POLÍTICA DE FORMAÇÃO DOS PROFESSORES DO CAMPO: PRÁTICA DE RESISTÊNCIA NA AMAZÔNIA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22409/tn.v18i37.46281

Palavras-chave:

Políticas Educacionais, Educação do Campo, Licenciatura em Educação do Campo

Resumo

O texto objetiva analisar a política de formação dos professores do campo e sua contribuição para construção da escola do campo como prática de resistência no território da Amazônia paraense. A metodologia se ancorou em estudos bibliográficos, documentais e pesquisa de campo. Os resultados evidenciaram que a formação de professores tem pautado estudos e debates que corroboram para refletir a escola do campo, suas contradições, seus desafios e as possibilidades de transformações por meio de práticas de resistências.

 

Referências

ARROYO, M. G. A educação básica e o movimento social do campo. In: ARROYO, Miguel Gonzalez; CALDART, Roseli Salete; MOLINA, Mônica Castagna (Org.). Por uma educação do campo. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2004.

BRASIL. [Presidência da República]. Decreto Nº 10.252, de 20 de fevereiro de 2020. Aprova a Estrutura Regimental e o Quadro Demonstrativo dos Cargos em Comissão e das Funções de Confiança do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária - Incra, e remaneja cargos em comissão e funções de confiança. Diário Oficial da União. Brasília, 2020.

BRASIL, Ministério da Educação. Resolução CNE/CP nº 2, de 20 de dezembro de 2019. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Diário Oficial da União. Brasília, 2020.

_____. Plano Nacional de Educação (PNE). Lei Nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação- e da, outras providências. Diário Oficial da União. Brasília, 2014.

______. Portaria n. 86, de 1º de fevereiro de 2013. Institui o Programa Nacional de Educação do Campo - PRONACAMPO. Diário Oficial da União, Brasília, 2013.

______. SESU/SETEC/SECADI. Edital Nº 02, de 31 de agosto de 2012. Chamada Pública para seleção de Instituições Federais de Educação Superior – IFES e de Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia - IFET, para criação de cursos de Licenciatura em Educação do Campo, na modalidade presencial. Brasília, 2012.

______. Decreto n. 7.352, de 04 de novembro de 2010b. Dispõe sobre a política de educação do campo e o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária- PRONERA. Diário Oficial da União, Brasília, 2010.

_____. Decreto lei n. 6.755, de 29 de janeiro de 2009. Institui a Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica, disciplina a atuação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior- CAPES no fomento a programas de formação inicial e continuada, e da, outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 2009.

_____. LEI Nº 11.079, de 30 de dezembro de 2004. Institui normas gerais para licitação e contratação de parceria público-privada no âmbito da administração pública. Diário Oficial da União. Brasília, 2004.

______. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Trad. Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa, Edições 70, 2010.

CALDART, R. S. Aula Inaugural do semestre do curso de Licenciatura em Educação do Campo. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Campus Litoral, 9 de março 2020.

_____. A escola do campo em movimento. In: BENJAMIN, César; CALDART, Roseli Salete. Projeto popular e escolas do campo. Brasília, DF: Articulação Nacional Por Uma Educação Básica do Campo, Coleção Por Uma Educação Básica do Campo, 2000.

CAMARGO, A. M. M. de. PARFOR. In: SEGENREICH, Stella Cecilia Duarte (Org.). Organização institucional e acadêmica na expansão da educação superior: Glossário. Rio de Janeiro: Publit, 2017.

Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br). 2019. Disponível em https://www.cetic.br/pesquisa/domicilios/. Acesso em abril de 2020.

FRANCO, M. L. P. B. Análise de Conteúdo. 3. ed. Brasília: Liber Livro, 2008.

FREIRE, P.. Pedagogia do Oprimido.53. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2016.

_____. Educação e mudança. São Paulo: Editora paz e terra, 2007.

FREITAS, H. C. L. de. A (nova) política de formação de professores: A prioridade postergada. Revista Educação e Sociedade. Campinas, vol. 28, n. 100 - Especial, p. 1203-1230, out. 2007.

