Parasitoses intestinais

propostas de atividades lúdicas para o ensino fundamental II

Autores

Resumo

As parasitoses intestinais estão incluídas entre as doenças negligenciadas ou doenças tropicais negligenciadas, embora algumas não sejam restritas às regiões tropical e subtropical. Ocorrem predominantemente em áreas de vulnerabilidade socioambiental, onde há falta de saneamento básico, dificuldades no acesso a atendimento médico e às informações sobre medidas profiláticas. Os escolares entre 7 e 14 anos, são os mais atingidos e prejudicados pelas parasitoses intestinais, uma vez que seus hábitos de higiene são, na maioria das vezes, inadequados. Foi uma pesquisa qualitativa, realizada em uma unidade escolar estadual, no Município de Nova Iguaçu. A metodologia seguiu uma sequência estruturada, com o objetivo de discutir os conhecimentos, atitudes e práticas (CAP) dos escolares (13 a 17 anos) da rede pública sobre a temática parasitoses intestinais e como ela é abordada no ensino fundamental, bem como avaliar o impacto de estratégias e tecnologias educacionais através do uso de cartilhas e jogo de tabuleiro. Após as etapas do percurso metodológico, analisou-se que houve uma adesão à prática lúdica, sendo uma ferramenta motivadora para aprendizagem, desenvolvimento cognitivo e crítico sobre parasitoses intestinais. Contudo, percebemos que ainda há muito a ser feito no âmbito da educação em saúde, colocando em prática os recursos que garantam saúde e bem-estar para os escolares, docentes e a comunidade local. A frequente utilização de meios e tecnologias que possam mitigar e melhorar o cotidiano do indivíduo será uma forma mais eficaz à saúde da população.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo dos Passos Faria, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro/ IFRJ

Mestre em Ensino de Ciências pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro/ IFRJ. Especialista em Biociências e Saúde pelo Instituto Oswaldo Cruz. Bacheral e Licenciado pela Universidade Veiga de Almeida. Interante do Grupo de Pesquisa CAFE: Ciências, Artes, Formação e Ensino, pelo  Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro/ IFRJ (Campus Nilópolis). <span>Extensões em Apoio à Implementação do Programa de Educação Ambiental na Agricultura Familiar pelo Ministério do Meio Ambiente/ MMA-PEAAF e Educação Ambiental: Escolas Sustentáveis e COM-VIDA e Formação em Tutores a Educação a Distância (EaD), pela Universidade Federal de Outro Preto/ UFOP-CEAD.

Downloads

Publicado

2021-02-20

Edição

Seção

Artigos