DO AMOR PELA OBEDIÊNCIA: COMENTÁRIOS SOBRE A LIBERDADE E A IRRACIONALIDADE DO DIREITO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15175/1984-2503-202012305

Palavras-chave:

Justiça, Razão, Liberdade, Obediência, Amor

Resumo

A capacidade de escolher com base na percepção de um raciocínio lógico é o sustentáculo da justiça como sistema normativo moderno. É o que possibilita a responsabilização de um indivíduo por seus atos, ou seja, que permite a sua classificação como criminoso ao violar a lei. É também esse ideal de liberdade que coloca o direito e a justiça como produtos da vontade do ser humano na tradição ocidental. Este artigo questiona esta tradição para, através de intersecções com a política e a filosofia, problematizar a questão do justo e do injusto a partir da perspectiva de que a obediência, apesar de poder ser uma escolha, não é escolha necessariamente racional.

Biografia do Autor

Ana Maria Lombardi Daibem, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, São Paulo, SP

Doutora em Educação pela UNESP. Mestre em Administração da Educação pela UNIMEP. Pedagoga. Docente do programa de pós-graduação em Bioética (mestrado e doutorado) e no mestrado profissional em Nutrição do Centro Universitário São Camilo.

Matheus Bento Costa, Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, SP

Bacharel em Direito e Mestre em Direito Político e Econômico pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Advogado. Membro do Grupo de Estudos Família e Felicidade (GEFam/Mackenzie). Membro dos Grupos de Pesquisa Políticas Públicas como instrumento de efetivação da Cidadania e; Os Parlamentos Latino-Americanos (Mackenzie).

Downloads

Publicado

2020-10-09

Como Citar

Lombardi Daibem, A. M., & Costa, M. B. (2020). DO AMOR PELA OBEDIÊNCIA: COMENTÁRIOS SOBRE A LIBERDADE E A IRRACIONALIDADE DO DIREITO. Passagens: Revista Internacional De História Política E Cultura Jurídica, 12(3), 430-456. https://doi.org/10.15175/1984-2503-202012305