_____. Formação de professores no Brasil: 10 anos de embate entre projetos de formação. Revista Educação e Sociedade. Campinas, vol. 23, n. 80, set. 2002.

FRIGOTTO, G. Educação e a crise do capitalismo real. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

GRAMSCI, A. Os Intelectuais e a Organização da cultura. 7.ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1989.

GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM EDUCAÇÃO DO CAMPO DA AMAZÔNIA (GEPERUAZ). Banco de dados, 2014.

HAGE, S. A. M.; SILVA, H. do S. de A.; SOUZA, D. D. L. de. Movimentos sociais do campo e educação na Amazônia: as lutas e resistências num cenário de negação de direitos. 39ª Reunião Nacional da ANPEd. GT03 - Movimentos Sociais, Sujeitos e Processos Educativos, Niterói-RJ, 2019.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS (INEP) Anísio Teixeira. Sinopse estatísticas da educação básica 2014. [online]. Brasília, Inep, 2014.

MANCEBO, D. Políticas, Gestão e Direito à Educação Superior: novos modos de regulação e tendências em construção. In: MOLINA, Mônica Castagna; HAGE, Salomão Mufarrej (Org.). Licenciaturas em Educação no Campo: resultados da pesquisa sobre os riscos e potencialidades de sua expansão. 1. ed. Florianópolis: LANTEC/CED/UFSC, 2019.

MOLINA, M. C; NÉRY, I.; KOLLING, J. E. Por uma educação básica do campo (Org.). 1999.

MOLINA, M. C. Desafios da Licenciatura na materialização das escolas do campo. Palestra. IV Seminário Nacional das Licenciaturas em Educação do Campo. Belém, 2014.

NORONHA, O. M.. Epistemologia, formação de professores e práxis educativa transformadora. Quaestio. Sorocaba, SP, v. 12, p. 5-24, jul, 2010.

NÓVOA, A. O passado e o presente dos professores. In: NÓVOA, A. Profissão Professor. Porto, Porto Editora, 1995.

OLIVEIRA, J. F. de; CATANI, A. M. A reconfiguração do campo universitário no Brasil: conceitos, atores, estratégias e ações. In: OLIVEIRA, J. F. (Org.). O campo universitário no Brasil: Políticas, ações e processos de reconfiguração. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2011.

OLIVEIRA J. F. de; DOURADO, L. F.; VELOSO, T. C. M. A; SOUSA, A. M. G. A reforma da educação superior e os mecanismos de parceria público-privado. Perspectiva, Florianópolis, v. 23, n.02, p.323-348, jul-dez, 2005.

RESOLUÇÃO DE ESTÁGIO 01, de 2017. Define procedimentos para a realização do Estágio Docente no Curso de Licenciatura em Educação do Campo, na FECAMPO, no Campus Universitário do Tocantins-Cametá da Universidade Federal do Pará, 2017.

SILVA, H. do S. de A. S. Política de formação de educadores do campo e a construção da contra-hegemonia via epistemologia da práxis: análise da experiência da LEDOC-UFPA-Cametá. 2017. 306 f. Tese de Doutorado (Programa de Pós-Graduação em Educação) Instituto de Ciência da Educação-UFPA, Belém, 2017.

_____. Programa Escola Ativa: política de formação continuada de professores de escolas multisseriadas e seus impactos no cotidiano da sala de aula. 2011. 202 f. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Educação). Universidade do Estado do Pará, Belém, 2011.

Downloads

Publicado

2020-09-23

Como Citar

Silva, H. do S. de A., Borges, C. N. F., & Pinheiro, M. do S. D. (2020). POLÍTICA DE FORMAÇÃO DOS PROFESSORES DO CAMPO: PRÁTICA DE RESISTÊNCIA NA AMAZÔNIA. Revista Trabalho Necessário, 18(37), 139-162. https://doi.org/10.22409/tn.v18i37.46281