O NOVO E PRECÁRIO MUNDO DO TRABALHO - REESTRUTURAÇÃO PRODUTIVA E CRISE DO SINDICALISMO

Íris Lessa

Resumo


Giovanni Alves nos apresenta, nesta obra, um panorama do processo de reestruturação produtiva, ocorrido no Brasil nos anos 80 e que toma impulso na década seguinte, consagrando o toyotismo como um modo de organização da produção cujos princípios e dispositivos estão voltados para adequar a produção de mercadorias às determinações do novo regime de acumulação de capital. O que o autor denomina de “complexo de reestruturação produtiva” tem sua origem na crise dos países capitalistas centrais, ocorrida na década de 70, quando a longa depressão impulsionou a criação de novos métodos de produção e de gestão da força de trabalho. Ao longo do livro, Alves analisa os impactos da chamada acumulação flexível no ABC paulista, indicando o quanto as modificações técnico-organizacionais afetaram objetiva e subjetivamente o modo de ser dos trabalhadores, contribuíram para a precarização do trabalho, para o arrefecimento da luta de classes, e por conseqüência para a crise do sindicalismo brasileiro, configurando desta forma, no novo e precário mundo do trabalho.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/tn.3i3.p4582

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Fontes de Indexação:

  

     logo_livre2.png     https://periodicos.uff.br/public/site/images/zuleidesilveira/REDIB.jpg   

Apoio:

          Resultado de imagem para abec brasil logo             

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Contador de visitas
Contador de visitas

acessos a partir de 21/09/2018.