O processo de avaliação psicológica no estado do Paraná

Cinthia da Silva Chiodi, Marilda Gonçalves Dias Facci

Resumo


A avaliação psicológica das queixas escolares e a utilização dos testes psicológicos fazem parte da atuação do psicólogo escolar. Este artigo tem como objetivo apresentar os resultados de uma pesquisa realizada em relatórios de avaliação psicoeducacional elaborados por psicólogos, buscando compreender como a avaliação psicológica está sendo realizada pelos profissionais psicólogos no Estado do Paraná. Foram analisados 36 relatórios para encaminhamento de alunos de 5ª a 8ª séries para a Sala de Recursos. De maneira geral, pudemos constatar que 93,44% dos psicólogos utilizam testes de inteligência, mas muitos deles também utilizam observações e analisam as atividades escolares para avaliar as queixas escolares, não se limitando a uma visão psicométrica. A partir dos fundamentos da Psicologia Histórico-Cultural, entendemos que a avaliação deve considerar as potencialidades dos alunos e deve ter como meta contribuir para que eles se apropriem do conhecimento científico elaborado pelos homens.


Palavras-chave


Psicologia Escolar; Avaliação psicológica; Psicologia Histórico-Cultural.

Texto completo:

PDF

Referências


AYACH, A. A.; CORRÊA, F. B. As políticas do Conselho Federal de Psicologia para avaliação psicológica. In: CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA - CFP (Org.). Avaliação psicológica: diretrizes na regulamentação da profissão. Brasilia: CFP, 2010. p. 19-30.

CALEJON, L. M. C.; BEATÓN, G. A. Avaliação Psicológica, os testes e o diagnóstico explicativo. Piracicaba: G. E. Degaspari, 2002.

CARVALHO, T. O.; MARINHO-ARAUJO, C. M. Psicologia Escolar no Brasil e no Maranhão: percursos históricos e tendências atuais. Revista Semestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional (ABRAPEE), São Paulo, v. 13, n. 1, p. 65-73, jan./fev. 2009.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Resolução CFP n° 007/2003. Brasilia, CFP, 2003.

FACCI, M. G. D.; ROMA, C. G.; SILVA, V. G.. A Avaliação psicológica na escola e a teoria histórico-cultural: difusão em periódicos de Psicologia. Encontro, Santo André, v. II, p. 79-94, 2007.

LESSA, P. V.; FACCI, M. G. D. A atuação do psicólogo no ensino público do Estado do Paraná. Psicologia Escolar e Educacional, Maringá, v. 15, n. 1, p. 131-141, jan./jun. 2011.

FACCI, M. G. D.; EIDT, N. M.; TULESKI, S. C. Contribuições da Teoria Histórico-Cultural para o processo de avaliação psicoeducacional. Revista Psicologia USP, São Paulo, v. 17, n. 1, p. 99-124, mar. 2006.

GOMES, W. B. Avaliação Psicológica no Brasil: Testes de Medeiros e Albuquerque. Avaliação Psicológica, Itatiba-SP, v. 3, n. 1, p. 59-68, jun. 2004.

LEONTIEV, A. N. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Livros Horizonte, 1978.

LINHARES, M. B. M.; ESCOLANO, A. C. M.; ENUMO, S. R. F. Avaliação Assistida: fundamentos teórico-conceituais e contribuições. In: LINHARES, M. B. M.; ESCOLANO, A. C. M.; ENUMO, S. R. F. (Org.). Avaliação assistida: fundamentos procedimentos e aplicabilidade. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2006. p. 15-32.

LINHARES, M. B. M. Avaliação Assistida: fundamentos, definição, característica e implicações para a avaliação psicológica. Psicologia: Teoria e Pesquisa. Brasília, v. 11. n. 1, p.13-22, 1995.

LUNT, I. A Prática da Avaliação. In: DANIELS, H. (Org.). Vigotsky em foco: pressupostos e desdobramentos. Campinas, SP: Papirus, 1994. p. 219-252.

LURIA, A. R. Fundamentos de Neuropsicologia. São Paulo: Universidade de São Paulo, 1981.

LURIA, A. R. Desenvolvimento Cognitivo. São Paulo: Ícone, 2008.

MACHADO, A. M. Avaliação Psicológica na educação: mudanças necessárias. In: TANAMACHI, E. R.; ROCHA, M. L.; SOUZA, M. P. R. (Org.). Psicologia e Educação: desafios teórico-práticos. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2000. p. 143-167.

MEIRA, M. E. M. Psicologia Escolar: pensamento crítico e práticas profissionais. In: TANAMACHI, E. R.; ROCHA, M. L.; SOUZA, M. P. R. (Org.). Psicologia e Educação: desafios teórico-práticos. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2000. p. 35-72.

MINDRISZ, R. K. A Tirania do QI: O Quociente de Inteligência na Caracterização do Indivíduo Deficiente Mental. 1994. Dissertação (Mestrado) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1994.

MOYSÉS, M. A. A.; COLLARES, C. A. L. Inteligência abstraída, crianças silenciadas: as avaliações de inteligência. Revista Psicologia USP, São Paulo, v. 8, n. 1, p. 63-89, 1997.

PARANÁ (Estado). CEE. Deliberação nº 02/03, de 02/06/2003. Curitiba, 2003.

PATTO, M. H. S. Psicologia e Ideologia: uma introdução crítica a psicologia escolar. São Paulo: T. A. Queiroz, 1984.

PATTO, M. H. S. A produção do fracasso escolar: histórias de submissão e rebeldia. São Paulo: T. A . Queiroz, 1990.

PATTO, M. H. S. Para uma critica da razão psicométrica. Revista Psicologia USP, São Paulo, v. 8, n. 1, p. 47-62, 1997.

PRIMI, R. Avaliação psicológica no Brasil: fundamentos, situação atual e direções para o futuro. Psicologia Teoria e Pesquisa, Brasilia, v. 26, n. especial, p. 37-50, 2010. Disponível em: . Acesso em: 04 nov. 2012.

PRIMI, R. Inteligência: avanços nos modelos teóricos e nos instrumentos de medida. Avaliação Psicológica. Itatiba, SP, v. .2 , n. 1, p. 67-77, 2003. Disponível em: . Acesso em: 04 nov. 2012.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 8. ed. Campinas: Cortez – Autores Associados, 2003.

SOUZA, M. P. R. Prontuários revelando os bastidores do atendimento psicológico à queixa escolar. In: SOUZA, B. P. (Org.). Orientação à queixa escolar. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007. v. 1, p. 27-58.

TAVARES, M. Da ordem social da regulamentação da avaliação psicológica e do uso dos testes. In: CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA - CFP (Org.). Avaliação psicológica: diretrizes na regulamentação da profissão. Brasília: CFP, 2010. p. 31-56.

VIGOTSKI, L. S. Teoria e Método em Psicologia. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

VIGOTSKI, L. S. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

VYGOTSKI, L. S. Obras escogidas III. Madrid: Centro de Publicaciones del M.E.C. y Visor Distribuciones, 1995.

VYGOTSKY, L. S.; LURIA, A. R. Estudos sobre a história do comportamento: símios, homem primitivo e criança, Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

ZUCOLOTO, P. C. S. V. O médico higienista na escola: as origens históricas da medicalização do fracasso escolar. Revista Brasileira Crescimento e Desenvolvimento Humano, São Paulo, v. 17, n. 1, p. 136-145, abr. 2007. Disponível em: . Acesso em: 04 nov. 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Creative Commons License
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

Apoio:



Indexadores:



Arquivamento:



Facebook: