A EDUCAÇÃO AMBIENTAL, TRABALHO E AS RELAÇÕES CAPITALISTAS

Cinara Karan, Luis Minasi, Alexandre Pereira, Marta Cezar-Vaz

Resumo


Neste artigo, enfocamos a relação capital-trabalho como importante fenômeno que determina as relações de sociabilidade ao logo da história da humanidade e a função da Educação Ambiental neste processo complexo. O trabalho é um ato eminentemente humano, portanto, teleológico e categoria fundante do ser social e que ao longo da história, foi sendo modificado pelo processo de desenvolvimento do modo de produção capitalista e instituição da propriedade privada. Abordamos aqui, o processo histórico da relação trabalho-trabalhador e suas implicações na vida da classe trabalhadora, demonstrando que essa relação produz a subsunção do trabalhador ao capital, ocorrendo o domínio deste sobre todas as atividades humanas. Apresentaremos também como a Educação Ambiental se interpõe neste processo de coisificação do trabalho em uma perspectiva crítica. Trata-se aqui de um olhar cujo fundamento ontológico da educação ambiental centra-se na superação do modo de produção capitalista e, portanto, na superação da visão idealista da natureza e do homem nesta relação. Este trabalho é de caráter teórico resultante de uma ampla revisão bibliográfica.


Palavras-chave


Trabalho-trabalhador; capital-trabalho; educação ambiental.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22409/tn.11i17.p8584

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Fontes de Indexação:

   

     logo_livre2.png     https://periodicos.uff.br/public/site/images/zuleidesilveira/REDIB.jpg   

Apoio:

          Resultado de imagem para abec brasil logo             

 

 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Contador de visitas
Contador de visitas

acessos a partir de 21/09/2018.