O PAPEL DAS EXPERIÊNCIAS REVOLUCIONÁRIAS DO FIM DA IDADE MODERNA PARA A REORIENTAÇÃO DO CONCEITO DE LIBERDADE EM HANNAH ARENDT

Autores

  • Diego Avelino de Moraes Carvalho IFG - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás

DOI:

https://doi.org/10.15175/1984-2503-202012306

Palavras-chave:

História Política, Filosofia Política, Multidisciplinar

Resumo

Resumo: A proposta deste artigo é discutir a forma como o conceito de liberdade aparece em sua nova significação a partir das experiências revolucionárias do fim da Idade Moderna. Como aporte teórico, utilizaremos o pensamento filosófico e político de Hannah Arendt

 

Palavras-chave:  Liberdade; Revolução; Idade Moderna; Hannah Arendt.

Biografia do Autor

Diego Avelino de Moraes Carvalho, IFG - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás

Pós-Doc e Doutor (Ph.D) em História Social e Mestre em Ética e Filosofia Política (UFG). É professor/pesquisador do Departamento de Ciências Humanas e Filosofia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG - Campus Goiânia).

Downloads

Publicado

2020-10-09

Como Citar

Carvalho, D. A. de M. (2020). O PAPEL DAS EXPERIÊNCIAS REVOLUCIONÁRIAS DO FIM DA IDADE MODERNA PARA A REORIENTAÇÃO DO CONCEITO DE LIBERDADE EM HANNAH ARENDT. Passagens: Revista Internacional De História Política E Cultura Jurídica, 12(3), 457-475. https://doi.org/10.15175/1984-2503-202012306