POR UM CURRÍCULO DA INTEIREZA

DESAFIOS DA IMPLEMENTAÇÃO DE UMA POLÍTICA CURRICULAR PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

Autores

  • Rejane Peres Neto Costa UFRRJ
  • Isabele Queiroz Universidade do Estado do Rio de Janeiro
  • Anelise Nascimento Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro

Palavras-chave:

Política curricular, Educação Infantil

Resumo

Este texto apresenta os resultados de uma pesquisa que acompanhou a implementação de uma política curricular em Nova Iguaçu, município do estado do Rio de Janeiro. O referencial teórico apoiado em Paulo Freire, busca refletir sobre as categorias currículo e política numa perspectiva social e crítica. De tal maneira, Freire nos auxiliou no exame de alguns aspectos desta política e do que tem emergido na proposta de oferta para a Educação Infantil em uma rede pública. Há, também, no ano de 2021 a celebração dos 100 anos de seu nascimento. O tanto que Freire auxilia no pensamento e nas políticas para a educação brasileira marcam os avanços e aponta para o que ainda há por fazer. É em tal perspectiva, o que estamos construindo e o que se pretende alcançar, que organizamos este artigo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rejane Peres Neto Costa, UFRRJ

Professora de Educação Infantil no município do Rio de Janeiro e Professora Regente de História na rede estadual do Rio de Janeiro. Doutoranda do PPGEDUC, estuda a implementação do currículo municipal reformulado pela BNCC, em Nova Iguaçu. Possui Mestrado em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação, Contextos Contemporâneos e Demandas Populares da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ-2020); Especialização em Docência na Educação Infantil (Unirio-2016); Licenciatura em História e Pedagogia (UERJ-2014). Participa do grupo de pesquisa GRUPIs - Grupo de Pesquisa Infâncias até dez anos - que desenvolve o Projeto "Educação Infantil, pandemia e ações dos Municípios da Baixada Fluminense" e "Educação Infantil na Baixada Fluminense: a obrigatoriedade da inclusão das crianças de quatro anos na educação básica", que tem como coordenadora a professora Anelise Monteiro do Nascimento (UFRRJ).

Referências

ARELARO, Lisete Regina Gomes. Avaliação das Políticas de Educação Infantil no Brasil: avanços e retrocessos. Revista Zero-a-seis, v. 19, n. 36, p. 206-222, jul./dez. 2017. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/zeroseis/article/view/1980-4512.2017v19n36p206. Acesso em 24/05/2018.

BARBOSA, Maria Carmen Silveira; CRUZ, Silvia Helena V.; FOCHI, Paulo Sergio; BARBOSA, Raquel Firmino Magalhães; MARTINS, Rodrigo Lema Del Rio; MELLO André da Silva. A Educação Infantil na Base Nacional Comum Curricular: avanços e retrocessos. Movimento-Revista de Educação, Niterói, ano 6, n.10, p. 147-172, jan./jun. 2019.

BARBOSA, Raquel Firmino Magalhães; MARTINS, Rodrigo Lema Del Rio; MELLO André da Silva. A Educação Infantil na Base Nacional Comum Curricular: avanços e retrocessos. Movimento-Revista de Educação, Niterói, ano 6, n.10, p. 147-172, jan./jun. 2019.

BORTOLANZA, Ana Maria Esteves; FREIRE, Renata T. Junqueira. Educação Infantil e a Base Nacional Comum Curricular: concepções de criança, desenvolvimento e currículo. Série-Estudos. Campo Grande, v. 23, n. 49, set./dez. 2018. Disponível em: https://www.serie-estudos.ucdb.br/serie-estudos/article/view/1138/pdf. Acesso em 28/07/2018.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Plano Nacional de Educação (PNE). PNE 2014-2024. Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2014. Disponível em: http://pne.mec.gov.br/18-planos-subnacionais-de-educacao/543-plano-nacional-de-educacao-lei-n-13-005-2014. Acesso em 02/05/2018.

__________ Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF, 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em 02/05/2018.

__________ Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado, 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em 02/05/2018.

BRASIL. MEC. Base Nacional Comum Curricular. BNCC, 2016-2017. Brasília: MEC, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/abase/. Acesso em 02/01/2018.

BRASIL. MEC/SEF. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. — Brasília: MEC/SEF, 1998. http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/rcnei_vol1.pdf. Acesso em 02/07/2019.

BRASIL. MEC/SEB. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Secretaria de Educação Básica. Brasília: 2010. Disponível em: https://ndi.ufsc.br/files/2012/02/Diretrizes-Curriculares-para-a-E-I.pdf. Acesso em 02/05/2018.

CURY, Carlos Roberto Jamil; FERREIRA, Luiz Antonio Miguel. Obrigatoriedade da Educação das Crianças e Adolescentes: uma questão de oferta ou de efetivo atendimento? Presidente Prudente SP, Nuances: estudos sobre Educação. Ano XVII, v. 17, n. 18, p. 124-145, jan./dez. 2010.

OLIVEIRA, Zilma de M. Ramos. O que é básico na Base Nacional Comum Curricular para a Educação Infantil? Debates em Educação. Maceió, v. 8, n. 16, jul./dez. 2016. Disponível em: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/2492. Acesso em 28/07/2018.

FREIRE, Paulo. Educação como Prática de Liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1967.

_________ À Sombra desta Mangueira. São Paulo: Olho d’água. 1985.

_________ Pedagogia do Oprimido. 17ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

_________ Pedagogia da Esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

_________ Pedagogia da Autonomia. 2. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

_________ Política e educação: ensaios. 5ª ed.São Paulo, Cortez, 2001. (Coleção Questões de Nossa Época ; v.23). Disponível em: https://cpers.com.br/wp-content/uploads/2019/09/14.-Pol%C3%ADtica-e-Educa%C3%A7%C3%A3o.pdf. Acesso em 18 de maio de 2021.

Downloads

Publicado

2022-02-16

Como Citar

Peres Neto Costa, R., Lacerda Queiroz, I. ., & Monteiro do Nascimento, A. (2022). POR UM CURRÍCULO DA INTEIREZA: DESAFIOS DA IMPLEMENTAÇÃO DE UMA POLÍTICA CURRICULAR PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL . RevistAleph, 1(38). Recuperado de https://periodicos.uff.br/revistaleph/article/view/51371