluminense: Valença e Cantagalo, 1870-1888. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal Fluminense: Niterói, 1994.

ANDRADE, Manoel Eloy dos Santos. O Vale do Paraíba. Rio de Janeiro, 1989.

ARIEIRA, Regina Faria. Família e redes de sociabilidade: um estudo de caso – Valença (Província do Rio de Janeiro – 1823-1888). Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Severino Sombra: Vassouras, 2009.

CONGOST, Rosa. Tierras, Leyes, Historia. Barcelona: Editora Crítica, 2007.

COSTA, Emília Viotti da. “Política de terras no Brasil e nos Estados Unidos.” In: __________. Da Monarquia à República: momentos decisivos. São Paulo: Editora Brasiliense, 1987, p. 139-161.

DEAN, Warren. "Latifundia and Land Policy in Nineteenth-Century Brazil". In: Hispanic American Historical Review, vol. 51: 4, 1971, p. 606-625.

FARIA, Sheila de Castro. A Colônia em Movimento: Fortuna e Família no Cotidiano Colonial. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1988.

FERREIRA, Luiz Damasceno. História de Valença (Estado do Rio de Janeiro): 1803-1924. 2ª edição. Rio de Janeiro: 1978 [1924].

FRANCO, Maria Sylvia de Carvalho. Homens Livres na Ordem Escravocrata. São Paulo: Ed. Unesp, 1997.

GINZBURG, Carlo. “O nome e o como: troca desigual e mercado historiográfico”. In: __________. A Micro-História e Outros Ensaios. Rio de Janeiro: Editora Bertrand Brasil, 1989, p. 169-178.

GROSSI, Paolo. História da Propriedade e Outros Ensaios. Rio de Janeiro: Renovar, 2006.

__________. Mitologias jurídicas da modernidade. Florianópolis: Fundação Boiteux, 2007.

GURGEL, Argemiro Eloy. A Lei de 7 de novembro de 1831 e as ações cíveis de liberdade na Cidade de Valença (1870-1888). Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio de Janeiro: Rio de Janeiro, 2004.

IÓRIO, José Leoni. Valença De Ontem e De Hoje (Subsídios para a História de Valença) – 1789-1952. 2ª edição. Rio de Janeiro, Valença: Fundação da Biblioteca Nacional (ISBN), 2013 [1953].

LEVI, Giovanni. A Herança Imaterial. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

MARTINS, José de Souza. O Cativeiro da Terra. São Paulo: Contexto, 2013.

MATTOS, Hebe Maria. Ao Sul da História: lavradores pobres na crise do trabalho escravo. Rio de Janeiro: Editora da FGV, Faperj, 2009.

__________. Das cores do silêncio: os significados da liberdade no Sudeste escravista – Brasil, século XIX. Edição revista. Campinas: Editora da Unicamp, 2013.

MATTOS, Hebe Maria; RIOS, Ana Lugão. Memórias do cativeiro: família, trabalho e cidadania no pós-abolição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

__________. “Para além das senzalas: campesinato, política e trabalho rural no Rio de Janeiro pós-Abolição.” In: CUNHA, Olívia Maria Gomes da; GOMES, Flávio dos Santos (Org.). Quase-Cidadão: histórias e antropologias da pós-emancipação no Brasil. Rio de Janeiro: Editora da FGV, 2007, p. 55-78.

MOTTA, Márcia Maria Menendes. Nas Fronteiras do Poder: conflito e direito à terra no Brasil do século XIX. Rio de Janeiro: Vício de Leitura, 1998.

MOURA, Margarida Maria. Os Herdeiros da Terra: parentesco e herança numa área rural. São Paulo: Editora Hucitec, 1978.

__________. Os Deserdados da Terra: a lógica costumeira e judicial dos processos de expulsão e invasão da terra camponesa no sertão de Minas Gerais. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1988.

MUAZE, Mariana. As Memórias da Viscondessa: Família e Poder no Brasil Império. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2008.

MUNIZ, Célia Maria Loureiro. Os Donos da Terra: um estudo sobre a estrutura fundiária do Vale do Paraíba Fluminense no século XIX. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal Fluminense: Niterói, 1979.

NOVAES, Adilson Adriano dos Reis. O Tráfico Interprovincial de Escravos em Valença: 1850-1888. Monografia de Especialização. Programa de Pós-Graduação na Atlântida Educacional: Valença, 2008.

OLIVEIRA, Mônica Ribeiro de; ALMEIDA, Carla Maria Carvalho de (Orgs.). Exercícios de Micro-História. Rio de Janeiro: Editora da FGV, 2009.

PEDROZA, Manoela da Silva. Terra de resistência: táticas e estratégias camponesas nos sertões cariocas (1950-1968). Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Rio Grande do Sul: Porto Alegre, 2003.

__________. Engenhocas da moral: redes de parentela, transmissão de terras e direitos de propriedade na freguesia de Campo Grande (Rio de Janeiro, século XIX). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2011.

SAMARA, Eni de Mesquita. “O Papel do Agregado na Região de Itu – 1780-1830”. Dissertação de Mestrado. In: Coleção do Museu Paulista. Série de História, vol. 6. Edição do Fundo de Pesquisas do Museu Paulista da Universidade de São Paulo (USP): São Paulo, 1977, p. 10-121.

SILVA, Ligia Osório. Terras Devolutas e Latifúndio: efeitos da Lei de 1850. Campinas: Editora da Unicamp, 2008.

SILVA, Sidney Pereira da. As Relações Sócio-Parentais entre Escravos: o batismo de escravos em Valença, Província do Rio de Janeiro (1823-1885). Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Severino Sombra: Vassouras, 2005.

TJADER, Rogério da Silva. Uma Pequena História de Valença. Valença: Editora Valença, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.