LUTA DE CLASSES E BUROCRATIZAÇÃO DE DIRIGENTES SINDICAIS FRENTE ÀS REFORMAS ADMINISTRATIVAS EM MINAS GERAIS

Lorene Figueiredo

Resumo


O presente artigo tem por objetivo caracterizar as mudanças de atuação do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação frente às reformas empreendidas pela burguesia à frente da administração do Estado de Minas Gerais[i]. O trabalho parte da hipótese de que a atuação do Sindicato Único mudou não apenas pelas condições objetivas impostas pela luta de classes, mas também por que suas lideranças, ao longo dos últimos dezesseis anos, burocratizaram-se e tornaram-se interlocutores privilegiados do Estado Neoliberal.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/tn.5i5.p4612

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Fontes de Indexação:

   

     logo_livre2.png     https://periodicos.uff.br/public/site/images/zuleidesilveira/REDIB.jpg   

Apoio:

          Resultado de imagem para abec brasil logo             

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Contador de visitas
Contador de visitas

acessos a partir de 21/09/2018.